Login| Sign Up| Help| Contact|

Patent Searching and Data


Title:
BUILDING MADE OF PREFABRICATED BRICKS AND METHOD FOR CONSTRUCTING SAID BUILDING
Document Type and Number:
WIPO Patent Application WO/2019/161468
Kind Code:
A1
Abstract:
The invention relates to a building (1) made of pefabricated bricks, comprising a foundation slab (2), two-part rods (7) formed by screws interconnected by nuts (8), the lower end of said screw rods being attached to the foundation slab (2), vertical walls (3) which are attached to the foundation slab (2) by means of the screws (7), and prefabricated bricks (9) containing a main, central opening (10) and secondary, right-hand (11) and left-hand (12) openings, left-hand (13) and right-hand (14) lateral recesses, and sunken sections (15) in the upper surface and in the lower surface of the bricks, the openings opening into the sunken sections (15), vertical channels (17) being formed as a result of the alignment of the main openings (10) with the recesses of the bricks (13, 14) of adjacent rows, and sinusoidal passages (18) being formed between the sunken sections (15) of the adjacent bricks, communicating with the vertical channels (17) inside the walls.

Inventors:
SCHUETZ JARDIM, Marcelo (Rua José Leal da Silva, casa nº 255 Barra da Tijuca, -200 Rio de Janeiro - RJ, 22640-200, BR)
FERNANDES DOS REIS, Celmo (Rua Mario de Albuquerque, casa nº 340 Condomínio Rio Ma, Barra da Tijuca -318 Rio de Janeiro - RJ, 20793-318, BR)
Application Number:
BR2019/050048
Publication Date:
August 29, 2019
Filing Date:
February 20, 2019
Export Citation:
Click for automatic bibliography generation   Help
Assignee:
SCHUETZ JARDIM, Marcelo (Rua José Leal da Silva, casa nº 255 Barra da Tijuca, -200 Rio de Janeiro - RJ, 22640-200, BR)
FERNANDES DOS REIS, Celmo (Rua Mario de Albuquerque, casa nº 340 Condomínio Rio Ma, Barra da Tijuca -318 Rio de Janeiro - RJ, 20793-318, BR)
International Classes:
E04B2/18; E04B1/78; E04B2/20
Attorney, Agent or Firm:
DANNEMANN, SIEMSEN, BIGLER & IPANEMA MOREIRA (Rua Marquês de Olinda 70, -040 Rio de Janeiro - RJ, 22251-040, BR)
Download PDF:
Claims:
REIVINDICAÇÕES

1. Edificação (1) com tijolos pré-fabricados, caracterizada pelo fato de que compreende:

uma laje de fundação (2) com superfície superior horizontal compreendendo meios para recepção (6) de parafusos bipartidos (7);

uma pluralidade de hastes, sendo que cada haste é consti tuída por uma série de parafusos bipartidos (7) conectados um ao ou tro por meio de porcas (8), e a extremidade inferior de cada haste é fixada aos meios de recepção (6) de parafusos bipartidos (7) na laje de fundação (2);

paredes verticais (3) fixadas acima da laje de fundação (2) por meio de parafusos (7), as paredes verticais (3) compreendendo tijolos pré-fabricados paralelepipedais padrão (9a) que compreendem um orifício principal central (10), um orifício secundário direito (11), um orifício secundário esquerdo (12), uma reentrância lateral esquerda (13) e uma reentrância lateral direita (14), um rebaixamento da super fície superior (15) e um rebaixamento da superfície inferior, sendo que o orifício principal central (10) e os orifícios secundários (11 , 12) de sembocam nos rebaixamentos (15) da superfície superior e da super fície inferior,

os tijolos (9a) sendo dispostos em fiadas, nas quais:

- o orifício secundário direito (11) de um tijolo é posicionado concentricamente com o orifício secundário esquerdo (12) de outro tijolo da fiada adjacente,

- o orifício principal (10) de cada tijolo é posicionado con centricamente com a união das reentrâncias laterais (13, 14) de dois tijolos vizinhos da fiada adjacente, formando chaminés (17),

- uma região oca formada no rebaixamento da superfície superior (15) de um tijolo está em comunicação com uma região oca formada no rebaixamento da superfície inferior de outro tijolo da fiada adjacente

- a comunicação de uma pluralidade de regiões ocas dos rebaixamentos (15) dos tijolos formam uma passagem senoidal (18) no interior das paredes;

sendo que os tijolos (9a) são unidos verticalmente pelos re feridos parafusos bipartidos (7) e porcas (8) que constituem as hastes, as quais atravessam verticalmente cada parede através dos orifícios secundários (11 , 12) alinhados das fiadas de tijolos,

a edificação (1) compreendendo ainda uma cinta de coroa- mento (4) fixada na superfície superior das paredes (3), a cinta de co- roamento (4) compreendendo orifícios (21) posicionados concentrica- mente com as chaminés (17) dessas paredes; e

um telhado pré-fabricado (5) posicionado na superfície su perior da cinta de coroamento (4).

2. Edificação de acordo com a reivindicação 1 , caracteriza- da pelo fato de que a parede (3) compreende ainda tijolos do tipo can to (9b), em que cada tijolo do tipo canto (9b) compreende um orifício principal central (10), um orifício secundário direito (11), um orifício se cundário esquerdo (12), uma reentrância lateral esquerda (13), uma reentrância lateral direita (14), um rebaixamento da superfície superior (15) e um rebaixamento da superfície inferior, em que uma das reen trâncias laterais (13, 14) fica posicionada na superfície frontal ou na superfície traseira.

3. Edificação de acordo com a reivindicação 1 ou 2, carac- terizada pelo fato de que a parede (3) compreende ainda tijolos do tipo mata canto (9c), em que cada tijolo do tipo mata canto (9c) compreen de um orifício principal central (10), um orifício secundário direito (11), um orifício secundário esquerdo (12), uma reentrância lateral (13), um rebaixamento da superfície superior (15) e um rebaixamento da super fície inferior, em que a superfície lateral oposta à superfície que com- preende a reentrância lateral (13) é uma superfície reta.

