Login| Sign Up| Help| Contact|

Patent Searching and Data


Title:
NDFEB MAGNET RECYCLING IN AN ACID MEDIUM
Document Type and Number:
WIPO Patent Application WO/2015/089608
Kind Code:
A1
Abstract:
The invention, NdFeB magnet recycling in an acid medium, pertaining to the field of hard magnets or magnetic bodies made of inorganic materials containing elements of the lanthanide group in the form of microparticles consisting of micrometric grains, relates to Nd-Fe-B magnet recycling in an acid medium, more specifically by leaching of these magnets with hydrochloric acid and nitric acid solutions, and selective precipitation of Nd3+ ions as neodymium oxalate and the subsequent conversion thereof in neodymium oxide by a thermal treatment, and the recovery of the hydrogen gas generated in the process and of the copper used to coat the magnets.

Inventors:
PÉRIGO, Élio Alberto (Av. Prof. Almeida Prado, 532Butantã, -901 São Paulo, 05508, BR)
FREDERICCI, Catia (Av. Prof. Almeida Prado, 532Butantã, -901 São Paulo, 05508, BR)
TSUBAKI, Tomoe Oide (Av. Prof. Almeida Prado, 532Butantã, -901 São Paulo, 05508, BR)
MENOSSI, Marilia Santos (Av. Prof. Almeida Prado, 532Butantã, -901 São Paulo, 05508, BR)
MARTIN, Ramon Valls (Av. Prof. Almeida Prado, 532Butantã, -901 São Paulo, 05508, BR)
SILVA, André Luiz Nunis da (Av. Prof. Almeida Prado, 532Butantã, -901 São Paulo, 05508, BR)
LANDGRAF, Fernando José Gomes (Av. Prof. Almeida Prado, 532Butantã, -901 São Paulo, 05508, BR)
Application Number:
BR2014/000448
Publication Date:
June 25, 2015
Filing Date:
December 19, 2014
Export Citation:
Click for automatic bibliography generation   Help
Assignee:
INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLOGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO S/A - IPT (Av. Prof. Almeida Prado, 532Butantã, -901 São Paulo, 05508, BR)
International Classes:
C08J11/20; C22B59/00
Foreign References:
US20130263699A12013-10-10
US5362459A1994-11-08
Other References:
HOOGERSTRAETE, T.V. ET AL.: "From NdFeB magnets towards the rare- earth oxides: a recycling process consuming only oxalic acid''.", vol. 4, 14 November 2014 (2014-11-14), pages 6 4099., Retrieved from the Internet [retrieved on 20150603]
Attorney, Agent or Firm:
OLIVEIRA, Nereide de (Av. Prof. Almeida Prado, 532Butantã, -901 São Paulo, 05508, BR)
Download PDF:
Claims:
REIVINDICAÇÕES

1. RECICLAGEM DE IMÃS NdFeB EM MEIO ÁCIDO, caracterizado por ataque à liga NdFeB tal qual com solução de ácido clorídrico e recuperação do gás hidrogénio formado; filtração da solução resultante para retirada de cobre de revestimento originário da liga NdFeB; adição de ácido nítrico concentrado à solução e aquecimento até que os vapores nitrosos sejam expelidos e evaporação até que forme um xarope líquido viscoso; diluição do xarope formado com água e neutralização da solução com hidróxido de amónio; aquecimento da solução até a fervura e adição de ácido oxálico; aguardar completa precipitação do oxalato de neodímio e filtrar; lavagem do precipitado de oxalato de neodímio com solução mistura de ácido oxálico e ácido clorídrico; e, submissão do acetato de neodímio a tratamento térmico para obtenção de óxido de neodímio.

2. RECICLAGEM DE IMÃS NdFeB EM MEIO ÁCIDO, de acordo com a reivindicação 1 , caracterizado por ataque à liga NdFeB tal qual com solução de HCI (37%), na proporção mínima 1 :7 em massa, em temperatura variando de 20 a 40 °C, pressão ambiente e agitação de 20 a 100 rpm.

