Login| Sign Up| Help| Contact|

Patent Searching and Data


Title:
SELF-SERVICE SYSTEM IN SUPERMARKETS, CHEMISTS AND RETAIL ESTABLISHMENTS IN GENERAL AND SELF-SERVICE METHOD
Document Type and Number:
WIPO Patent Application WO/2019/100125
Kind Code:
A1
Abstract:
The present invention patent application relates to a self-service system for the automatic sale of miscellaneous products in supermarkets and similar establishments, as well as to a method for the automatic sale of products. Said system is practical, innovative and secure, generating confidence in the purchaser and the vending establishment alike, making the purchasing process quicker, providing easy access for clients and ensuring against potential fraud. The purchased products are fully monitored and checked by a monitoring centre connected to high-precision digital scales that compare the weight of the products to the reference code thereof, and a verification system that compares the image of the product being purchased with an archive image. The client selects the products they want to purchase in purchasing stations fitted with two scales (5) and (10), a camera (4), a video monitor (1), an infrared barrier (8), a sealing machine (9), a bar code card scanner (3) and a bar code scanner (2). After the initial steps, the weight recorded on the scales (5) and the image generated by the camera (4) are checked and the product then has to be moved to the plastic bag in the second station, where the weight is checked on the scales (10) and the plastic bag is sealed.

Inventors:
DUQUE, Marco Antonio (Rua Major Francisco de Paula Elias, 330 apto 113 - Vila Adyana, -320 São José dos Campos, 12245-320, BR)
Application Number:
BR2017/050358
Publication Date:
May 31, 2019
Filing Date:
November 23, 2017
Export Citation:
Click for automatic bibliography generation   Help
Assignee:
DUQUE, Marco Antonio (Rua Major Francisco de Paula Elias, 330 apto 113 - Vila Adyana, -320 São José dos Campos, 12245-320, BR)
International Classes:
G07G1/00; B65B51/00; G06Q20/20; G07G3/00
Foreign References:
US5992570A1999-11-30
US4909356A1990-03-20
US20140052555A12014-02-20
Attorney, Agent or Firm:
ROSA, Aida (Rua Cardoso Júnior, 280/402 - Laranjeiras, -000 Rio de Janeiro, 22245-000, BR)
Download PDF:
Claims:
REIVINDICAÇÕES

1. Sistema de "AUTOATENDIMENTO EM SUPERMERCADOS, FARMÁCIAS E ESTABELECIMENTOS DE VAREJO EM GERAL" para venda automática de produtos diversos caracterizado por ser constituído por duas estações, sendo que na primeira estação há uma balança (5) pra registrar o peso do produto, scanner de código de barras (2), câmera (4) para produzir imagens do produto em processo de compra, monitor de vídeo (1) e scanner do cartão de código de barras (3); na segunda estação há uma balança (10) que registra o peso total existente na sacola plástica, suporte (6) para pendurar a sacola plástica de compras, seladora de plástico (9) para fechar a sacola e barreira de luz infravermelha (8) para impedir acesso desautorizado na estação.

2. Sistema de "AUTOATENDIMENTO EM SUPERMERCADOS, FARMÁCIAS E ESTABELECIMENTOS DE VAREJO EM GERAL" para venda automática de produtos diversos conforme reivindicação 1, caracterizado pela balanças (5) e (10) possuírem uma leitura mínima de 1 grama.

3. Sistema de "AUTOATENDIMENTO EM SUPERMERCADOS, FARMÁCIAS E ESTABELECIMENTOS DE VAREJO EM GERAL" para venda automática de produtos diversos conforme reivindicação 1, caracterizado pelos scanners (2) e (3) serem convencionais.

4. Sistema de "AUTOATENDIMENTO EM SUPERMERCADOS, FARMÁCIAS E ESTABELECIMENTOS DE VAREJO EM GERAL" para venda automática de produtos diversos conforme reivindicação 1, caracterizado pelo cartão de código de barras ser similar aos atuais cartões convencionais, que possuem código de barras onde se associa seu número aos produtos adquiridos.

5. Sistema de "AUTOATENDIMENTO EM SUPERMERCADOS, FARMÁCIAS E ESTABELECIMENTOS DE VAREJO EM GERAL" para venda automática de produtos diversos conforme reivindicação 1, caracterizado pela câmera (4) ser como as já existentes no mercado e permitir que seja verificada se a imagem do produto gerada pela mesma sobre a balança (5) corresponde à imagem existente em arquivo para aquele código de barras.