4. Edificação de acordo com qualquer uma das reivindica ções antecedentes, caracterizada pelo fato de que a parede (3) com preende ainda tijolos do tipo meio (9d), em que cada tijolo do tipo meio (9d) compreende um orifício secundário (11), uma reentrância lateral (13), um rebaixamento da superfície superior (15) e um rebaixamento da superfície inferior, em que a superfície lateral oposta à superfície que compreende a reentrância lateral (13) é uma superfície reta, e em que o comprimento do tijolo do tipo meio (9d) é metade do comprimen to do tijolo padrão (9a).

5. Edificação de acordo com qualquer uma das reivindica ções antecedentes, caracterizada pelo fato de que a parede (3) com preende ainda tijolos do tipo L (9e), em que cada tijolo do tipo L (9e) compreende um orifício principal (10), três orifícios secundários (11), duas reentrâncias laterais (13, 14), um rebaixamento da superfície su perior (15) e um rebaixamento da superfície inferior, em que o tijolo do tipo L (9e) possui um corpo em forma de“L”.

6. Edificação de acordo com qualquer uma das reivindica ções antecedentes, caracterizada pelo fato de que a parede (3) com preende ainda tijolos do tipo calha (9f), em que cada tijolo do tipo calha (9f) compreende um orifício principal central (10), um orifício secundá rio direito (11), um orifício secundário esquerdo (12), uma reentrância lateral esquerda (13), uma reentrância lateral direita (14), um rebaixa mento da superfície superior (15), um rebaixamento da superfície infe rior e um furo passante horizontal longitudinal (20).

7. Edificação de acordo com qualquer uma das reivindica ções antecedentes, caracterizada pelo fato de que os tijolos (9) com preendidos nas paredes (3) compreendem ainda sulcos (19) nas su perfícies que entram em contato com outros tijolos (9), onde é aplicado poliuretano, em que os sulcos (19) de cada tijolo (9) ficam alinhados com os sulcos (19) dos tijolos (9) verticalmente e lateralmente adjacen tes.

8. Edificação de acordo com qualquer uma das reivindica ções antecedentes, caracterizada pelo fato de que o telhado pré- fabricado (5) compreende treliças de madeira, elementos de ligação e telhas, em que as telhas são posicionadas sobre as treliças de madei ra que são unidas pelos elementos de ligação.

9. Edificação de acordo com qualquer uma das reivindica ções 1 a 7, caracterizada pelo fato de que o telhado pré-fabricado (5) compreende uma laje de concreto pré-moldada.

10. Processo de montagem de uma edificação (1 ) com tijo los pré-fabricados como definida em qualquer uma das reivindicações 1 a 9, caracterizado pelo fato de que compreende as etapas de:

preparar uma laje de fundação (2) com superfície superior horizontal compreendendo meios de recepção (6) de parafusos bipar tidos (7);

montar paredes verticais (3) da edificação (1) com os tijolos pré-fabricados, em que a etapa de montar paredes compreende:

(a) fixar em uma primeira fiada os parafusos bipartidos (7) nos meios de recepção (6) da laje de fundação (2) por meio de ros- queamento,

(b) posicionar os tijolos (9) na primeira fiada conforme uma planta predeterminada para a edificação (1 ), de modo que os parafu sos bipartidos (7) fixados nos meios de recepção (6) da laje de funda ção (2) estejam inseridos nos orifícios secundários (1 1 , 12) dos tijolos (9), e de modo que o encontro da reentrância lateral (13) de um tijolo (9) com a reentrância lateral (14) de um tijolo (9) adjacente forme uma região idêntica à região do orifício principal (10) dos tijolos (9),

(c) inserir prismas (16) nos orifícios principais (10) e nas re giões de encontro das reentrâncias (13, 14) dos tijolos (9), alinhando os tijolos (9) lateralmente adjacentes entre si,

(d) rosquear porcas (8) nas roscas expostas dos parafusos bipartidos (7) até o travamento dos tijolos (9), sendo que metade da rosca da porca (8) continua livre para recepcionar um parafuso (7) de uma fiada superior,

(e) retirar os prismas (16) dos orifícios principais (10) e das regiões de encontro das reentrâncias dos tijolos (13, 14),

(f) fixar parafusos bipartidos (7) na metade livre das porcas

(8) que travam os tijolos (9) da fiada inferior,

(g) posicionar os tijolos (9) na fiada superior com os orifícios secundários (1 1 , 12) recepcionando de forma passante os parafusos bipartidos (7) fixados na rosca (8) da fiada inferior, e de modo que os orifícios principais (10) dos tijolos (9) da dita fiada superior fiquem ali nhados concentricamente com as regiões de encontro das reentrân cias laterais (13, 14) dos tijolos (9) da fiada inferior,

(h) repetir as etapas (c), (d), (e) e (f) para os tijolos (9) posi cionados na etapa (g), e

(i) repetir as etapas (g) e (h) até que a parede (3) atinja a al tura desejada, sendo que os tijolos (9) da fiada superior em uma etapa (g) são os tijolos (9) da fiada inferior na etapa (g) subsequente;

preparar uma cinta de coroamento (4) em todo o perímetro das alvenarias da edificação (1), em que a etapa de preparar a cinta de coroamento (4) compreende:

(j) posicionar blocos calha na superfície superior dos tijolos

(9) da última fiada,

(L) obstruir os orifícios principais (10) e as regiões de encon tro das reentrâncias laterais (13, 14) dos tijolos (9) da última fiada com obstrutores removíveis,

(m) preencher os blocos calha com uma mistura de concre to, e (n) retirar os obstrutores removíveis dos orifícios principais (10) e das regiões de encontro das reentrâncias (13, 14) dos tijolos (9) da última fiada, conectando as chaminés (17) da região interna das paredes (3) com a área externa da edificação; e

posicionar um telhado pré-fabricado (5) na superfície supe rior da cinta de coroamento (4).

