Login| Sign Up| Help| Contact|

Patent Searching and Data


Title:
MECHANISM FOR REMOTE ACTUATION OF A PICKUP TRUCK BED COVER USED ON MOTOR VEHICLES
Document Type and Number:
WIPO Patent Application WO/2016/011516
Kind Code:
A1
Abstract:
Mechanism for remote actuation of a pickup truck bed cover used on motor vehicles comprising a main body (1) formed from a frame (2) formed by lateral (3) and front (4) fixed guide profiles and transverse shafts (P), characterized in that the lateral (3) and front (4) profiles accommodate a cable (21) that slides in primary (22) and secondary (23) sheaves arranged on the front vertex (24) of the frame (2), affixed onto aligning journal supports (25), the rear ends (26) of the cable (21) being inserted in the sliding guide supports (27), where same are affixed by pressure from the screws (28), continuing on to return sheaves (29) arranged in the rear section (30) of the lateral guides (3) which receive, at the rear ends (31) thereof, covers (32) provided on the inner faces (33) with oblong channels (34) that terminate in blind holes (35) for coupling of linking pins (35'), provided with compression springs (36) arranged on supports (37) and linked via a cable (38), accommodated, on the interior of the sliding drive guide profile (39) and actuated by the lever (40) provided with retraction sheaves (41), the supports (37) being coupled to the ends (42) of the sliding drive guide profile (39) and linked to articulatable arms (43) affixed to the sliding guide supports (27), there being, in the lower section (44) of the lateral fixed guide profiles (3), journal bearings (45) that promote affixing of the frame (2) to the cab structure, whilst the transverse shafts (P) are provided, at the ends (46) thereof, with guides (47) provided internally with bungs (48) coupled in the channels (49) of the lateral fixed guide profiles (3).

Inventors:
MENDONÇA DOS REIS ADEMILSON (BR)
Application Number:
BR2014/000259
Publication Date:
January 28, 2016
Filing Date:
July 30, 2014
Export Citation:
Click for automatic bibliography generation   Help
Assignee:
MENDONÇA DOS REIS ADEMILSON (BR)
International Classes:
B60J7/02
Foreign References:
BR0205929A2004-08-03
BRMU8801416U22009-12-01
BRMU8702803U2008-10-28
BR8301884U2005-04-12
Attorney, Agent or Firm:
INTERAÇÃO MARCAS E PATENTES S/C LTDA (BR)
Download PDF:
Claims:
001 REIVINDICAÇÃO

002 1 - "MECANISMO PARA ACIONAMENTO REMOTO DE CAPOTA MARÍTIMA APLICADA EM VEÍCULOS AUTOMOTORES", compreendido por um corpo principal (1) formado a partir de um quadro (2) formado por perfis guias fixos laterais (3) e anterior (4) e hastes transversais (P), caracterizado pelo quadro (2) receber em seu vértice dianteiro (5) um suporte (6), sob o qual é posicionado é fixado um motor de passo (7), cujo eixo (8) é inserido em um furo passante de forma a recebe na face superior (10) uma engrenagem (1 1) que aciona uma corrente (12) que estende-se em ângulo reto envolvendo polias primarias (13) e (13') fixadas nos eixos de rotação (14), seguindo para as polias secundarias (9) e (9') fixadas nos eixos de tensionamento (15) dos esticadores primário (16) e secundário (16') tensionados por molas (M), sendo que dita corrente (12) contorna com um ângulo de abraçamento uma roldana guia inferior (17) do conjunto de transição (18), seguindo de forma embutida nos perfis guias fixos laterais (3), sendo a corrente próximo ao extremo traseira (19) de um dos perfis guias fixos laterais (3), recebe um adaptador (20) para união de um cabo (21) que é inserido no suporte guia corrediço (22) onde é fixado por esmagamento por parafusos (23), seguindo para uma roldana de retorno primaria (24) disposta na seção traseira (25) da guia lateral, dito suporte corrediço (22) é fixado no perfil guia motriz deslizante (26) por parafusamento, enquanto o cabo (20) retorna em um movimento contrário a seção dianteira (27) deslizando pela roldana guia superior (28) do conjunto de transição primário (18), seguindo a corrente pela roldana de apoio (65), enquanto o cabo (21) segue para o conjunto de transição secundário (18'), onde desliza pela roldana superior (28') e a corrente (12) pela roldana guia inferior (17'), seguindo para uma roldana de retorno secundaria (29) disposta na seção traseira (25) da guia lateral, onde é inserido no suporte corrediço (22) é fixado por esmagamento por parafusos (23), sendo o extremo dianteiro (30) do cabo (21) unido a corrente (21) através de um adaptador (20), sendo as hastes transversais (P) deslizantes, enquanto o motor de passo (7) é ligado à uma central de sinal remoto codificada, que por sua vez é conectada ao sistema elétrico do veículo, provendo a corrente necessária para o acionamento do mesmo.