6. Sistema de "AUTOATENDIMENTO EM SUPERMERCADOS, FARMÁCIAS E ESTABELECIMENTOS DE VAREJO EM GERAL" para venda automática de produtos diversos conforme reivindicação 5, caracterizado por haver mais de uma câmera para pegar o produto em posições diferentes.

7. Sistema de "AUTOATENDIMENTO EM SUPERMERCADOS, FARMÁCIAS E ESTABELECIMENTOS DE VAREJO EM GERAL" para venda automática de produtos diversos conforme reivindicação 1, caracterizado pela seladora (9) possuir um articulador (7) com um atuador elétrico acoplado para fechar/selar a sacola plástica.

8. Sistema de "AUTOATENDIMENTO EM SUPERMERCADOS, FARMÁCIAS E ESTABELECIMENTOS DE VAREJO EM GERAL" para venda automática de produtos diversos conforme reivindicação 1, caracterizado pela seladora (9) poder ser ainda máquinas para colocar argolas metálicas, fita adesiva, dentre outras existentes no mercado.

9. Sistema de "AUTOATENDIMENTO EM SUPERMERCADOS, FARMÁCIAS E ESTABELECIMENTOS DE VAREJO EM GERAL" para venda automática de produtos diversos conforme reivindicação 1, caracterizado por ser provido de dispositivo convencional para pagamento por cartão de crédito/debito, bem como papel moeda.

10. Sistema de "AUTOATENDIMENTO EM SUPERMERCADOS, FARMÁCIAS E ESTABELECIMENTOS DE VAREJO EM GERAL" para venda automática de produtos diversos conforme reivindicação 1, caracterizado por poder haver uma catraca que só será liberada por cartão de código de barras zerado.

11. Método para "AUTOATENDIMENTO EM SUPERMERCADOS, FARMÁCIAS E ESTABELECIMENTOS DE VAREJO EM GERAL" para venda automática de produtos diversos que utiliza o sistema da reivindicação 1 caracterizado pelas seguintes etapas: a) o comprador dirige-se para a estação de compras (autoatendimento) existente no ponto de venda, retira uma sacola plástica e a coloca no suporte (6) existente na segunda estação da máquina; b) insere o cartão de código de barras na fenda existente na primeira estação, onde está o scanner (3) do dito cartão que irá liberar a máquina para processar as compras; c) na sequencia o cliente faz a retirada do produto de seu ambiente de guarda e passa no scanner (2) existente na primeira estação para leitura de seu código de barras; d) em seguida coloca o produto na balança (5) existente nessa estação; e) a balança (5) ao ser acionada ativa a câmera (4) existente na primeira estação; f) após a checagem, o sistema libera a compra indicando por sinal luminoso e no monitor de vídeo (1) que o produto deve ser transferido para a sacola plástica que está no suporte (6) na segunda estação; g) após validação e liberação do produto para ser colocado na segunda estação, o processador do sistema anexa a leitura contábil do produto a ser adquirido no número do cartão de código de barras que está sendo "lido" no scanner do cartão de código de barras (3); h) após liberação da transferência do produto para a outra estação, o sistema de barreira de luz infravermelha (8) é desativado e só retorna quando a balança (10) existente na segunda estação acusar a adição de peso; i) o sistema então verifica os pesos; j) ao aprovar, libera o cliente para sequenciar suas compras, sendo que se esta é concluída ou se a sacola plástica locada no suporte (6) não comporta mais produtos, o cliente retira o cartão de código de barras do scanner (3); k) consequentemente, o sistema autoriza a seladora (9) a fechar/selar a sacola plástica; I) assim, a barreira de luz infravermelha (8) é desativada e o cliente então pode retirar a sacola fechada com produtos e coloca ou não, nova sacola vazia no suporte (6) para reinicio do processo.