11. Processo de acordo com a reivindicação 10, caracteri- zado pelo fato de que compreende uma etapa de aplicar poliuretano em sulcos (19) presentes nas superfícies dos tijolos (9) antes da etapa de posicionar os tijolos (9) na fiada superior.

12. Processo de acordo com a reivindicação 10 ou 11 , ca- racterizado pelo fato de que os tijolos (9) da etapa de montar paredes (3) são selecionados dentre tijolos do tipo padrão (9a), tijolos do tipo canto (9b), tijolos do tipo mata canto (9c), tijolos do tipo meio (9d), tijo- los do tipo“L” (9e) e tijolos do tipo calha (9f), como definidos em qual quer uma das reivindicações 1 a 7.

13. Processo de acordo com qualquer uma das reivindica ções 10 a 12, caracterizado pelo fato de que o telhado pré-fabricado (5) compreende treliças de madeira, elementos de ligação e telhas, em que as telhas são posicionadas sobre as treliças de madeira que são unidas pelos elementos de ligação.

14. Processo de acordo com qualquer uma das reivindica ções 10 a 12, caracterizado pelo fato de que o telhado pré-fabricado compreende uma laje de concreto pré-moldada.

Description:
Relatório Descritivo da Patente de Invenção para "EDIFICAÇÃO COM TIJOLOS PRÉ-FABRICADOS E PROCESSO DE MONTAGEM DESSA EDIFICAÇÃO".

[001] A presente invenção refere-se a uma edificação construída com tijolos pré-fabricados e um processo de montagem da referida edificação com os referidos tijolos pré-fabricados.

DESCRIÇÃO DO ESTADO DA TÉCNICA

[002] Diversas formas de construção de edificações são conheci das do estado da técnica, como, por exemplo, edificações de madeira, concreto armado, aço, tijolos etc. Os tijolos são blocos amplamente utilizados na construção civil e fabricados geralmente em forma de um prisma retangular. Seu posicionamento sequencial em conjunto com argamassas permite a construção de diversos tipos de alvenarias utili zadas na construção de edificações.

[003] Com a evolução dos métodos de construção civil, foram desenvolvidos métodos de construção de edificações com tijolos que dispensam o uso de argamassas. Esses tijolos geralmente apresen tam métodos de se encaixarem uns aos outros para promover a cons trução de paredes de maneira prática e rápida.

[004] Um exemplo de tijolo para construção de edificações que utiliza diferentes meios de encaixe para fixação de um tijolo no outro e que dispensa o uso de argamassas é descrito no documento PI0621718-4. O tijolo descrito em tal documento é um bloco retangular com protuberâncias horizontais e verticais, além de cavidades que permitem encaixes horizontais e verticais com os tijolos adjacentes da parede. O encaixe dos tijolos forma um orifício vertical contínuo onde é instalada uma haste que atravessa toda a altura da parede.

[005] O documento GB 2394730 B também apresenta edifica ções com paredes constituídas por tijolos paralelepipedais, em que os tijolos são fixados por hastes que atravessam orifícios presentes nos tijolos. Os orifícios não utilizados para fixação das hastes permitem a passagem de fiação e tubulação na vertical através das paredes. Esse método de montagem dispensa a utilização de argamassas e facilita a construção da edificação.

[006] No entanto, os tijolos pré-fabricados, como os descritos no estado da técnica, geralmente apresentam superfícies com imperfei ções, o que resulta em paredes com alinhamento defeituoso, tendo em vista que são encaixados e aparafusados. Isso dificulta o processo de construção da edificação, exigindo a presença de mão-de-obra qualifi cada e equipamentos ou métodos de alinhamento para construção das paredes.

[007] Além disso, as edificações constituídas por tijolos cerâmi cos geralmente necessitam de placas de gesso para aumentar a efici ência do isolamento térmico de sua área interna, principalmente quan do localizadas em regiões muito quentes. Como consequência, há um aumento dos custos de construção com material e mão-de-obra espe cializada, além da geração de resíduos e necessidade de eventual manutenção.

OBJETIVOS DA INVENÇÃO

[008] Um objetivo da edificação com tijolos pré-fabricados da presente invenção é possibilitar um isolamento térmico mais eficaz do que o descrito no estado da técnica.

[009] Outro objetivo da edificação da presente invenção é dispo- nibilizar paredes com passagens para fiação e tubulação tanto na ver tical quanto na horizontal.

[0010] Um objetivo do processo de montagem da edificação cons truída com tijolos pré-fabricados da presente invenção é possibilitar uma montagem mais rápida do que a montagem de edificações do es tado da técnica.

[0011] Outro objetivo do processo de montagem da presente in- venção é possibilitar a montagem de uma edificação sem a necessi dade de contratação de mão-de-obra especializada.

[0012] Outro objetivo do processo de montagem da presente in venção é proporcionar um processo de montagem de edificação sem geração de resíduos, garantindo uma obra limpa ao não utilizar arga massa na ligação entre os blocos.

[0013] Outro objetivo do processo de montagem da presente in venção é proporcionar um processo de montagem de edificação sem geração de ruídos.

BREVE DESCRIÇÃO DA INVENÇÃO

[0014] A edificação com tijolos pré-fabricados da presente inven ção compreende uma laje de fundação com superfície superior hori zontal compreendendo meios para recepção de parafusos bipartidos; uma pluralidade de hastes, sendo que cada haste é constituída por uma série de parafusos bipartidos conectados um ao outro por meio de porcas, e a extremidade inferior de cada haste é fixada aos meios de recepção de parafusos bipartidos na laje de fundação; paredes ver ticais fixadas acima da laje de fundação por meio de parafusos, as pa redes verticais compreendendo tijolos pré-fabricados paralelepipedais padrão que compreendem um orifício principal central, um orifício se cundário direito, um orifício secundário esquerdo, uma reentrância la teral esquerda e uma reentrância lateral direita, um rebaixamento da superfície superior e um rebaixamento da superfície inferior, sendo que o orifício principal central e os orifícios secundários desembocam nos rebaixamentos da superfície superior e da superfície inferior.