2 - "MECANISMO PARA ACIONAMENTO REMOTO DE CAPOTA MARÍTIMA APLICADA EM VEÍCULOS AUTOMOTORES", de acordo com a reivindicação 1 caracterizado pela guia motriz deslizante (26) promover por arraste o deslocamento longitudinal das hastes transversais deslizantes (P) na abertura e fechamento da capota.

Description:
001 "MECANISMO PARA ACIONAMENTO REMOTO DE CAPOTA MARÍTIMA APLICADA EM VEÍCULOS AUTOMOTORES".

002 Refere-se o presente pedido de patente de invenção a um "MECANISMO PARA ACIONAMENTO REMOTO DE CAPOTA MARÍTIMA APLICADA EM VEÍCULOS AUTOMOTORES", que foi desenvolvida com a finalidade de proporcionar um equipamento dotado de um sistema remoto automatizado que permite a abertura e o fechamento de capotas marítimas aplicada em veículos utilitários acionada por um cabo e uma corrente, comandadas por um motor de passo, sendo dita capota passível de ser utilizada em diferentes modelos e fabricantes de veículos de forma automática e remota.

Estado Técnica

003 Conforme é do conhecimento da técnica, estas capotas convencionais são constituídas por uma moldura composta por módulos de perfil metálico convenientemente fixados nas bordas laterais e frontal da carroceria ou caçamba do veiculo, e por uma cobertura flexível e impermeável, a qual é fixada de forma tencionada na dita moldura através de diversos dispositivos de fechamento, tais como correias, fechos em velcro, botões., etc.

004 Entretanto, apesar de eficiente, o principal inconveniente apresentado por qualquer uma destas formas usuais de fixação da cobertura na moldura consiste dificuldade de fechamento da cobertura e, mais ainda, no tempo gasto pelo usuário para tal operação, uma vez que o mesmo tem que engatar, apertar e fechar todas as correias, velcros ou os botões etc, o que consome um tempo considerável.

005 Em alguns casos, o proprietário pode fixar na caçamba do veículo uma capota alta, nivelada com a cabina, para proteger a carga que está sendo transportada. Entretanto, em algumas situações especiais pode ser de interesse do motorista retirar a capota, a fim de permitir o transporte de um volume maior.

006 Os proprietários dos veículos utilitários podem ainda empregar uma lona plana, ou tampão rígido, que é disposto diretamente sobre o topo das paredes laterais da caçamba com a finalidade estética, de proteção contra a intempérie e/ou para evitar o efeito de arrasto aerodinâmico.

007 A colocação ou retirada da capota ou do tampão rígido é um serviço especializado que exige ferramentas, esforço físico e conhecimento técnico específico, necessitando tempo e recursos para a sua realização. Já a colocação ou retirada da lona plana exige habilidade para não danificá-la, o que ocorre com frequência.

008 Como dito anteriormente as capotas, mais utilizadas atualmente, compreendem a cobertura propriamente dita confeccionada em lona ou outro material impermeável, sendo que as bordas, através de correias com fivelas, são retidas em garras laterais previstas junto às bordas das laterais

009 e parte posterior de carroceria e que conformam a caçamba de carga.

010 Todavia tal construção merece diversos reparos, uma vez que a capota ficando sujeita a diferentes trações nas correias com fivelas, acaba por apresentar ondulações, rompimento das correias, além das fivelas utilizadas serem dotadas de dentes que pressionam as correias, esse tencionamento não e efetuado com uma força constante em cada ponto ocasionando diversos ondulações na capota.