3. RECICLAGEM DE IMÃS NdFeB EM MEIO ÁCIDO, de acordo com a reivindicação 1 , caracterizado por adição de HNO3 concentrado (65% em peso), nas proporções de 1 : 5 até 5: 2 em massa á solução, em agitação de 20 a 100 rpm, e aquecimento em temperatura variando de 80 a 150 °C, e aquecimento até que os vapores nitrosos sejam expelidos e evaporação até que forme um xarope líquido viscoso;

4. RECICLAGEM DE IMÃS NdFeB EM MEIO ÁCIDO, de acordo com a reivindicação 1 , caracterizado por diluição do xarope formado com água até pH próximo a 6,5 e neutralização da solução com hidróxido de amónio;

5. RECICLAGEM DE IMÃS NdFeB EM MEIO ÁCIDO, de acordo com a reivindicação 1 , caracterizado por aquecimento da solução neutralizada até a fervura, e adição de ácido oxálico (12%) na proporção 0,4:1 ,0 em volume, em agitação de 20 a 100 rpm, e deixar a solução em agitação e aquecimento em temperatura variando de 20 a 80 °C, por 20 a 60 minutos.

6. RECICLAGEM DE IMÃS NdFeB EM MEIO ÁCIDO, de acordo com a reivindicação 1 , caracterizado por descanso da solução até completa precipitação, filtração dessa solução e lavagem do precipitado com solução mistura de ácido oxálico (2%) e 1% de solução HCI (37%).

7. RECICLAGEM DE IMÃS NdFeB EM MEIO ÁCIDO, de acordo com a reivindicação 1 , caracterizado por submissão do precipitado lavado a tratamento térmico à temperatura de 600 até 1000 ÕC, decompondo os ânions oxalato e formando óxido de neodímio.

Description:
RECICLAGEM DE IMÃS NdFeB EM MEIO ÁCIDO

01. A presente invenção, pertencente ao setor de ímãs ou corpos magnéticos duros de materiais inorgânicos contendo elementos do grupo dos lantanídeos na forma de micropartículas formada com grãos em escala micrométrica, refere-se à reciclagem de imãs de Nd-Fe-B em meio ácido, mais especificamente por meio da lixiviação desses imãs com soluções de ácido clorídrico, ácido nítrico e precipitação seletiva de íons Nd 3+ como oxalato de neodímio, e a captação do gás hidrogénio (H 2 ) gerado no processo.

ESTADO DA TÉCNICA

02. Ao longo das últimas três décadas o composto magnético Nd2Fe B tornou-se indispensável em diversas áreas estratégicas para a sociedade humana, tais como geração de energia e comunicações.

03. A produção de ímãs tem aumentado continuamente, atingindo 80.000 toneladas em 2010. Como resultado, tem-se observado uma crescente preocupação com relação a sua reciclagem devido ao aumento da quantidade de material rejeitado e o preço dos elementos terras raras, assim como reduzir o grau de dependência dos países exportadores de compostos contendo terras raras.