[0015] A edificação compreende ainda uma cinta de coroamento fixada na superfície superior das paredes, a cinta de coroamento com preendendo orifícios posicionados concentricamente com as chaminés dessas paredes; e um telhado pré-fabricado posicionado na superfície superior da cinta de coroamento. [0016] Na edificação da presente invenção, os tijolos sendo dis postos em fiadas, nas quais: o orifício secundário direito de um tijolo é posicionado concentricamente com o orifício secundário esquerdo de outro tijolo da fiada adjacente, o orifício principal de cada tijolo é posi cionado concentricamente com a união das reentrâncias laterais de dois tijolos vizinhos da fiada adjacente, formando chaminés, uma regi ão oca formada no rebaixamento da superfície superior de um tijolo está em comunicação com uma região oca formada no rebaixamento da superfície inferior de outro tijolo da fiada adjacente, a comunicação de uma pluralidade de regiões ocas dos rebaixamentos dos tijolos for mam uma passagem senoidal no interior das paredes; sendo que os tijolos são unidos verticalmente pelos referidos parafusos bipartidos e porcas que constituem as hastes, as quais atravessam verticalmente cada parede através dos orifícios secundários alinhados das fiadas de tijolos.

[0017] A parede da edificação da presente invenção compreende ainda tijolos do tipo canto, em que cada tijolo do tipo canto compreen de um orifício principal central, um orifício secundário direito, um orifí cio secundário esquerdo, uma reentrância lateral esquerda, uma reen trância lateral direita, um rebaixamento da superfície superior e um re baixamento da superfície inferior, em que uma das reentrâncias late rais fica posicionada na superfície frontal ou na superfície traseira.

[0018] A parede da edificação da presente invenção compreende ainda tijolos do tipo mata canto, em que cada tijolo do tipo mata canto compreende um orifício principal central, um orifício secundário direito, um orifício secundário esquerdo, uma reentrância lateral, um rebaixa mento da superfície superior e um rebaixamento da superfície inferior, em que a superfície lateral oposta à superfície que compreende a re entrância lateral é uma superfície reta.

[0019] A parede da edificação da presente invenção compreende ainda tijolos do tipo meio, em que cada tijolo do tipo meio compreende um orifício secundário, uma reentrância lateral, um rebaixamento da superfície superior e um rebaixamento da superfície inferior, em que a superfície lateral oposta à superfície que compreende a reentrância lateral é uma superfície reta, e em que o comprimento do tijolo do tipo meio é metade do comprimento do tijolo padrão.

[0020] A parede da edificação da presente invenção compreende ainda tijolos do tipo L, em que cada tijolo do tipo L compreende um ori fício principal, três orifícios secundários, duas reentrâncias laterais, um rebaixamento da superfície superior e um rebaixamento da superfície inferior, em que o tijolo do tipo L possui um corpo em forma de“L”.

[0021] A parede da edificação da presente invenção compreende ainda tijolos do tipo calha, em que cada tijolo do tipo calha compreen de um orifício principal central, um orifício secundário direito, um orifí cio secundário esquerdo, uma reentrância lateral esquerda, uma reen trância lateral direita, um rebaixamento da superfície superior, um re baixamento da superfície inferior e um furo passante horizontal longi tudinal.

[0022] Os tijolos da presente invenção compreendidos nas pare des compreendem ainda sulcos nas superfícies que entram em conta to com outros tijolos, onde é aplicado poliuretano, em que os sulcos de cada tijolo ficam alinhados com os sulcos dos tijolos verticalmente e lateralmente adjacentes.

[0023] O telhado pré-fabricado da presente invenção compreende treliças de madeira, elementos de ligação e telhas, em que as telhas são posicionadas sobre as treliças de madeira que são unidas pelos elementos de ligação. Alternativamente o telhado pré-fabricado da presente invenção compreende uma laje de concreto pré-moldada.

[0024] O processo de montagem de uma edificação com tijolos pré-fabricados da presente invenção compreende as etapas de prepa- rar uma laje de fundação com superfície superior horizontal compre endendo meios de recepção de parafusos bipartidos; montar paredes verticais da edificação com os tijolos pré-fabricados; preparar uma cin ta de coroamento em todo o perímetro das alvenarias da edificação; e posicionar um telhado pré-fabricado na superfície superior da cinta de coroamento.

[0025] A etapa de montar paredes da presente invenção compre ende as etapas de: (a) fixar em uma primeira fiada os parafusos bipar tidos nos meios de recepção da laje de fundação por meio de rosque- amento, (b) posicionar os tijolos na primeira fiada conforme uma planta predeterminada para a edificação, de modo que os parafusos biparti dos fixados nos meios de recepção da laje de fundação estejam inse ridos nos orifícios secundários dos tijolos, e de modo que o encontro da reentrância lateral de um tijolo com a reentrância lateral de um tijolo adjacente forme uma região idêntica à região do orifício principal dos tijolos, (c) inserir prismas nos orifícios principais e nas regiões de en contro das reentrâncias dos tijolos, alinhando os tijolos lateralmente adjacentes entre si, (d) rosquear porcas nas roscas expostas dos para fusos bipartidos até o travamento dos tijolos, sendo que metade da rosca da porca continua livre para recepcionar um parafuso de uma fiada superior, (e) retirar os prismas dos orifícios principais e das regi ões de encontro das reentrâncias dos tijolos, (f) fixar parafusos biparti dos na metade livre das porcas que travam os tijolos da fiada inferior,

(g) posicionar os tijolos na fiada superior com os orifícios secundários recepcionando de forma passante os parafusos bipartidos fixados na rosca da fiada inferior, e de modo que os orifícios principais dos tijolos da dita fiada superior fiquem alinhados concentricamente com as regi ões de encontro das reentrâncias laterais dos tijolos da fiada inferior,

(h) repetir as etapas (c), (d), (e) e (f) para os tijolos posicionados na etapa (g), e (i) repetir as etapas (g) e (h) até que a parede atinja a altu- ra desejada, sendo que os tijolos da fiada superior em uma etapa (g) são os tijolos da fiada inferior na etapa (g) subsequente.