01 1 Mais ainda, dada a área de cobertura, mormente quando da ocorrência de chuvas, a tendência da capota é de acumular a água, sendo que o empoçamento, pelo peso, tem como consequência a deformação da cobertura de lona flexível, causando indesejáveis problemas, de natureza estética, de peso e de durabilidade da mencionada capota. 012 A patente PI 9203566 em suas linhas gerais consiste a novidade em se aplicar barras tubulares nas bordas laterais e traseira da carroceria, sendo previstas em tais barras suportes metálicos a elas solidários e passíveis de fixação na mesma furação, já presente nos locais das usuais garras laterais, peças estas que originalmente se apresentam com o veículo; mais ainda, é prevista a aplicação de uma barra especial transversal, aplicada na parte mediana da carroceria e que se presta para a sustentação local da cobertura, propriamente dita.

013 A patente PI 0502819-1 trata de uma capota, cujos perfis laterais da moldura passaram a apresentar respectivas calhas longitudinais, destinadas a receber o encaixe da corresponde borda lateral a cobertura, bordas estas que, por sua vez, passaram a apresentar-se dotadas de tira reforçada nelas fixada por costura ou outro meio apropriado, sendo que o encaixe destas últimas nas correspondentes calhas ocorre automaticamente quando do esticamento da cobertura.

014 Adicionalmente, por sua vez, o perfil frontal da moldura passou a apresentar uma aba em "L" voltada para baixo a qual configura meio de fixação deste perfil na parede posterior da cabine do veículo, e também elemento de vedação da capota, aba esta que delimita em canal interno ao perfil, no interior do qual se aloja a borda posterior dâ cobertura, a qual é internamente provida de elemento retentor, que impede o escape desta borda do interior do perfil.

015 A patente PI 0602255-3 trata de um sistema de substituição das capotas e equipamentos para veículos utilitários através do simples apoio e encaixe de dois perfis de cada lado do veículo que se sobrepõem, sendo o travamento por meio de fechadura automotiva.

016 O dispositivo compreende um perfil inferior (1) que é fixado adequadamente sobre a aba de topo (2) da parede lateral (3) de uma caçamba convencional de veículo utilitário. Sobre o perfil inferior (1) desliza e se encaixa um perfil superior (4), no qual está fixada a base da capota ou equipamento a ser montada na caçamba. Os perfis (1 e 4) possuem seção transversal em "L" com abas inferior vertical (1 1 e 41) e superior horizontal (12 e 42). O perfil inferior (1) é dotado de um rolete (13), junto a sua extremidade anterior, um recorte anterior (14), um recorte posterior em rampa (15), uma fechadura automotiva (16) junto ao recorte anterior (14) e um orifício (17) para aplicação de um cadeado.

017 O perfil superior (4) é fixado adequadamente sob a base de uma capota genérica (não ilustrada) a ser montada sobre as paredes laterais da caçamba (3), que possui um rolete posterior (43) para deslizamento sobre o perfil inferior (1), um pino de travamento (44) que se engata na fechadura automotiva (16) do perfil inferior, uma rampa traseira (45) para encaixe do rolete do perfil inferior (13) e um orifício (46) que coincide com o orifício do perfil inferior (17) para aplicação de cadeado de segurança.

018 A patente PI0800507-9 refere-se a uma capota retrátil para veículos utilitários que pode ser utilizada na posição elevada, nivelada com a cabina, ou retraída, nivelada com a caçamba, onde a capota é formada por um painel vertical dianteiro ( 1), que é apoiado na caçamba e contornado por uma aba (2), um teto da capota formado por dois painéis estreitos (4) que ladeiam um painel central (3), por um painel basculante que forma a porta traseira (5) e por laterais (6) basculantes na caçamba.

019 O movimento de elevação do teto (3 e 4) e do basculamento da porta traseira (5) da capota é obtido através do giro dos fusos verticais (7), que são dotados de mancais nas suas extremidades. Uma manivela (8) é prevista para o giro de um dos fusos (7). Os dois fusos verticais (7) são sincronizados através de um eixo horizontal transversal (9), posicionado pelo lado interno da base da capota. Um eixo vertical central (10) é também animado pelo eixo transversal (9) e transmite a rotação para um fuso longitudinal (1 1) posicionado sob o painel central (3) do teto que é responsável pelo basculamento da porta traseira (5) da capota. Esse fuso (11) faz a travessa superior (12) deslocar-se para frente e para trás, provocando o basculamento da tampa traseira.