04. O reprocessamento do composto à base da fase magnética Nd 2 Fei 4 B pode, em princípio, apresentar dois objetivos distintos: a elaboração de novos produtos e a recuperação elementar. Em relação ao primeiro, há a possibilidade de se preparar absorvedores de radiação eletromagnética, ímãs ou nanopartículas para serem utilizados para a hipertermia magnética (ITOH, M. et ai "Recycle of rare earth sinter magnet powder scraps as electromagnetic wave absorbers in gigahertz range", J. AM. Compd. 451 ; pags. 507-509; 2008; ZAKOTNIK, M.; HARRIS.I. R.; WILLIAMS, A. J.; "Multiple recycling of NdFeB- type sintered magnets", J. AH. Compd. 469 pags. 314-321 ; 2009; PERIGO, E. A.; SILVA, S. C. da; MARTIN, R. V.; TAKIISHI, H.; LANDGRAF, F. J. G.; "Properties of hydrogenation-disproportionation-dessorption-recombination NdFeB powders prepared from recycled sintered magnets", J. App. Phys. 111 ; 2012 art. 07A725; EISCH, O. G.; GClTH, K.; WOODCOCK, T. G.; SCHULTZ, L; "Recycling used Nd- Fe-B sintered magnets via a hydrogen-based route to produce anisotropic resin bonded magnets", Adv. Energ. Mater. 3 pags. 151-155; 2013; PÉRIGO, E. A. et al., "Properties of nanoparticles prepared from NdFeB-based compound for magnetic hyperthermia application", Nanotech. 23 art. 175704; 2012; BINNEMANS, K. et al., "Recycling of rare earths: a criticai review", J. Clean. Product. 51 , pags. 1-22; 2013; TANAKA, M.; OKI, T.; KOYAMA, K.; NARITA, H.; OISHI, T.; "Recyling of rare earths from scraps" in ΒϋηζΝ, J. C. G. and Pecharsky, V. K. Handbook on the Physics and Chemistry of Rare Earths vol. 43 págs. 159-2 1 ; 2013). Quanto à recuperação elementar, a extração do neodímio de uma liga Nd-Fe-B pode ser realizada por meio de processos distintos, conforme detalhado em BINNEMANS, K. et al., "Recycling of rare earths: a criticai review", J. Clean. Product. 51 , pags. 1-22; 2013; TANAKA, M.; OKI, T.; KOYAMA, K.; NARITA, H.; OISHI, T.; "Recyling of rare earths from scraps" in Bunzli, J. C. G. and Pecharsky, V. K. Handbook on the Physics and Chemistry of Rare Earths vol. 43 págs. 159-21 ; 2013).

05. LYMAN, J.W. e PLAMER, G.R. (LYMAN, J.W. e PLAMER, G.R. - "Recycling of Neodymium Iron Boron Magnetic Scrap", Bureau of Mines, EUA, 1993, 36 pags) mostram o interesse, desde a década de 1990, na recuperação de sucatas com terras raras. Tais autores propuseram o método de dissolução do imã com a fase magnética Nd 2 Fei 4 B por meio de H 2 SO seguido pela precipitação de neodímio como sal duplo. Os autores descrevem a dissolução da sucata de Nd 2 Fei 4 B com H 2 SO 4 na relação 1 :2 sucata/ácido e a manutenção de pH abaixo de 1 ,0 para evitar a oxidação do Fe 2+ para Fe 3+ . A presença de íons Fe 3+ é indesejável porque se precipita como sulfato férrico que, assim como o sulfato de neodímio (Nd 3+ ), apresenta baixa solubilidade em água, contaminando o sal de neodímio. A adição de NaOH ou NH 4 OH ao sulfato de neodímio favorece a precipitação dos sais duplos Nd(SO 4 ) 3 .Na 2 SO 4 .6H 2 O; Na(NdSO 4 ).nH 2 O (0≤ n < 1); Nd 2 (NH )2(SO ) .8H 2 O e NH 4 Nd(S0 )24H 2 0 que são tratados com HF para a formação de NdF 3 , sendo a recuperação máxima de Nd superior a 95%. Esses autores também analisaram a precipitação seletiva de oxalato de neodimio, mas relatam que a excessiva quantidade de ferro (Fe/Nd = 14/2) tende a interferir na precipitação do oxalato de neodimio contaminando o precipitado e a pureza do metal de terra rara recuperado.

