Login| Sign Up| Help| Contact|

Patent Searching and Data


Title:
ARRANGEMENT APPLIED TO A BADGE HOLDER
Document Type and Number:
WIPO Patent Application WO/2020/097702
Kind Code:
A1
Abstract:
The aim of the invention is to enable the information on a badge (CR) to be displayed without the badge being removed from the user's chest (where it is hanging by clip (P) and cord (C)), or to be withdrawn by means of a tilting movement if the information is not to be displayed. To do so, a base sheet (2) incorporating locking teeth (6) counterposed in the front (7) and rear (8) faces thereof is connected at the bottom by a thin hinge (12) to a support sheet (13) that is designed to receive the badge (CR) and that is duly locked to the front face (7) of said base (2). In this state, the user working at the company can display the data on the badge (CR) normally. When going out for lunch, for example, the user unlocks the support (13) and tilts same by moving same to the rear face (8) of the base (2) to move the badge (CR) therein, thus locking the assembly.

Inventors:
COSTA DAVI PASSOS (BR)
Application Number:
BR2019/050390
Publication Date:
May 22, 2020
Filing Date:
September 11, 2019
Export Citation:
Click for automatic bibliography generation   Help
Assignee:
COSTA DAVI PASSOS (BR)
International Classes:
A44C3/00
Domestic Patent References:
WO2018038679A12018-03-01
Foreign References:
US20080016730A12008-01-24
US20050150797A12005-07-14
US6226905B12001-05-08
US4869004A1989-09-26
US8832976B12014-09-16
US20130306738A12013-11-21
US20130220842A12013-08-29
Attorney, Agent or Firm:
PIENEGONDA, MOREIRA & ASSOCIADOS LTDA. (BR)
Download PDF:
Claims:
REIVINDICAÇÃO

1 “DISPOSIÇÃO INTRODUZIDA EM PORTA-CRACHÁ”, constituído a partir de um porta-crachá ( 1) para expor e, caso contrário, embutir o crachá (CR) sem necessidade de o usuário retirá-lo do peito (onde encontra-se dependurado por presilha (P) e cordão (C) em posição vertical ou horizontal), dito porta-crachá (1) em configuração de uma capa inteiramente laminar, injetado em material polimérico e que por projeto de molde forma peça única, composta por uma lâmina de base (2) vazada por dois recortes retangulares (3), um em cada uma de suas laterais, caracterizada por estender borda superior arredondada (4), vazada por rasgo oblongo central (5), abaixo do qual projeta um par de travas dentadas (6) contrapostas, ou seja, voltadas tanto para sua face frontal (7) quanto para sua face traseira (8) as quais são vazadas por rasgo central (9) em formato de gota, e por dita lâmina de base (2) incorporar ainda, em uma de suas laterais, uma borda arredondada (10) igualmente vazada por rasgo oblongo central (11 ) e, em sua borda inferior retilínea, uma delgada dobradiça (12), pela qual é ligada a uma lâmina de suporte (13) incorporando nervuras verticais centrais (14) e envolta por moldura ( 15), recebendo duas abas de guia retangulares ( 16) laterais, alinhadas e pouco menores que os recortes (3) da base (2).

Description:
“DISPOSIÇÃO INTRODUZIDA EM PORTA-CRACHÁ”

[001 ] Refere-se o presente relatório descritivo, a um pedido de patente de modelo de utilidade para um porta-crachá em formato de uma capa laminar de fina espessura e injetada em peça única por projeto de molde, inteiramente em polipropileno, fosco, pigmentado ou translúcido.

[002] A capa é composta por uma lâmina de base ligada a uma lâmina de suporte receptor do crachá, sendo que, por essa base, tal suporte é passível de ser travado, destravado e basculado. Após destravado e basculado o suporte é levado à face oposta da base e travado em posicionamento contrário de modo que possa embutir o crachá, e consequentemente ocultar seus dados, pelo encosto deste contram a face oposta da base.

[003] Dessa forma é impedida a visualização por terceiros dos dados contidos no crachá quando o trabalhador estiver em local público, preservando essas informações de atos mal intencionados.

[004] Uma outra vantagem é o fato de que, por sua ação basculante, o trabalhador pode manter o crachá no peito, normalmente preso por cordão e presilha, em posição vertical ou horizontal, sem necessidade de retirá-lo e assim expor ou embutir as informações, evitando a perda do referido identificador.