020 Um fuso horizontal (13), paralelo ao eixo transversal (9) e acionado pela manivela (8), desloca os mancais dos braços pivotantes (14) fazendo bascular as laterais da capota (6). Guias transversais (15), posicionados sob as porções anterior e posterior do teto, controlam o movimento de aproximação e afastamento dos dois painéis estreitos (4) do teto da capota em conjunto com as hastes inclinadas (37). Este movimento destina-se a adaptar a largura do teto da capota que é menor que a largura da caçamba. Trilhos arqueados (16), solidários a superfície inferior do teto da capota, controlam o deslocamento dos painéis estreitos (4), na medida em que a travessa superior (12) se desloca para o basculamento da porta traseira (5), animada pelo fuso longitudinal (1 1).

021 A patente PI0800720-9 trata de um suporte aplicado em capota marítima que por um lado recebe e fixa a estrutura metálica da referida capota, possuindo por outro lado um retentor para correia que estica a capota marítima e por fim um passa corda destinado a prender cargas no interior da caçamba do veículo.

022 É objetivo do presente pedido prover um equipamento que permiti a abertura e fechamento de capotas de forma automatizada, assim após longo período de teste e estudos o inventor desenvolveu a "MECANISMO PARA ACIONAMENTO REMOTO DE CAPOTA MARÍTIMA APLICADA EM VEÍCULOS AUTOMOTORES", compreendido por um corpo principal formado a partir de um quadro formado por perfis guias fixos laterais e anterior e hastes transversais, caracterizado pelo quadro receber em seu vértice dianteiro um suporte, sob o qual é posicionado é fixado um motor de passo, cujo eixo é inserido em um furo passante de forma a recebe na face superior uma engrenagem que aciona uma corrente que estende-se em ângulo reto envolvendo polias primarias fixadas nos eixos de rotação seguindo para as polias secundarias fixadas nos eixos de tensionamento dos esticadores primários e secundários tensionados por molas, sendo que dita corrente contorna com um ângulo de abraçamento uma roldana guia inferior do conjunto de transição primário, seguindo de forma embutida nos perfis guias fixos laterais, sendo a corrente próximo ao extremo traseira de um dos perfis guias fixos laterais recebe um adaptador para união de um cabo que é inserido no suporte guia corrediço, onde é fixado por esmagamento por parafusos, seguindo para uma roldana de retorno primaria disposta na seção traseira do da guia lateral, o dito suporte corrediço é fixado no perfil guia motriz deslizante também por parafusamento, dito cabo retorna a seção dianteira em um movimento contrário, deslizando pela roldana guia superior do conjunto de transição primário, seguindo a corrente por uma roldana guia de apoio, enquanto o cabo segue para o conjunto de transição secundário, onde desliza pela roldana superior e a corrente pela roldana guia inferior, seguindo para uma roldana de retorno secundaria disposta na seção traseira do da guia lateral, retornando o cabo de aço para o dito suporte corrediço com uma união parafusada na guia motriz que é fixado no perfil guia motriz deslizante onde é fixado por esmagamento por parafusos, seu extremo dianteiro é unido a corrente através de um adaptador, o motor de passo é ligado a uma central de sinal remoto codificado, que por sua vez é conectado ao sistema elétrico do veículo, que proverá a corrente necessário para o acionamento do sistema. Uma vez acionado o sistema, a guia motriz será recolhida ao longo das guias laterais, onde estão localizadas hastes transversais que suportam e sustentam a lona flexível e impermeável, ao se deslizar ao longo das guias laterais, a guia motriz carrega as hastes transversais em seu percurso, resultando na abertura da lona.