12. Método para "AUTOATENDIMENTO EM SUPERMERCADOS, FARMÁCIAS E ESTABELECIMENTOS DE VAREJO EM GERAL" para venda automática de produtos diversos conforme reivindicação 11 caracterizado por na etapa d) o sistema conferir se o peso do produto colocado na balança (5) está dentro da tolerância permitida para o peso do produto associado ao código de barras registrado no scanner (2);

13. Método para "AUTOATENDIMENTO EM SUPERMERCADOS, FARMÁCIAS E ESTABELECIMENTOS DE VAREJO EM GERAL" para venda automática de produtos diversos conforme reivindicação 11 caracterizado por na etapa e) o sistema conferir se a imagem do produto produzido por uma ou mais câmeras (4) sobre a balança (5) corresponde à imagem existente em arquivo para aquele código de barras;

14. Método para "AUTOATENDIMENTO EM SUPERMERCADOS, FARMÁCIAS E ESTABELECIMENTOS DE VAREJO EM GERAL" para venda automática de produtos diversos conforme reivindicação 11 caracterizado por na etapa i) o sistema verificar se o peso encontrado nessa balança (10) corresponde à soma do peso existente antes da desativação da barreira de luz infravermelha (8) na dita balança mais o peso que foi registrado na balança (5) da primeira estação;

15. Método para "AUTOATENDIMENTO EM SUPERMERCADOS, FARMÁCIAS E ESTABELECIMENTOS DE VAREJO EM GERAL" para venda automática de produtos diversos conforme reivindicação 11 caracterizado por após as etapas e) ou i) havendo rejeição do sistema, o monitor de vídeo (1) indica os procedimentos necessários para normalizar a compra.

16. Método para "AUTOATENDIMENTO EM SUPERMERCADOS, FARMÁCIAS E ESTABELECIMENTOS DE VAREJO EM GERAL" para venda automática de produtos diversos conforme reivindicação 11, caracterizado por na etapa e) após ativação da câmera (4) a conferência se a imagem do produto corresponde à imagem existente em arquivo para aquele código de barras ser realizada pelas seguintes etapas; e.l) a câmera (4) registra uma ou mais fotos do produto; e.2) em seguida, o sistema realiza uma comparação com uma ou mais imagens, que pode ser feita pela imagem integral e também pela identificação dos textos contidos nas imagens adquiridas pelo terminal; e.3) gera-se uma resposta positiva ou negativa, se o produto em questão é o mesmo que foi informado na leitura de código de barras; e.4) dependendo da resposta obtida o terminal continua ou não a operação de autoatendimento.

17. Método para "AUTOATENDIMENTO EM SUPERMERCADOS, FARMÁCIAS E ESTABELECIMENTOS DE VAREJO EM GERAL" para venda automática de produtos diversos conforme reivindicação 11 caracterizado por na etapa k) a autorização à seladora (9) ser feita por movimentação do articulador (7) com um atuador linear elétrico (pistão) que fecha tal articulação aproximando a seladora (9) à sacola, permitindo o seu fechamento/selagem.

18. Método para "AUTOATENDIMENTO EM SUPERMERCADOS, FARMÁCIAS E ESTABELECIMENTOS DE VAREJO EM GERAL" para venda automática de produtos diversos conforme reivindicação 11 caracterizado por na etapa k) a selagem poder ser feita com argolas metálicas, fita adesiva, dentre outras formas existentes no mercado.

19. Método de "AUTOATENDIMENTO EM SUPERMERCADOS, FARMÁCIAS E ESTABELECIMENTOS DE VAREJO EM GERAL" para venda automática de produtos diversos conforme reivindicação 11 caracterizado por haver alternativamente uma catraca que só será liberada por cartão de código de barras zerado, após o pagamento.

Description:
"SISTEMA DE AUTOATENDIMENTO EM SUPERMERCADOS, FARMÁCIAS E ESTABELECIMENTOS DE VAREJO EM GERAL E MÉTODO PARA AUTOATENDIMENTO"

O presente pedido de patente de privilégio de invenção pertence ao campo da automação de venda em supermercados e tem por objetivo um prático e inovador sistema seguro para vendas de autoatendimento que traz confiança, tanto para o comprador, quanto para o estabelecimento vendedor e ainda traz rapidez no procedimento de compras, facilidade de acesso dos clientes e garantias contra possíveis fraudes.

O sistema de autoatendimento automatizado utiliza cartões de leitura que inseridos em leitoras de cartões instaladas em determinadas estações de compras, tipo estandes pontuais contíguos em um mesmo espaço da edificação, que permite ao cliente realizar as compras dos produtos pretendidos totalmente monitorados e conferidos por uma central de monitoração interligada a duas balanças digitais de elevada precisão que fazem a comparação do peso de produtos em relação ao seu código de referência e também um sistema de verificação que compara a imagem do produto que está sendo adquirido com a imagem de arquivo referente ao seu código de referência.