06. O documento US 5.429.724 apresenta um processo de recuperação de neodimio de subprodutos da fabricação de imãs com ligas NdFeB, mostrando que o método apresenta como principais problemas o sulfato de neodimio não cristalizar adequadamente a partir de soluções aquosas e que não é possível a obtenção de um produto puro. Além disso, o tratamento do sulfato de neodimio com HF também apresenta alguns problemas, já que o NdF 3 contém significativa quantidade de umidade e deve ser seco em atmosfera de HF e, ainda, o processo provoca sérios problemas ambientais no local de trabalho e exige cuidados no controle da poluição do ar. A partir dessas considerações, é apresentado um método mais simples e menos poluente, mas que apresenta muitas etapas. Ao contrário do processo de Lyman e Palmer, o documento revela a utilização de solução alcalina no início do processo de recuperação de neodimio. A moagem da mistura de sucata de imã NdFeB com NaOH é utilizada para a formação de Nd 2 O 3 , mas que também oxida uma pequena quantidade de Fe metálico para formar Fe 2 O 3 . No entanto, a maior parte do ferro metálico não é oxidada e é separada magneticamente. Em seguida, a solução é filtrada para a recuperação de NaOH, que pode ser reutilizada no processo. O precipitado filtrado é tratado com ácido acético formando Nd(C2H 3 O2) 3 , Fe 3 (CH 3 COO) 6 (CH 3 COO) 3 e Fe 2 O 3 . Com solubilidade de 260 g/L de Nd(C2H 3 O 2 ) 3 em água à temperatura ambiente, a solução é filtrada para a remoção do Fe 2 O 3 residual, sendo em seguida solução evaporada para a cristalização de Nd(C 2 H 3 O 2 ) 3 e descarte de um licor resultante concentrado em Fe 3 (CH 3 COO) 6 (CH 3 COO) 3 e com resíduo Nd(C 2 H 3 O 2 ) 3 . Aos cristais de Nd(C 2 H 3 O2)3 é adicionada solução de HF para a formação de NdF 3 e restauração de ácido acético, que pode ser reaproveitado no processo. Por meio da filtração da solução separa-se o ácido dos cristais de NdF 3 e o fluoreto de neodímio é seco utilizando o processo de micro-ondas, que excita somente as moléculas de água, secando o sal sem gerar qualquer gás tóxico. O licor concentrado em Fe 3 (CH 3 COO)6(CH3COO)3, contendo ainda resíduo de d(C2H 3 02) 3 , é tratado com ácido oxálico e o acetato de neodímio é convertido em oxalato de neodímio (Nd 2 (C 2 0 3 )3). O oxalato de neodímio é então tratado com HF para formação de NdF 3 e regeneração de ácido acético.

07. O documento relata que as dificuldades na recuperação de neodímio de imãs NdFeB são de ordem técnica e teórica, sendo que as dificuldades práticas estão relacionadas com a distribuição do ferro nas ligas NdFeB, havendo a necessidade da solubilização do imã para separação do Fe e Nd, e como dificuldade teórica relata o fato de que os lantanídeos liberam hidrogénio quando em contato com água ou soluções ácidas. No entanto, o documento sugere como primeira etapa do processo a reação:

2Nd + 3 H 2 0→ Nd 2 0 3 + 3H 2 (1)

08. Essa reação ocorre em meio de moagem, o que é um complicador do processo devido à liberação de gás em um sistema fechado.

09. O documento mostra a preocupação em regenerar os ácidos utilizados no processo, mas não cita a possibilidade de captação de H 2 , gás utilizado em várias sínteses em processos industriais. Além de o processo do documento apresentar várias etapas, não é citato o grau de pureza e o teor de recuperação de neodímio.

010. Em fins do século passado foi estudada a cristalização fracionada de sulfato de neodímio e sulfato de ferro em materiais contendo Nd-Fe com H 2 S0 4 no intervalo de 0 a 80 °C, sabendo-se que o aumento de temperatura tem efeito no aumento da solubilidade de FeS0 4 e diminuição drástica na solubilidade de Nd 2 (S0 4 )3 e que a adição de etanol à solução contendo ácido sulfúrico e neodímio reduz a solubilidade do sulfato de neodímio. Os autores obtiveram sulfato de neodimio hidratado com pureza de 96,8% e recuperação de 97,1% de Nd de sucata de Nd-Fe-B.