023 Para que se possa obter uma perfeita compreensão do que fora desenvolvido, são apensos desenhos ilustrativos aos quais fazem-se referências numéricas em conjunto com uma descrição pormenorizada que se segue, onde a:

024 A Figura 1 mostra uma vista em perspectiva do mecanismo completo.

025 A Figura 2 mostra uma vista em perspectiva do mecanismo sem as guias laterais e anterior.

026 A Figura 3 mostra uma vista em perspectiva do mecanismo sem as guias laterais.

027 A Figura 4 mostra uma vista em perspectiva do mecanismo completo aludindo o motor.

028 A Figura 5 mostra uma vista em perspectiva do detalhe do mecanismo de acionamento.

029 A Figura 6 mostra uma vista em perspectiva do detalhe do mecanismo de acionamento em ângulo oposto.

030 A Figura 7 mostra uma vista em perspectiva do detalhe do conjunto de transição secundário.

031 A Figura 8 mostra uma vista em perspectiva do detalhe interno do suporte guia corrediço.

032 A Figura 9 mostra uma vista em perspectiva do detalhe externo do suporte guia corrediço.

033 Como ilustram as figuras e em seus pormenores "MECANISMO PARA ACIONAMENTO REMOTO DE CAPOTA MARÍTIMA APLICADA EM VEÍCULOS AUTOMOTORES", compreendido por um corpo principal (1) formado a partir de um quadro (2) formado por perfis guias fixos laterais (3) e anterior (4) e hastes transversais (P), caracterizado pelo quadro (2) receber em seu vértice dianteiro (5) um suporte (6), sob o qual é posicionado é fixado um motor de passo (7), cujo eixo (8) é inserido em um furo passante de forma a recebe na face superior (10) uma engrenagem (1 1) que aciona uma corrente (12) que estende-se em ângulo reto envolvendo polias primarias (13) e (13') fixadas nos eixos de rotação (14), seguindo para as polias secundarias (9) e (9') fixadas nos eixos de tensionamento (15) dos esticadores primário (16) e secundário (16') tensionados por molas (M), sendo que dita corrente (12) contorna com um ângulo de abraçamento uma roldana guia inferior (17) do conjunto de transição (18), seguindo de forma embutida nos perfis guias fixos laterais (3), sendo a corrente próximo ao extremo traseira (19) de um dos perfis guias fixos laterais (3), recebe um adaptador (20) para união de um cabo (21) que é inserido no suporte guia corrediço (22) onde é fixado por esmagamento por parafusos (23), seguindo para uma roldana de retorno primaria (24) disposta na seção traseira (25) da guia lateral, dito suporte corrediço (22) é fixado no perfil guia motriz deslizante (26) por parafusamento, enquanto o cabo (20) retorna em um movimento contrário a seção dianteira (27) deslizando pela roldana guia superior (28) do conjunto de transição primário (18), seguindo a corrente pela roldana de apoio (65), enquanto o cabo (21) segue para o conjunto de transição secundário (18'), onde desliza pela roldana superior (28') e a corrente (12) pela roldana guia inferior (17'), seguindo para uma roldana de retorno secundaria (29) disposta na seção traseira (25) da guia lateral, onde é inserido no suporte corrediço (22) é fixado por esmagamento por parafusos (23), sendo o extremo dianteiro (30) do cabo (21) unido a corrente (21) através de um adaptador (20), sendo as hastes transversais (P) deslizantes, enquanto o motor de passo (7) é ligado à uma central de sinal remoto codificada, que por sua vez é conectada ao sistema elétrico do veículo, provendo a corrente necessária para o acionamento do mesmo. 034 Diante do descrito é dado a perceber que a "MECANISMO PARA ACIONAMENTO REMOTO DE CAPOTA MARÍTIMA APLICADA EM VEÍCULOS AUTOMOTORES" traz enormes vantagens, pois a base estrutural do conjunto é formada por uma guia frontal, guias laterais e guia motriz (posterior), as guias são fixadas a carroceria da veiculo por meio de suportes de fixação, sem a necessidade de furação da lataria do veículo, a guia frontal é seccionado na extremidade direita para a fixação do sistema motriz e na outra extremidade para a união com a guia lateral esquerda, no espaço entre as abas do perfil passam o cabo e a corrente, responsáveis pela transmissão de movimento do motor para a guia motriz.

035 As guias laterais em sua face externa detém uma inclinação onde ocorre o deslizamento das hastes de suporte com a interface Guia/Haste, na parte interna na segunda ranhura do perfil passam o cabo e a corrente com o seu ponto de retorno na parte posterior do perfil.

036 São nos perfis laterais que o sistema de fixação do conjunto a carroceria será aplicado, esse sistema de fixação é universal e a união é parafusada, o que garante facilidade e agilidade na instalação ou remoção do conjunto.