É ainda, objetivo do presente pedido, apresentar um sistema seguro de autoatendimento para compras em supermercados, com baixos custos para sua operação comercial, porém aliado aos requisitos de segurança e praticidade utilitária que oferece ao público consumidor, uma opção adicional no mercado de compras a varejo, que ao contrário dos sistemas tradicionais de vendas em supermercados, oferece inúmeras possibilidades e benefícios a seus usuários, tornando-se um sistema de vendas autónomas de grande aceitação no mercado setorial.

O estado da técnica descreve diversos sistemas de vendas, conforme descrito abaixo.

US 5412193 A - Sistema de supermercado de ponto de venda móvel. Versa sobre um método para operar um sistema de ponto de operação realizada por um dispositivo elétrico para o uso eficiente em áreas de uma loja durante os períodos de diferentes intensidades de uso, colocando o equipamento em uma área prescrita para a loja e configurando o sistema de ponto de operação com componentes de terminais de ponto de transação para os itens de processamento para ser comprado pelos clientes durante um período de uso relativamente intenso. Durante um período de uso menos intenso, o acessório é reconfigurado como um estande de exibição com o deslocamento, de pelo menos, alguns dos componentes do ponto de operação do dispositivo elétrico, e sobreposta ao restante de ponto de transação dos componentes do dispositivo elétrico com uma superfície de exibição. Durante os períodos de uso intenso os componentes estão localizados em uma prateleira que cobre o dispositivo elétrico. A reconfiguração inclui reposicionamento da prateleira em conjunto com os restantes componentes para uma localização por baixo da superfície do mostrador no interior da luminária. A prateleira é montada sobre uma coluna que pode deslizar por cima da fixação, de modo que inclui a reconfiguração retirar a prateleira na coluna, seguido por redução da coluna que pode deslizar dentro do acessório.

US 4554446 A - Supermercado sistema de controle de estoque e método. Descreve um sistema e método para uso em um supermercado, utilizando o código de leitura do equipamento de exploração da máquina para verificar a validade dos cupons de resgate codificados e comprovantes de venda apresentadas pelo público. Todos os documentos contêm leitura óptica, informações codificadas definindo os termos e condições de resgate e um sistema de verificação de digitalização estão previstos que indica diretamente para o funcionário do caixa e cliente se todas as condições codificadas sobre o resgate de cupons foram satisfeitas antes de aprovar o desconto oferecido pelo cupom.

DE 3940605 AI - Sistema de vendas para supermercados e armazéns - usa crd acesso controlado, sem envolver o pessoal de vendas. Refere-se a um supermercado automatizado que tem um carrinho de vendas especiais (SKU) empurrado pelo cliente e possui uma série de recipientes que faz a transferência automática de bens em compartimentos internos. O carro é projetado, com uma série de compartimentos fechados e foi construído em um leitor de cartão de crédito e um scanner de código de barras. No ponto de saída do supermercado está uma porta controlada (A) e um espaço antes de uma saída final (B) é encontrado. O cartão é colocado em um leitor de cartão e uma saída impressa é fornecida para a verificação por parte dos clientes. Uma vez que o cliente aceite, pode seguir para o portão de saída. Vantagem - operação não tripulada.

US 6381583 BI - Sistema de compras eletrónico interativo e método. Refere-se a um sistema de compras eletrónicas interativas e método de criar um site de compras virtual a partir de uma instalação comercial real, como um supermercado, restaurante ou escritório. Um cliente em um computador ou outro dispositivo de visualização adequada pode se mover através da facilidade de compras virtual e ver réplicas do que seria visto ao mover-se pelo estabelecimento real. Várias listas de itens selecionados para compra podem ser feitas, e as listas e as informações predeterminadas podem ser exibidas. Alterações na unidade comercial real, tal como uma alteração em uma exposição de mercadorias, pode ser acomodado por substituição de dados anteriores com novos dados, de modo que o ambiente comercial virtual seja idêntico à atual instalação comercial real.