011. Tanaka et al (TANAKA, M.; OKI, T.; KOYAMA, K.; NARITA, H.; OISHI, T.; "Recyling of rare earths from scraps" in Βϋηζϋ, J. C. G. and Pecharsky, V. K. Handbook on the Physics and Chemistry of Rare Earths vol. 43 págs. 159 e 212; 2013) analisaram o processo oxidação-lixiviação seletiva de sucatas de imãs Nd-Fe-B. Para verificar a possibilidade de lixiviar seletivamente o neodimio de imãs, esses foram tratados a 900 °C por 6 h e então lixiviados com solução 0,02 kmol/m 3 de HCI a 180 °C por 2 horas. Koyama et al[ KOYAMA, K., KITAJIMA, A e TANAKA, M. - Rare Earths, 54, 2007, 36] relatam que 99% das terras raras foram lixiviadas.

012. Itakura et al (ITAKURA, T.; SASAO R.; ITOH, H. Journal of Alloys and Compounds 408-412 1382-1385; 2006) pesquisaram o tratamento hidrotermal de sucatas de NdFeB usando mistura de ácido clorídrico com ácido oxálico para a recuperação de neodimio como oxalato de neodimio. Tratamentos hidrotermais foram realizados em recipientes mantidos em um forno por 2 a 24 h em temperaturas entre 100 e 200 °C. Nestas condições, a pressão no recipiente selado foi estimada em aproximadamente 1 ,0 a 15,6 atm. As condições otimizadas foram tratamento a 110 °C por 6 horas, concentração de HCI de 3 kmol/dm 3 e concentração de ácido oxálico de 0,2 kmol/dm 3 . Como resultado, mais de 99% de Nd foi recuperado do imã como Nd2(C2O 4 )3 com pureza de 99,8%. No entanto, ITAKURA eí al não comentam o fato de tratar o imã diretamente com ácido e formação de H 2 em tubos selados; também, não fica claro o fato de o níquel, que faz parte do recobrimento do imã estudado por eles, não precipitar juntamente com o neodimio formando um sal insolúvel de oxalato de níquel NiC 2 O 4 .2H 2 O (solubilidade: 3.9811x10 "10 a 20 °C).

013. Algumas patentes foram depositadas no período de 2003 a 2012 tratando da reciclagem de imãs NdFeB, mas com o intuito de recuperar o pó e utiliza-lo para a fabricação de um novo imã. 014. O documento US 6.533.837 - Method for Recovering and Recycling Magnetic Powder from Rare Earth Bond Magnet, trata de um método de recuperação do pó magnético pelo tratamento de NdFeB com solvente como tetralina, naftaleno, 1 ,4-hidroxinaftaleno, naftol, bifenilo, 2-hexanona, acetonilacetona, e ciclohexanona, e aquecimento a 230 °C. Para evitar a degradação do pó magnético o ar é substituído por nitrogénio, hélio ou argônio e a pressão é reduzida para 10 "2 torr. O pó recuperado é misturado com um segundo pó magnético para a fabricação de um novo imã.

015. O documento WO 2912072989 - Magnetic Recycling propõe um método de recuperação de misturas de pós magnéticos, como NdFeB e SmCos, utilizados em microcomputadores, telefones celulares, motores e alto-falantes por exemplo. O método é baseado na reação dos compostos magnéticos com gás hidrogénio (H 2 ), sendo que as diferentes condições necessárias para a reação de NdFeB e SmCos com H 2 permite a separação seletiva dos pós. Após separados, caso o pó NdFeB tenha baixa contaminação com Sm, ele pode ser reutilizado na produção de novos imãs a base de NdFeB.