[0026] A etapa de preparar a cinta de coroamento da presente in venção compreende: (j) posicionar blocos calha na superfície superior dos tijolos da última fiada, (I) obstruir os orifícios principais e as regiões de encontro das reentrâncias laterais dos tijolos da última fiada com obstrutores removíveis, (m) preencher os blocos calha com uma mistu ra de concreto, e (n) retirar os obstrutores removíveis dos orifícios principais e das regiões de encontro das reentrâncias dos tijolos da última fiada, conectando as chaminés da região interna das paredes com a área externa da edificação

[0027] O processo de acordo com a presente invenção compreen de ainda uma etapa de aplicar poliuretano em sulcos presentes nas superfícies dos tijolos antes da etapa de posicionar os tijolos na fiada superior.

[0028] Além disso, os tijolos da etapa de montar paredes são sele cionados dentre tijolos do tipo padrão, tijolos do tipo canto, tijolos do tipo mata canto, tijolos do tipo meio, tijolos do tipo“L” e tijolos do tipo calha.

[0029] O telhado pré-fabricado do processo de montagem de uma edificação com tijolos pré-fabricados de acordo com a presente inven ção compreende treliças de madeira, elementos de ligação e telhas, em que as telhas são posicionadas sobre as treliças de madeira que são unidas pelos elementos de ligação. Alternativamente o telhado pré-fabricado compreende uma laje de concreto pré-moldada.

BREVE DESCRIÇÃO DOS DESENHOS

[0030] A presente invenção será, a seguir, descrita mais detalha- damente com base em um exemplo de execução representado nos desenhos. As figuras mostram:

[0031] Figura 1 - é uma vista em perspectiva da edificação com tijolos pré-fabricados de acordo com a presente invenção;

[0032] Figura 2 - é uma vista em perspectiva de parte da laje de fundação de acordo com a presente invenção;

[0033] Figura 3 - é uma vista lateral do parafuso bipartido e porca de acordo com a presente invenção;

[0034] Figura 4 - é uma vista em perspectiva da parede de acordo com a presente invenção em um estado parcialmente montado;

[0035] Figura 5.1 - é uma vista superior do tijolo do tipo padrão de acordo com a presente invenção;

[0036] Figura 5.2 - é uma vista superior do tijolo do tipo canto de acordo com a presente invenção;

[0037] Figura 5.3 - é uma vista superior do tijolo do tipo mata can to de acordo com a presente invenção;

[0038] Figura 5.4 - é uma vista superior do tijolo do tipo meio de acordo com a presente invenção;

[0039] Figura 5.5 - é uma vista superior do tijolo do tipo L de acor do com a presente invenção;

[0040] Figura 5.6 - é uma vista superior do tijolo do tipo calha de acordo com a presente invenção;

[0041] Figura 6.1 - é uma vista em perspectiva e em corte da pa rede de acordo com a presente invenção;

[0042] Figura 6.2 - é uma vista frontal e em corte da parede de acordo com a presente invenção;

[0043] Figura 7 - é uma vista em perspectiva da cinta de coroa- mento de acordo com a presente invenção;

[0044] Figura 8 - é um fluxograma das etapas principais de mon tagem da edificação de acordo com a presente invenção;

[0045] Figura 9 - é um fluxograma das etapas de montar as pare des da edificação de acordo com a presente invenção; e

[0046] Figura 10 - é um fluxograma das etapas de preparar a cinta de coroamento da edificação de acordo com a presente invenção.

DESCRIÇÃO DETALHADA DAS FIGURAS

[0047] A Figura 1 mostra uma edificação 1 com tijolos pré- fabricados de acordo com a presente invenção. A edificação compre ende uma laje de fundação 2, paredes verticais 3 fixadas acima da laje de fundação 2, uma cinta de coroamento 4 fixada na superfície superi or das paredes e um telhado pré-fabricado 5 posicionado na superfície superior da cinta de coroamento 4.

[0048] A superfície superior da laje de fundação 2 é preferencial mente horizontal, sendo que a laje compreende meios para recepção 6 de parafusos bipartidos 7. Tal característica pode ser observada na figura 2. Os meios de recepção 6 de parafusos bipartidos 7 são prefe rencialmente porcas fixadas na laje 2 posicionadas de forma que per mita o rosqueamento de parafusos em sua rosca interna. No entanto, os meios de recepção 6 não estão limitados a porcas, podendo se tra tar também de roscas formadas na própria laje 2, orifícios que se adaptam à rosca do parafuso ou outros meios de fixação que resultem no mesmo efeito.

[0049] Os parafusos bipartidos 7 são parafusos cilíndricos que apresentam roscas em ambas as extremidades e estão representados na Figura 3. Quando conectados um ao outro em série por meio de porcas 8, os parafusos bipartidos 7 formam uma haste. A extremidade inferior de cada haste é fixada nos meios de recepção 6 de parafusos bipartidos 7 na laje de fundação 2, fixando, assim, as paredes verticais 3 à laje de fundação 2 sem a necessidade de utilização de argamassa ou outros meios geradores de resíduos. As porcas 8 utilizadas para a formação das hastes são porcas de rosqueamento rápido dimensiona das para recepcionar as extremidades de dois parafusos bipartidos 7. Para isso, essas porcas de rosqueamento rápido 8 possuem um com primento maior do que o comprimento da rosca na extremidade dos parafusos 7, sendo preferivelmente no mínimo o dobro do comprimen to dessas roscas.

[0050] A figura 4 mostra um segmento de uma parede vertical 3 de acordo com a presente invenção que compreende tijolos pré- fabricados paralelepipedais 9. O posicionamento de uma pluralidade de tijolos pré-fabricados 9 em um mesmo plano forma uma fiada e a montagem de uma fiada sobre a outra forma as paredes verticais 3 da edificação. Os tijolos de uma fiada ficam normalmente deslocados em relação aos tijolos das fiadas verticalmente adjacentes acima ou abai xo. Assim, a parte central de um tijolo de uma fiada fica alinhada com as extremidades dos tijolos das fiadas acima e abaixo da mesma.