US 6363355 BI - Método e aparelho para operar um sistema de verificação de autoatendimento com um número de terminais de varejo a ele associados. Versa sobre um método de funcionamento de um sistema de verificação de autoatendimento que inclui uma base com um scanner que garante aos mesmos a etapa de fixar um retalho de única especificação terminal para a base. O método também inclui a etapa de acoplamento do varejo de única especificação terminal ao scanner. O método ainda inclui a etapa de funcionamento do varejo único de especificação terminal e o scanner de modo a permitir que um usuário primeiro digite um primeiro número de itens para compra no sistema "self-service" "check-out" para um primeiro período de tempo, enquanto (i) o varejo único de especificação terminal é fixado à base, e (ii) o varejo único de especificação terminal é acoplado ao scanner. Além disso, o método inclui a etapa de desanexarão do varejo de única especificação terminal da base. Ainda mais, o método inclui a etapa de dissociação entre o varejo único de especificação terminal do scanner. O método ainda inclui a etapa de fixar um varejo de concurso completo terminal para a base. O método também inclui a etapa de acoplamento o terminal de varejo concurso completo para o scanner. Finalmente, o método inclui a etapa de funcionamento de terminal de varejo concurso completo e o scanner de modo a permitir que um segundo usuário digite um segundo número de itens para compra no sistema "self-service" "check-out" para um segundo período de tempo, enquanto (i) o terminal de varejo completo concurso é fixado à base, e (ii) o terminal de varejo concurso completo é acoplado ao scanner. Um sistema de verificação "self-service" também é divulgado.

Já existe o sistema de autoatendimento em mercados e supermercados no Japão, EUA e alguns países da Europa e no Brasil. O que se nota em todos os lugares onde existe o sistema é a obrigatoriedade de acreditar na honestidade do comprador, ou então, disponibilizar inspetores, o que descaracteriza o autoatendimento.

Com o propósito de se disponibilizar ao setor de supermercados e estabelecimentos afins, um sistema de vendas de autoatendimento, o inventor, pessoa ligada ao ramo, com notório conhecimento setorial, foi levado a criar e desenvolver o objeto do presente pedido de patente, idealizando o "SISTEMA DE AUTOATENDIMENTO EM SUPERMERCADOS, FARMÁCIAS E ESTABELECIMENTOS DE VAREJO EM GERAL E MÉTODO PARA AUTOATENDIMENTO", no qual não só as qualidades funcionais foram consideradas no projeto de implantação, mas também a forma, a disposição e a localização de seus elementos interativos que, corretamente monitorados por um sistema de monitoração, trouxeram um aumento de eficiência sem acarretar ónus algum.

Trata-se de um sistema de autoatendimento para venda de produtos em supermercados e estabelecimentos afins, em que o cliente escolhe o que deseja comprar em estações de compra equipadas com duas balanças, câmera, monitor de vídeo, barreira de infravermelho, seladora, scanner de cartão de código de barras e scanner de código de barras que registram a compra. As estações de compra estão alocadas estrategicamente nos estandes de vendas.

Os produtos colocados em uma sacola são permanentemente monitorados, aferindo-se comparativamente, por meio de duas balanças e uma ou mais câmeras, o número de referência do produto seu peso e sua imagem, com propósito de evitar fraudes por parte de um cliente inescrupuloso.

Após encher a sacola plástica fornecida pelo supermercado, específica para o sistema de autoatendimento, esta é lacrada automaticamente e liberada para o cliente após o pagamento, sendo que se pode continuar comprando com uma nova sacola plástica e assim sucessivamente até o término das compras por parte do cliente. É de se compreender assim que o sistema de vendas seguras e automáticas aplicadas em supermercados em questão é extremamente simples em sua exequibilidade, sendo, portanto, de fácil aplicação, porém, são obtidos excelentes resultados práticos e funcionais, oferecendo uma performance de vendas a varejo em supermercados e estabelecimentos afins que é inovadora se comparada aos sistemas tradicionais de vendas.

A transferência do produto da primeira estação para a segunda estação monitorando o seu peso real torna quase que impossível burlar o sistema. A barreira de infravermelho garante também que após a retirada do cartão de código de barras para o fechamento parcial/final da compra nada possa mais ser inserido na sacola que já contém todos os produtos monitorados pelas balanças e a câmera antes da mesma ser selada. Além disso, a presença da câmera, diferente dos sistemas do estado da técnica, não permite retirar o código de barras de um produto de menor valor e coloca-lo em um de maior valor e peso aproximado, conforme poderá ser observado na descrição detalhada da invenção a seguir.