ESTADO DA TÉCNICA

[005] Como é de conhecimento, os crachás são elementos de grande importância no mundo corporativo pois expõem os dados do local de trabalho e do funcionário e identificam-nos (empresa e trabalhador). São presos no bolso da camisa por presilhas ou dependurados por presilhas e cordão no peito do funcionário para que sej am perfeitamente visualizados e imediatamente reconhecidos durante movimentação pela empresa, facilitando e dando segurança à organização e ao trabalho, internos. [006] Nesse sentido pode ser citada a presilha normalmente usada para manter o crachá devidamente posicionado no peito, tal como a presilha protegida pelo documento de patente MU 6902029 denominada “PRESILHA POLICINÉTICA PARA FIXAÇÃO DE CRACHÁ”. Uma imagem apenas desse documento, inserida apenas a título exemplificativo, mostra o dispositivo do tipo “jacaré” com mola, mordente e pino para um cordão. Essa imagem é inserida como figura 1 do pedido a ser descrito mais adiante.

[007] Um problema observado é que o crachá, justamente por expor os dados do funcionário e da empresa pode tornar-se um dispositivo que, em locais públicos chame a atenção para possíveis tentativas de ações mal-intencionadas por parte de terceiros.

[008] Explicando melhor, o funcionário, na rua, almoçando por exemplo, pode ter os seus dados ou os dados da empresa anotados e, de alguma forma, sofrer algum tipo de espionagem como consultas de diversas naturezas para adquirir algum tipo de vantagem indevida. De qualquer forma, é conveniente que o funcionário retire o crachá do peito ao sair da empresa, seja para almoço ou para qualquer outra atividade externa, evitando a exposição desses dados em público.

[009] Para isso, evidentemente deve retirá-lo pelo pescoço fazendo ultrapassagem pelo cordão ou simplesmente desapertar a presilha e, em ambos os casos, guardá-lo no bolso ou na bolsa, pasta ou outro suporte. Como se percebe, a chance de perda é grande estando o crachá, por exemplo, no bolso, evento esse que evidentemente gera problemas a si mesmo e à empresa. Ao perder o crachá o funcionário deve identificar- se perante a portaria, no caso de empresas de médio e de grande porte, ocasionando perda de tempo, mobilização de funcionários responsáveis pela segurança, obrigando a empresa a gerar uma nova via, além de outros transtornos como a própria localização do identificador perdido por terceiros.

OBJETIVO DA PATENTE.

[010] Para resolver tais problemas, o porta-crachá em questão, motivo desse pedido de patente, tem sua lâmina de base incorporada com travas dentadas contrapostas nas suas duas faces, frontal e traseira, a partir da borda superior. Em sua borda inferior essa lâmina de base, por meio de delgada dobradiça também incorporada, é ligada a uma lâmina de suporte receptor do crachá. O suporte possui uma moldura e abas de guia pelas quais o crachá é nele inserido deslizantemente, expondo os dados da empresa e do trabalhador. Dessa forma, o trabalhador exerce normalmente suas funções no interior da empresa, sendo devida e constantemente identificado pelos demais funcionários através do crachá, dependurado no peito em posição vertical ou horizontal permitidas pelos rasgos oblongos tanto em sua borda superior quanto em sua borda lateral.

[01 1] Para sair da empresa, seja para almoço ou serviço externo, sem retirar o crachá do peito o funcionário destrava e bascula pela dobradiça o suporte, trazendo- o para a face oposta da base, na qual é encostado e novamente travado. Nessa condição o suporte embute, pelo encosto na face oposta da base, o crachá com seus dados, evitando que terceiros visualizem-nos.

[012] Explicado superficialmente, passa o porta-crachá a ser melhor detalhado através das figuras anexas.

[013] A figura 1 , como foi dito, refere- se ao estado da técnica, mostrado através da imagem retirada do documento MU 6902029.

[014] As figuras seguir relacionadas, de 2 a 7, referem-se ao porta-crachá, motivo desse pedido de patente:

[015] Figura 2 - vista em perspectiva frontal do porta-crachá, a partir da a lâmina de suporte, mostrada com sua moldura e abas de guia, estando em posição de receber o crachá e travado pela trava dentada da borda superior da lâmina de base, a qual exibe suas bordas superior e lateral arredondadas e vazadas por rasgo oblongo para o posicionamento tanto vertical quanto horizontal do porta crachá quando sustentado por presilha e cordão;

[016] Figura 3 - vista em perspectiva traseira do porta-crachá. Nessa vista pode-se observar a trava dentada contraposta, na face traseira, da borda superior da lâmina de base. Nessa vista pode-se observar também a dobradiça da borda inferior da lâmina de base, ligando-a à lâmina de suporte;

[017] Figura 4 - vistas segundo figura 2, mostrando em sequência que, pelas abas de guia o crachá foi inserido deslizantemente e acomodado entre a moldura da lâmina de suporte;

[018] Figura 5 - vistas em perspectiva mostrando em sequência, que a lâmina de suporte foi destravada da trava dentada da lâmina de base e já contendo o crachá, está sendo basculada pela dobradiça inferior em direção à face oposta da referida base;

[019] Figura 6 - vista segundo a sequência da figura anterior, mostrando que, após basculado o suporte encosta o crachá com os dados da empresa e do trabalhador na face oposta da base, em travamento pela trava dentada contraposta. Ao ser travada na face oposta da base o suporte embute os dados do crachá e expõe apenas a face frontal, sem qualquer informação;

[020] Figura 7 - vistas em sequência mostrando, a título ilustrativo, um funcionário usando normalmente o crachá, neste caso em posição vertical, com os dados expostos na lâmina de suporte, travada à base. Ao sair da empresa o funcionário destrava a lâmina de suporte e a bascula pela dobradiça, encostando o crachá com os dados na face oposta da base. Dessa forma o crachá com as informações permanece embutido em locais públicos ou em situações em que tais dados não devam ser vistos.