[0051] Os tijolos pré-fabricados 9 podem apresentar característi- cas distintas dependendo da finalidade de sua utilização ou posicio namento na fiada. O tijolo 9 que compõe a maior parte da parede é o tijolo pré-fabricado padrão 9a que compreende um orifício principal central 10, um orifício secundário direito 11 , um orifício secundário es querdo 12, uma reentrância lateral esquerda 13, uma reentrância late ral direita 14, um rebaixamento da superfície superior 15 e um rebai xamento da superfície inferior (não mostrado), e está representado na Figura 5.1. O orifício principal central 10 e os orifícios secundários di reito 11 e esquerdo 12 são formados na região de rebaixamento das superfícies superior 15 e inferior.

[0052] Uma das finalidades do orifício principal central 10 é facilitar o alinhamento de tijolos 9 posicionados em fiadas adjacentes. Isso porque, a união das reentrâncias laterais 13, 14 de dois tijolos vizinhos forma um orifício idêntico ao orifício principal central 10 dos tijolos 9. Esse alinhamento é realizado por meio de uma barra na forma de um prisma 16 que pode ser inserido tanto nos orifícios principais 10 quan to nas regiões de encontro das reentrâncias 13, 14 dos tijolos 9, ali nhando os tijolos lateralmente adjacentes entre si e os tijolos das fia- das verticalmente adjacentes.

[0053] Como pode ser observado nas Figuras 6.1 e 6.2, o alinha mento vertical dos orifícios principais 10 com as regiões de encontro das reentrâncias 13, 14 dos tijolos 9 forma chaminés verticais 17 no interior de toda a extensão das paredes 3 após a retirada dos prismas 16, os quais são utilizados apenas no momento do alinhamento dos tijolos 9. Essas chaminés 17 melhoram significativamente o isolamento térmico entre as regiões interna e externa da edificação, possibilitando a manutenção de uma temperatura agradável no interior da casa mesmo em dias muito quentes. Isso ocorre porque o calor transferido da região externa para os tijolos 9 é transferido, também, para o ar presente no interior da chaminé 17. Como o ar quente é mais leve do que o ar frio, ele tende a subir, sendo expelido na região superior da parede. No entanto, esse efeito só é alcançado, pois a cinta de coroa- mento 4 da edificação 1 da presente invenção possui características distintas se comparada às cintas de coroamento conhecidas do estado da técnica, como será posteriormente explicado.

[0054] Os orifícios secundários direito 11 e esquerdo 12 são di mensionados para receber os parafusos bipartidos 7 que formam a haste. Em virtude do deslocamento entre os tijolos de fiadas vertical mente da parede da edificação, o orifício secundário direito 1 1 de um tijolo 9 é posicionado concentricamente com o orifício secundário es querdo 12 de outro tijolo da fiada adjacente. Ao posicionar um tijolo sobre o outro, o parafuso bipartido 7 é inserido em um dos orifícios se cundários 11 , 12, sendo rosqueado na porca 8 posicionada abaixo do referido orifício secundário 11 , 12. Após o alinhamento com os prismas 16, a rosca superior exposta do parafuso bipartido 7 recebe a porca 8 que é rosqueada até o travamento do tijolo 9, sendo que metade da rosca interna da porca 8 continua livre para recepcionar um parafuso 7 de uma fiada superior e continuar a montagem da parede 3. [0055] Os rebaixamentos 15 das superfícies superior e inferior de vem ser dimensionados de forma que seja possível posicionar pelo menos uma porca 8 entre dois tijolos 9, ou seja, o tamanho da profun didade de cada rebaixamento 15 deve ser pelo menos metade do comprimento da porca 8 utilizada para formar a haste. Além disso, a parede 3 deve ser montada de modo que uma região oca formada pe lo rebaixamento 15 de um tijolo esteja em comunicação com uma regi ão oca formada pelo rebaixamento 15 da superfície oposta de outro tijolo da fiada adjacente. Essa característica de montagem das pare des 3 permite a formação de uma comunicação entre as regiões ocas dos tijolos, em que a comunicação de uma pluralidade de regiões ocas dos rebaixamentos dos tijolos forma uma passagem senoidal 18 no interior das paredes, a qual é mostrada pelas setas na figura 6.2.

[0056] A formação das passagens senoidais permite o fluxo de ar em uma direção horizontal no interior das paredes 3. Como pode ser visto na figura 6.2, essas passagens senoidais 18 interligam todas as chaminés verticais 17 presentes no interior das paredes 3, uma vez que os orifícios principais 10 desembocam justamente nos rebaixa mentos 15 dos tijolos. Sendo assim, diferentemente das passagens formadas no interior de paredes descritas no estado da técnica, caso uma chaminé 17 seja bloqueada por qualquer motivo, como a presen ça de tubulação ou uma avaria estrutural, o fluxo de ar da referida chaminé 17 não é interrompido, mas desviado através das passagens senoidais 18 para outras chaminés 17, garantindo um isolamento tér mico eficaz do interior da edificação 1.

[0057] Outra vantagem das passagens senoidais 18 é a possibili dade de passar fiação entre quaisquer duas fiadas das paredes 3 da edificação 1 sem a necessidade da criação de uma passagem horizon tal especificamente para esse propósito. Portanto, é dispensada a ne cessidade de quebrar paredes para a criação de uma nova passagem de fiação após a finalização da edificação.

[0058] Em suma, as passagens senoidais 18 presentes no interior das paredes 3 viabilizam a construção das hastes a partir dos parafu sos bipartidos 7 e das porcas de rosqueamento rápido 8 durante o processo de construção da edificação 1 , devido à região oca formada entre as fiadas que permite o posicionamento das porcas 8. Isso elimi na a necessidade de uso de hastes metálicas de longas com compri mentos definidos, cujo transporte é complicado, e as quais limitam a altura da edificação. A construção da haste a partir de porcas e para fusos permite que o construtor determine a altura desejada para a edi ficação da forma que preferir.