Para melhor entendimento e compreensão de como se constitui o "SISTEMA DE AUTOATENDIMENTO EM SUPERMERCADOS, FARMÁCIAS E ESTABELECIMENTOS DE VAREJO EM GERAL E MÉTODO PARA AUTOATENDIMENTO" que aqui se pleiteia, apresenta-se o esquema ilustrativo em anexo:

FIG. 1 - Mostra uma vista esquemática do sistema de autoatendimento seguro em supermercados e estabelecimentos afins.

O nosso autoatendimento em supermercados é constituído por duas estações, sendo que na primeira estação temos: uma balança (5) com leitura mínima de 1 grama (preferencialmente), um scanner convencional de código de barras (2), uma ou mais câmeras (4), como as já existentes no mercado, para produzir imagens do produto em processo de compra, um monitor de vídeo (1) e um scanner convencional do cartão de código de barras (3) retirado na entrada do supermercado. Na segunda estação temos: uma balança (10) idêntica a da primeira estação, um suporte (6) para pendurar a sacola plástica de compras, uma seladora de plástico (9) para fechar a sacola, um atuador linear elétrico acoplada no articulador (7) para aproximação da seladora e uma barreira de luz infravermelha (8) para impedir acesso desautorizado na estação. No processo de compra, o cliente vai apanhando as mercadorias de seu interesse e as coloca em um carrinho (da mesma forma que se faz hoje) e, ao passar num ponto de venda (equipamento de autoatendimento), pertinente aos vários pontos que existirão dentro do supermercado de forma estratégica para permitir o escoamento fácil e, a fim do consumidor iniciar a consolidação de suas compras.

O autoatendimento em supermercado tem as seguintes etapas funcionais:

O comprador dirige-se para a estação de compras (autoatendimento) existente no ponto de venda, retira uma sacola plástica e a coloca no suporte (6) existente na segunda estação da máquina. Insere na fenda, existente na primeira estação, onde está o scanner convencional do cartão de código de barras (3) que irá liberar a máquina para processar as compras.

O cartão de código de barras tem similaridades com os atuais cartões usados em padarias, que possuem código de barras onde associa seu número aos produtos adquiridos na máquina em uso e também nas demais máquinas utilizadas no processo de compra, sem ter efetivado o pagamento. Somente após o pagamento, o cartão de código de barras será zerado/descarregado. Para saída do supermercado pode haver uma catraca que só será liberada por cartão de código de barras zerado (a catraca é uma sugestão que poderá ou não ser adotada e sem prejuízo para o projeto).

Na sequência o cliente faz a retirada do produto de seu ambiente de guarda (carrinho) e, que pretende comprar, e passa no scanner (2) existente na primeira estação para leitura de seu código de barras (mesmo procedimento que fazem os operadores de caixas atuais nos supermercados nos scanners convencionais). Após, coloca o produto na balança (5) existente nessa estação. Nesse momento o sistema confere se o peso do produto colocado na balança (5) está dentro da tolerância permitida para o peso do produto associado ao código de barras registrado no scanner (2), ou seja, não permite a colocação de mais de um produto na dita balança. A balança (5) ao ser acionada ativa a câmera (4) existente na primeira estação. O sistema também confere se a imagem do produto produzida pela câmera (4) sobre a balança (5) corresponde à imagem existente em arquivo para aquele código de barras. Alternativamente, pode-se colocar mais de uma câmera para pegar o produto em posições diferentes. Este processo de comparação dar-se-á da seguinte forma: 1 - A câmera (4) registra uma ou mais fotos do produto; 2 - Após a captura da imagem, o sistema realiza uma comparação, com uma ou mais imagens previamente obtida do produto, que pode ser feita pela imagem integral e também pela identificação dos textos contidos nas imagens adquiridas pelo terminal; 3 - Gera -se então uma resposta positiva ou negativa, se o produto em questão é o mesmo que foi informado na leitura de código de barras. 4 - Dependendo da resposta obtida o terminal acusa ou não uma tentativa de fraude e continua ou não a operação de autoatendimento. A imagem também impedirá a possibilidade, ainda que remota, de colocar na balança dois produtos em que o segundo produto de menor tamanho e peso somado ao primeiro produto ainda esteja dentro da tolerância de peso do primeiro produto, como exemplo: passar no scanner um pacote de farinha de trigo e coloca-se na balança o pacote de farinha de trigo mais uma lâmina de barbear.