037 Na parte frontal direita do conjunto, fixado por meio de rebites a frio na guia frontal e guia lateral direita, vai o sistema de acionamento mecânico do equipamento. O sistema de acionamento é composto por um motor de passo, suporte para o motor de passo, esticadores e roldana de transição.

038 O motor de passo é ligado à uma central de sinal remoto codificada, que por sua vez é conectada ao sistema elétrico do veículo, provendo a corrente necessária para o acionamento do motor. A transmissão de força do motor para o sistema se dá nos dois sentidos, tanto no sentido horário quanto no sentido anti-horário, esse movimento circular é transformado em movimento retilíneo uniforme pelo conjunto de engrenagem, corrente, roldanas e esticadores. 039 As duas polias de polímeros a base de nylon e material grafitado dispostas nos esticadores, são compostas por uma polia fixa no eixo de rotação e uma segunda no eixo de tensionamento, a tensão constante no esticador é garantida por uma mola de extensão fixada na extremidade do esticador e na aba do suporte do motor.

040 Em seguida a corrente passa pela roldana de transição do lado direito do suporte do motor, que mudará o sentido da corrente de elos e do cabo de aço em 90° em relação ao eixo de trabalho do motor, para que a corrente e o cabo de aço possam se deslocar pelas guias laterais, essa roldana de transição é fixada ao suporte do motor por um eixo fixo, nesse eixo esta disposto o conjunto de roldanas de transição, uma roldana para a corrente e uma roldana para cabo de aço. A segunda roldana de transição fica no lado esquerdo do suporte, segue o mesmo princípio de funcionamento da roldana de transição direita, porém, o sentido de movimentação da corrente e cabo de aço permanecem inalterados.

041 Para a mudança de sentindo da corrente e do cabo de aço na guia lateral esquerda verifica-se uma cantoneira mancai, fixada em um eixo onde é posicionada um conjunto de roldanas de transição do lado direito, esse mancai também serve para mudar o sentido de operação da corrente de elos e do cabo de aço, para que os mesmos deslizem pela guia lateral direita, a fixação desse mancai é por rebites a frio.

042 A corrente de elos e o cabo de aço que transferem o movimento retilíneo do motor para a guia motriz na parte posterior do conjunto, passando pelas guias laterais, sofre uma transição de sentido. Esta transição de sentido ocorre de forma sincronizada de movimento, pois a corrente é ligada ao cabo de aço na extremidade, o cabo de aço passa por uma guia corrediça e é ligado a mesma por parafusos, causando uma interferência por esmagamento do cabo, esse sistema corrediços unido ao cabo de aço é o que garante a transferência de movimento da corrente e cabo para a guia motriz, o mesmo esquema de aparafusamento do cabo de aço na guia corrediça é utilizado para prender o fixador da guia motriz, unido a guia motriz por rebites a frio, essa guia motriz é responsável pelo recolhimento da lona. Na parte posterior das guias laterais está fixado uma roldana de retorno, limitando a transição do cabo de aço e fazendo com que o cabo de aço retorne para a guia frontal, sincronizando o acionamento.

043 A estabilização da lona no sistema se dá através das hastes de suporte, essas hastes de suporte estão livres para se movimentarem em um único sentido no plano da cobertura, que é o sentido longitudinal do sistema, as hastes deslizam na ranhura externa das guias laterais por meio da peça de travamento guias/haste. Nessa mesma peça a lona é fixada por meio de rebites a frio para que ocorra o recolhimento e o fechamento, além de limitar o deslocamento das hastes de suporte pelas guias laterais, mantendo, assim, a lona esticada. A lona é fixada na guia frontal, servindo com ponto de referência do sistema.

044 Assim, quando o motor é acionado para abrir a capota, a guia motriz deslizante se desloca sobre as guias laterais para o sentido dianteiro da caçamba, e por arraste promove o deslizamento das hastes transversais, no sentido contrario para o fechamento a guia motriz deslizante se desloca sobre as guias laterais para a traseira da caçamba e pelo estiramento da capota desloca as hastes.

045 Por ser inovador e até então não compreendidas no estado da técnica que se enquadra perfeitamente dentro dos critérios que definem a patente de invenção. São as seguintes suas reivindicações.