[0059] Essas passagens senoidais 18 também aumentam a efici ência do isolamento térmico da região interna da edificação 1 e permi tem a passagem de fiações no interior das paredes de forma prática e rápida.

[0060] O tijolo padrão 9a compreende ainda sulcos estreitos 19 nas superfícies que ficam alinhados com os sulcos 19 dos outros tijo los 9 horizontalmente e verticalmente adjacentes, formando canais. Nesses sulcos 19 é aplicado poliuretano com o intuito de vedar a regi ão interna da casa da região externa, protegendo a região interna con tra a entrada de elementos indesejados como poeira, água, luz, ruído, vento, etc. Ao ser aplicado, o poliuretano reage instantaneamente com a umidade do ar, expandindo em até 80 vezes o seu volume original, proporcionando uma característica de estanqueidade às paredes 3 da edificação 1. Os canais formados pelos sulcos 19 permitem que esse poliuretano seja aplicado de forma simples, por exemplo, com bomba dosificadora, pois o poliuretano uma vez aplicado escoa através dos sulcos por dentro do canal, sem a formação de resíduos, diferente mente do que acontece com o uso de argamassa.

[0061] Outra característica que garante a estanqueidade da edifi- cação 1 é o fato dos tijolos 9 possuírem propriedades hidrofugantes, devido ao acréscimo de materiais hidrofugantes à própria composição do tijolo 9. As propriedades hidrofugantes dos tijolos 9 impedem a pe netração de água nas paredes e preservam a pintura externa da edifi cação em boas condições durante longos períodos de tempo.

[0062] Além do tijolo pré-fabricado padrão 9a, a parede da edifica ção 3 da presente invenção compreende, também, tijolos pré- fabricados com características específicas para uso em posições es tratégicas. Tais tijolos apresentam basicamente as mesmas caracterís ticas descritas acima para os tijolos padrão 9a e o mesmo principio de montagem, porém com detalhamentos diferenciados.

[0063] O tijolo do tipo canto 9b, mostrado na Figura 5.2, possui as mesmas características do tijolo padrão 9a com a diferença de que uma das reentrâncias laterais 13 está posicionada na superfície frontal ou traseira, ao invés da superfície lateral. Essa característica permite posicioná-lo nas arestas da edificação 1 criando um ângulo de 90° en tre duas paredes 3, garantindo a formação da chaminé vertical 17 on de a reentrância 13, 14 de um tijolo padrão 9a encontra a superfície frontal ou traseira do tijolo do tipo canto 9b.

[0064] O tijolo do tipo mata canto 9c, mostrado na Figura 5.3, tam bém possui as mesmas características do tijolo padrão 9a, no entanto, esse tijolo possui reentrância lateral 14 em apenas um dos lados, for mando uma superfície reta na outra lateral. Esse tijolo é utilizado em extremidades de paredes externas ou internas, dando acabamento às regiões onde serão instaladas portas e janelas. As portas e janelas são instaladas na edificação de forma convencional como conhecido do estado da técnica e, portanto, as reentrâncias 13, 14 do tijolo pa drão 9a poderiam prejudicar essa instalação.

[0065] O tijolo do tipo meio 9d, mostrado na Figura 5.4, é equiva lente à metade de um tijolo do tipo canto 9b e também é utilizado em extremidades das paredes externas ou internas. Esse tijolo é posicio nado em fiadas diferentes das que utilizam o tijolo do tipo canto 9b, pois, como os tijolos que compõem a parede 3 encontram-se desloca dos em meio tijolo para fiadas adjacentes, o tijolo do tipo meio 9d ga rante que a superfície de encaixe das portas e janelas seja uma super fície reta.

[0066] O tijolo do tipo L 9e, mostrado na Figura 5.5, é equivalente a um tijolo do tipo padrão 9a, porém com uma continuação semelhante a um tijolo do tipo meio 9d se estendendo a partir da superfície frontal ou traseira, de modo a formar um corpo essencialmente em forma de “L”. Esses tijolos são posicionados em regiões onde as paredes inter nas da casa encontram as paredes externas, garantindo uma fixação mais robusta entre as paredes.

[0067] O tijolo do tipo calha 9f, mostrado na Figura 5.6, é um tijolo com as mesmas características do tijolo do tipo padrão 9a, porém com um furo passante horizontal longitudinal 20. Esse furo 20 permite a passagem de tubulações, cintas e vergas quando não for possível uti lizar as passagens senoidais 18 presentes nas paredes 3.

[0068] Na Figura 7 é possível observar que, ao longo de todo o perímetro da edificação e acima das paredes 3 da edificação 1 da pre sente invenção, é fixada uma cinta de coroamento 4 para amarração das alvenarias. Essa cinta de coroamento 4 é composta, preferencial mente, por uma mistura de concreto fluido bem acentuado com granu- lometria fina, constituído por cimento, areia, pedrisco e água. No en tanto, outras misturas com efeitos semelhantes também podem com por a cinta de coroamento 4.

[0069] A cinta de coroamento 4 compreende orifícios verticais passantes 21 posicionados concentricamente com as chaminés verti cais 17 das paredes 3. Essa característica é essencial para permitir que o ar quente que sobe pelas chaminés 17 seja expelido pela região superior das paredes 3, garantindo o isolamento térmico da região in terna da edificação 1. Sem os orifícios 21 da cinta de coroamento 4, não haveria uma circulação adequada do ar através das passagens senoidais 18 e das chaminés verticais 17 das paredes, pois o ar quen te ficaria enclausurado no interior das paredes 3 prejudicando o isola mento térmico.

[0070] Para a criação dos orifícios 21 da cinta de coroamento 4 faz-se necessário obstruir os orifícios principais 10 e as regiões de en contro das reentrâncias laterais 13, 14 dos tijolos 9 da última fiada com um obstrutor removível. O obstrutor removível pode ser qualquer ele mento similar ao prisma de alinhamento ou um tubo comum que per mita obstruir os orifícios principais 10 e as regiões de encontro das re entrâncias laterais 13, 14 quando a cinta de coroamento 4 for prepara da, para evitar o entupimento das chaminés 17 com a mistura de con creto que constitui a cinta de coroamento 4. Além disso, o obstrutor removível deve ter um comprimento maior que a altura da cinta de co roamento 4 garantindo que o orifício 21 da cinta de coroamento 4 seja um orifício passante.