016. A novidade e atividade inventiva de "RECICLAGEM DE IMÃS NdFeB EM MEIO ÁCIDO" consiste em uma etapa de dissolução com ácido nítrico para reduzir todo ferro presente na formulação do imã para Fe 3+ para não interferir na precipitação do Nd 3+ .

017. Na dissolução somente com ácido clorídrico, há uma tendência de sobrar Fe 2+ devido ao equilíbrio F 3+ - Fe 2+ . O Nd é precipitado com ácido oxálico, formando Nd 2 (C 2 O4)3, que é calcinado acima de 600°C para a formação de Nd 2 O 3 . Caso haja Fe 2+ residual, este também é precipitado como FeC 2 O 4 .2H 2 O, cuja solubilidade é 0,008 g/L, diminuindo a pureza na recuperação do neodímio. O ácido nítrico favorece a formação de Fe 3+ .

018. Ainda, é incluída a retirada de cobre de revestimento, no início do processo, visto que o HCI não dissolve esse metal, aumentando a pureza do neodímio. DESCRIÇÃO DAS FIGURAS

019. A Figura 1 mostra o difratograma de raios X do precipitado de Nd2(C2O4)3 obtido no Exemplo, onde (a) Difratograma do precipitado de Nd2(C2O4)3 e (b) resultado da duplicata.

020. A Figura 2 mostra o resultado de difração de raios X do precipitado de oxalato obtido no Exemplo, tratado a 800 °C/2h, onde (a) Difratograma do precipitado de oxalato de neodímio e (b) resultado da duplicata.

021. A Figura 3 mostra o resultado da análise de microscopia eletrônica de varredura (MEV) e de espectroscopia de energia dispersiva (EDS) do imã antes da dissolução em ácido no Exemplo.

022. A Figura 4 apresenta microfotografia e o difratograma do pó resultante do tratamento térmico do oxalato de neodímio a 600 °C/2h, do Exemplo, indicando a presença de todos os picos relacionados com Nd2O 3 .

DESCRIÇÃO DETALHADA DA INVENÇÃO

023. Inicialmente a liga NdFeB tal qual, contendo o recobrimento, é atacada com solução de HCI (37%), na proporção mínima 1 :7 em massa, preferencialmente na proporção 1 :15 em massa, em temperatura variando de 20 a 40 °C, preferencialmente 25 °C, pressão ambiente e agitação de 20 a 100 rpm, preferencialmente de 50 rpm. Nesta etapa ocorre a reação:

2Nd 2 Fe 14 B + 102HCI 2 NdCI 3 + 28FeCI 3 + BCI 3 + 51 H 2 (Equação 1)

024. O cloreto de boro se dissocia em:

BCI 3 + 3H 2 O <-> B(OH) 3 + 3HCI (Equação 2)

025. Nesta etapa o gás hidrogénio, gerado conforme a Equação 1 , pode ser coletado e reaproveitado como combustível ou armazenado. Como o cobre não é atacado pela solução de HCI, e tanto o neodímio como o ferro estão dissolvidos na solução, nessa etapa do processo o resíduo de cobre existente no revestimento da liga original é retirado por filtração, podendo também ser reaproveitado.

026. Em seguida, é adicionado à solução HN0 3 concentrado (65% em peso), nas proporções de 1 : 5 até 5: 2 em massa, em agitação de 20 a 100 rpm, preferencialmente de 50 rpm e aquecimento em temperatura variando de 80 a 150 °C, preferencialmente 120 °C, para garantir que todo o ferro esteja na forma de Fe 3+ , visando sua complexação com íons oxalato, já que se o ferro estiver presente como Fe + poderá ocorrer a formação de FeC 2 0 4 .2H 2 0 com baixa solubilidade (0,008g/L a 20°C) e contaminar o precipitado de oxalato de neodímio. Esperar até que os vapores nitrosos sejam expelidos e deixar evaporar até que forme um xarope líquido viscoso.