Se o sistema rejeitar a compra o cliente será informado pelo monitor de vídeo (1) existente sobre as duas estações e que indicará como proceder. O sistema ao liberar a compra, indicará por sinal luminoso e através do monitor de vídeo (1) que o produto deverá ser transferido para a sacola plástica que está no suporte (6) na segunda estação. Havendo a validação e a liberação do produto para ser colocado na segunda estação, o processador do sistema anexará a leitura contábil do produto a ser adquirido no número do cartão de código de barras que está sendo "lido" no scanner do cartão de código de barras (3).

Ao ser liberada a transferência do produto para a outra estação o sistema de barreira de luz infravermelha (8) é desativado e só retorna quando a balança (10) existente na segunda estação acusar a adição de peso. O sistema então verificará se o peso encontrado nessa balança (10) corresponde à soma do peso existente antes da desativação da barreira de luz infravermelha (8) na balança (10) mais o peso que foi registrado nessa operação na balança (5) da primeira estação.

Com isso elimina a possibilidade de fraude, ou seja, a de passar um produto no scanner de código de barras (2) e colocar na sacola plástica, outro produto de mesmo peso e de valor monetário maior e, neste caso, a possibilidade de se pegar dois produtos diferentes de peso exatamente iguais, considerando-se a tolerância de pesagem comparativa entre as duas balanças que estão sendo monitoradas é praticamente zero.

Além disso, a transferência do produto da primeira estação para a segunda estação monitorando o seu peso real torna quase que impossível burlar o sistema. Considere que os todos os produtos são embalados mecanicamente e, portanto, não possuem precisão de peso e que as máquinas embaladoras possuem monitoramento por balanças, onde retiram os produtos fora da tolerância, com excesso ou falta de peso. Pegar dois produtos ou até mesmo dois pacotes do mesmo produto com exatidão de peso monitorado em 1 grama tem menor probabilidade do que acertar na loteria.

A primeira balança (5) registra o peso real do produto (as balanças eletrónicas existentes no mercado garantem pesagem com precisão de até um grama) e a segunda balança (10) que somará os pesos colocados na sacola plástica, é capaz de identificar o peso do último produto depositado na mesma.

A segunda estação ao rejeitar o produto transferido da primeira estação indicará no monitor de vídeo (1) os procedimentos necessários para normalizar a compra. Ao aprovar, libera o cliente para sequenciar suas compras.

Concluída a compra em uma determinada estação de compras ou se a sacola plástica locada no suporte (6) não comporta mais produtos, o cliente retira o cartão de código de barras do scanner (3) e o sistema, automaticamente, autoriza a seladora (9) por movimento do articulador (7), fechar/selar a sacola plástica.

Esse fechamento pode ser através de máquinas para colocar argolas metálicas, fita adesiva, etc., mas o recomendado é a seladora de plástico, por ser inviolável e impossível de se levar no bolso e tem melhores dinâmicas funcionais.

O mecanismo de fechamento da sacola plástica que está no suporte (6) será acionado com a retirada do cartão de código de barras do scanner (3), onde um atuador linear elétrico (pistão) fechará a articulação (7) aproximando a seladora (9) na sacola, permitindo o seu fechamento/selagem.

Após a selagem a barreira de luz infravermelha (8) é desativada e o cliente então retira a sacola fechada com produtos e coloca ou não, nova sacola vazia no suporte (6) para reinicio do processo. As máquinas serão providas de dispositivo, existente no mercado, para pagamento por cartão de crédito/debito e a critério do supermercado poderá também ser adaptado dispositivo, também existente no mercado, para pagamento com papel moeda.

Tratou-se, portanto, no presente relatório descritivo de um inovador sistema automático de venda de produtos em supermercados que apresenta, conforme se pode evidenciar pelas análises realizadas e figura mostrada, inúmeras diferenças sobre os modelos convencionais existentes no mercado consumidor, além de características técnicas construtivas e funcionais completamente diferentes dessas pertinentes ao estado da técnica.

Pelas vantagens que oferece, e ainda, por revestir-se de características verdadeiramente inovadoras que preenchem todos os requisitos de novidade e originalidade no gênero, o presente "SISTEMA DE AUTOATENDIMENTO EM SUPERMERCADOS, FARMÁCIAS E ESTABELECIMENTOS DE VAREJO EM GERAL E MÉTODO PARA AUTOATENDIMENTO" reúne condições necessárias para merecer a patente de Privilégio de Invenção.




 
Previous Patent: HAIR ROLLER

Next Patent: GAS MONITORING SYSTEM