[021 ] Em conformidade com os desenhos anexos, a“DISPOSIÇÃO INTRODUZIDA EM PORTA-CRACHÁ”, objeto desse presente pedido de patente de modelo de utilidade constitui-se, como mostram em especial as figuras 2 e 3, a partir de um porta-crachá (1) em configuração de uma capa laminar, produzida em peça única por projeto de molde, inteiramente em polipropileno com acabamento fosco, pigmentado ou translúcido, composto a partir de uma lâmina de base (2) vazada por dois recortes retangulares (3), um em cada uma de suas laterais, estendendo borda superior arredondada (4), vazada por rasgo oblongo central (5), abaixo do qual projeta um par de travas dentadas (6) contrapostas, ou seja, voltadas tanto para sua face frontal (7) quanto para sua face traseira (8), as quais são vazadas por rasgo central (9) em formato de gota. A lâmina de base (2) incorpora ainda, em uma de suas laterais uma borda arredondada ( 10), igualmente vazada por rasgo oblongo central (11), e em sua borda inferior retilínea, uma delgada dobradiça ( 12).

[022] Por essa dobradiça (12) a base (2) é ligada a uma lâmina de suporte (13) que incorpora nervuras verticais centrais (14) e é envolta por moldura (15), além de receber duas abas de guia retangulares (16), alinhadas e pouco menores que os recortes (3) da base (2).

[023] Assim constituído o porta-crachá (1 ), como mostra a figura 4, pelas abas de guia ( 16) da lâmina de suporte (13), travada pela trava dentada (6) da face frontal (7) da lâmina de base (2), é inserido deslizantemente o crachá (CR) e acomodado na moldura ( 15). Em seguida, a base (2) pode receber a presilha (P) e o cordão (C) tanto pelo rasgo oblongo (5) de sua borda superior arredondada (4) (para posição vertical) quanto pelo rasgo oblongo (11) de sua borda lateral arredondada (10) (para posição horizontal), para que o crachá (CR) mantenha-se dependurado no peito do funcionário, expondo os dados do trabalhador e da empresa.

[024] Dessa forma, o trabalhador pode exercer suas funções sendo constantemente identificado pelos demais funcionários.

[025] Ao sair da empresa para almoçar, para serviço externo ou por qualquer outro motivo, como mostra a sequência da figura 5, sem retirar o crachá (CR) destrava a lâmina de suporte ( 13) da trava dentada (6) da face frontal (7) da base (2), de forma fácil graças à maleabilidade de seu material, e pela dobradiça ( 12) da borda inferior efetua o basculamento da referida lâmina de suporte (13). Com o basculamento, o suporte (13) traz consigo o crachá (CR) até alcançar e encostar-se na face traseira (8) da base (2), efetuando, de forma simples e por pressão, o travamento deste contra a trava de dente (6) contraposta, embutindo, portanto, os seus dados e os dados da empresa. O travamento é completado pelo encaixe das abas de guia (16) da lâmina de suporte (13) acopladas nos recortes (3) da base (2).

[026] Com isso, a face frontal (7) do porta-crachá (1), por ser fosca ou pigmentada, como mostra a figura 6, não terá as informações do crachá (CR) expostas para serem visualizadas em locais públicos ou em quaisquer situações onde os referidos dados não podem ser vistos.

[027] A sequência da figura 7 mostra o sistema que envolve o porta-crachá ( 1 ) em questão.

[028] Assim, com o que foi descrito, fica clara a eficiência do porta-crachá ( 1) em ocultar o crachá (CR) do usuário e, consequentemente, seus dados através de um mecanismo de ação simples. Pelo acabamento fosco do material do porta-crachá (1), o crachá (CR) permanecerá oculto em ambos os lados deste, garantindo que mesmo que este gire no cordão (C) dependurado no pescoço do usuário, seus dados não sejam expostos. Mesmo quando fabricado em polipropileno translúcido, quando fechado, o porta-crachá ( 1 ) irá dificultar a visualização dos dados.

[029] Ainda, o rasgo central (9) em formato de gota das faces (7 e 8) da base (2) irá facilitar a retirada do crachá (CR) quando necessário, permitindo o encosto e o deslizamento do dedo do usuário através deste rasgo (9).