027. Em seguida, diluir o xarope com água até pH próximo a 6,5 e neutralizar a solução com hidróxido de amónio.

028. Nesta etapa ocorrem as reações:

NdCI 3 + 3NH 4 OH <-» Nd(OH) 3 + 3 NH 4 CI (Equação 3)

FeCI 3 + 3NH 4 OH <r> Fe(OH) 3 + 3 NH 4 CI (Equação 4)

029. Após a neutralização, aquecer a solução até a fervura e adicionar ácido oxálico (12%) na proporção 0,4:1 ,0 em volume, preferencialmente 0,56:1 ,0, em agitação constante de 20 a 100 rpm, preferencialmente 50 rpm. Deixar a solução em agitação e aquecimento constantes, em temperatura variando de 20 a 80 °C, preferencialmente 60 °C, por 20 a 60 minutos, preferencialmente cerca de 40 minutos. A solução ficará verde com um precipitado claro.

030. Nesta etapa ocorrem a reação de precipitação do Nd(C 2 0 4 ) 3 e a complexação do íon Fe 3+ pelo ânion oxalato:

2Nd(OH) 3 + 3C 2 H 2 0 4 <-> Nd 2 (C 2 0 4 ) 3 + 6H 2 0 (Equação 5) Fe(OH) 3 + 3C 2 H 2 0 4 → Fe[(C 2 0 4 ) 3 ] 3 - + 3H + + 3H 2 0 (Equação 6)

031. Deixar a solução descansar até completa precipitação e filtrar, preferencialmente à vácuo, essa solução, em seguida lavar o precipitado com solução mistura de ácido oxálico (2%) e 1% de solução HCI (37%). Esta etapa é essencial para a purificação do oxalato de neodímio, pois se ainda restarem íons Fe 3+ contaminando a solução, estes serão complexado com ácido oxálico, passando para a solução e deixando o precipitado livre da presença residual de íons férrico.

032. Finalmente, o oxalato de neodímio, já purificado do ferro, é submetido a tratamento térmico à temperatura de 600 até 1000 °C, preferencialmente de 800 °C, decompondo os ânions oxalato e formando óxido de neodímio, de acordo com a equação:

Nd 2 (C 2 O 4 ) 3 → Nd 2 0 3 + 3 CO + 3 CO 2 (Equação 7)

EXEMPLO

033. Pesar 2 gramas, aproximadamente, da liga NdFeB sem retirar o recobrimento e atacá-la com 16 mL de HCI (1 :1). Recuperar o gás hidrogénio formado e proceder à filtração da solução para recuperação do cobre não dissolvido.

034. Em seguida, é adicionado à solução 10 mL de HNO 3 concentrado em agitação constante e aquecimento a 120 °C. Esperar até que os vapores nitrosos sejam expelidos e deixar evaporar até que forme um xarope. Diluir a solução para cerca de 250 mL e neutralizar com NH 4 OH, aproximadamente 20 mL.

035. Aquecer a solução até a fervura e adicionar 150 mL de ácido oxálico (12%). Deixar a solução em agitação e aquecimento constantes por cerca de 40 minutos. A solução ficará verde com um precipitado claro. 036. Deixar a solução descansar até que todo o precipitado esteja no fundo do béquer. Filtrar à vácuo essa solução e lavar o precipitado que ficou no papel filtro com mais 10 mL de solução 2% de ácido oxálico e 1% de solução HCI

37%.

037. O teor de Nd obtido foi de 93,0 %

038. A Figura 3 mostra o resultado da difração de raios X da primeira etapa de dissolução do imã com a fase magnética Nd 2 Fei 4 B com ácidos HCI, HNO3 e H2C2O4. O difratograma indica que a fase precipitada é Nd2(C20 4 )3-

039. A Figura 4 apresenta o difratograma do pó resultante do tratamento térmico do oxalato de neodímio a 600 °C/2h, indicando a presença de todos os picos relacionados com Nd 2 0 3 .