[0071 ] Para o preparo da cinta de coroamento 4, blocos calha (moldes) são posicionados na superfície superior dos tijolos da última fiada. Em seguida, os orifícios principais 10 e as regiões de encontro das reentrâncias laterais 13, 14 dos tijolos 9 da última fiada são obstru ídos com os obstrutores removíveis, e os blocos calha são preenchi dos com a mistura de concreto. Após o endurecimento do concreto, os obstrutores removíveis podem ser retirados criando uma conexão en tre as chaminés 17 da região interna das paredes com a área externa da edificação. Por fim, os blocos calha devem ser retirados.

[0072] Acima da cinta de coroamento 4 da edificação da presente invenção, encontra-se o telhado pré-fabricado 5 que compreende treli- ças de madeira, elementos de ligação e telhas. Os elementos de liga- ção são preferencialmente de aço galvanizado e permitem a união das treliças de madeira sem o uso de pregos, parafusos, colas ou enta lhes. As telhas são posicionadas sobre as treliças de madeira e são encaixadas utilizando práticas já conhecidas do estado da técnica.

[0073] Alternativamente, o telhado 5 da edificação 1 pode ser composto por uma laje de concreto pré-moldada impermeabilizada com membrana vinílica e cobertura de argamassa, para proteção me cânica da membrana. A laje de concreto pré-moldada pode ser ainda revestida com cerâmica antiderrapante de alta resistência.

[0074] A figura 8 apresenta as etapas do processo de montagem da edificação com tijolos pré-fabricados da presente invenção. O pro cesso de montagem da edificação compreende as etapas de:

[0075] preparar uma laje de fundação com superfície superior ho rizontal compreendendo meios de recepção de parafusos bipartidos;

[0076] montar paredes verticais da edificação com os tijolos pré- fabricados;

[0077] preparar uma cinta de coroamento em todo o perímetro das alvenarias da edificação; e

[0078] posicionar um telhado pré-fabricado na superfície superior da cinta de coroamento.

[0079] A etapa de montar parede compreende as seguintes sub- etapas apresentadas na Figura 9:

(a) fixar em uma primeira fiada os parafusos bipartidos nos meios de recepção da laje de fundação por meio de rosqueamento,

(b) posicionar os tijolos na primeira fiada conforme uma planta predeterminada para a edificação, de modo que os parafusos bipartidos fixados nos meios de recepção da laje de fundação estejam inseridos nos orifícios secundários dos tijolos, e de modo que o encon tro da reentrância lateral de um tijolo com a reentrância lateral de um tijolo adjacente forme uma região idêntica à região do orifício principal dos tijolos

(c) inserir prismas nos orifícios principais e nas regiões de encontro das reentrâncias dos tijolos, alinhando os tijolos lateralmente adjacentes entre si e os tijolos,

(d) rosquear porcas nas roscas expostas dos parafusos bi partidos até o travamento dos tijolos, sendo que metade da rosca da porca continua livre para recepcionar um parafuso de uma fiada supe rior,

(e) retirar os prismas dos orifícios principais e das regiões de encontro das reentrâncias dos tijolos,

(f) fixar parafusos bipartidos na metade livre das porcas que travam os tijolos da fiada inferior,

(g) posicionar os tijolos na fiada superior com os orifícios secundários recepcionando de forma passante os parafusos bipartidos fixados na rosca da fiada inferior, e de modo que os orifícios principais dos tijolos da dita fiada superior fiquem alinhados concentricamente com as regiões de encontro das reentrâncias laterais dos tijolos da fia da inferior,

(h) repetir as etapas (c), (d), (e) e (f) para os tijolos posicio nados na etapa (g), e

(i) repetir as etapas (g) e (h) até que a parede atinja a altura desejada, em que os tijolos da fiada superior em uma etapa (g) são os tijolos da fiada inferior na etapa (g) subsequente.

[0080] Adicionalmente, a etapa de montar parede compreende também uma sub-etapa de aplicar poliuretano nos sulcos presentes nas superfícies dos tijolos antes da etapa de posicionar os tijolos na fiada superior. Essa vedação com poliuretano tem como finalidade ve dar a região interna da casa da região externa, protegendo a região interna contra a entrada de elementos indesejados como poeira, água, luz, ruído, vento, etc., conforme já descrito anteriormente. [0081] Já a etapa de preparar a cinta de coroamento compreende as seguintes sub-etapas apresentadas na Figura 10:

(j) posicionar blocos calha na superfície superior dos tijolos da última fiada das paredes da edificação,

(I) obstruir os orifícios principais e as regiões de encontro das reentrâncias laterais dos tijolos da última fiada com obstrutores removíveis,

(m) preencher os blocos calha com uma mistura de concre to, e

(n) retirar os obstrutores removíveis dos orifícios principais e das regiões de encontro das reentrâncias dos tijolos da última fiada, conectando as chaminés da região interna das paredes com a área externa da edificação.

LISTAGEM DE REFERÊNCIAS

edificação 1

laje de fundação 2

parede vertical 3

cinta de coroamento 4

telhado 5

meios de recepção 6

parafusos bipartidos 7

porcas 8

tijolos pré-fabricados 9

tijolo pré-fabricado padrão 9a

tijolo do tipo canto 9b

tijolo do tipo mata canto 9c

tijolo do tipo meio 9d

tijolo do tipo L 9e

tijolo do tipo calha 9f

orifício principal 10 orifício secundário direito 11

orifício secundário esquerdo 12 reentrância lateral esquerda 13 reentrância lateral direita 14

rebaixamento 15

prisma 16

chaminé vertical 17

passagem senoidal 18

sulcos 19

furo passante horizontal longitudinal 20 orifícios verticais passantes 21