Login| Sign Up| Help| Contact|

Patent Searching and Data


Title:
SHOWER AND SIMILAR DEVICES WITH EXTENSION OF THE WATER DUCTING INTO THE INLET AND OUTLET CHAMBER
Document Type and Number:
WIPO Patent Application WO/2012/113046
Kind Code:
A1
Abstract:
Shower and similar devices with extension of the water ducting into the inlet and outlet chamber, comprising the appropriate calculated and tested spacing between the water inlet (1) and outlet (2) of the device, of the heating element (3) thereof, said spacing being obtainable either as a coil (4) or in any other form, including linearly with sufficient length to limit the leakage current to a safe level that obviates the need for the capture thereof, or even using the combination of a pipe (5) coupled to the inlet of the device and a coil (4) to the outlet.

Inventors:
CHAMBON, Igor (Avenida Marte, 125 - 141 DijonCentro de Apoio I .,Santan de Parnaíba - SP, Cep: -005, 06541, BR)
Application Number:
BR2012/000018
Publication Date:
August 30, 2012
Filing Date:
January 31, 2012
Export Citation:
Click for automatic bibliography generation   Help
Assignee:
CHAMBON, Igor (Avenida Marte, 125 - 141 DijonCentro de Apoio I .,Santan de Parnaíba - SP, Cep: -005, 06541, BR)
International Classes:
H05B1/00; A47K3/28; F24H1/10; F24H9/20; H05B3/02
Foreign References:
BRMU7300002U
BRMU7001911U
BRMU6701621U
BRMU6301578U
Attorney, Agent or Firm:
VILAGE MARCAS E PATENTES LTDA. (Rua XV de Novembro, 3171 - 16° andar Conj. 161 Centro,São José do Rio Preto - SP, Cep: -160, 15015, BR)
Download PDF:
Claims:
REIVINDICAÇÕES

1) "CHUVEIRO E APARELHOS CONGÉNERES COM PROLONGAMENTO DO CAMINHAMENTO DA ÁGUA NA CÂMARA DE ENTRADA E DE SAÍDA"; caracterizada pelo alongamento do caminho a ser percorrido pela água na entrada (1) do aparelho em direção ao elemento de aquecimento (3) graças a uma serpentina (4), espiral ou outra forma qualquer, mesmo que linear ou ziguezague, serpentina (4) também aplicada na saída (2) da água do aparelho. 2) "CHUVEIRO E APARELHOS CONGÉNERES COM PROLONGAMENTO DO CAMINHAMENTO DA ÁGUA NA CÂMARA DE ENTRADA E DE SAÍDA"; de acordo com a reivindicação 1 caracterizada por apresentar uma solução alternativa para o alongamento do caminho da água representado por um cano (5) acoplado ao aparelho e serpentina (4) na saída.

Description:
"CHUVEIRO E APARELHOS CONGÉNERES COM PROLONGAMENTO DO CAMINHAMENTO DA ÁGUA NA CÂMARA DE ENTRADA E DE SAÍDA"

Trata a presente solicitação de Patente de Invenção de um inédito "CHUVEIRO E APARELHOS CONGÉNERES COM PROLONGAMENTO DO CAMINHAMENTO DA ÁGUA NA CÂMARA DE ENTRADA E DE SAÍDA"; notadamente de uma disposição construtiva na forma de serpentina ou outra forma capaz de alongar o caminhamento da água de entrada e de saída em relação ao elemento de aquecimento, o que torna desnecessária a utilização de eletrodos de captação, assim como do condutor de aterramento no conjunto do cabo elétrico.

A solução proposta é aplicável em todos os aparelhos elétricos para aquecimento de água, notadamente chuveiros, torneiras, aquecedores e outros que passam a ser classificados na Classe II conforme norma regulamentadora.

A atual norma de instalações elétricas brasileira limita a classe de isolação elétrica dos aparelhos que podem ser utilizados nos locais de banho; permite-se que somente aparelhos da Classe I ou Classe II possam ser utilizados, justamente para evitar outras condições e proteger o usuário.

Resumidamente, aparelho Classe I é aquele que necessita de um condutor de aterramento em seu conjunto de cabos elétricos para garantir a proteção contra choques elétricos ao usuário; enquanto aparelho Classe II é aquele que não necessita do condutor de aterramento em seu conjunto de cabos elétricos, justamente por dispor de outros meios para garantir a proteção contra choques elétricos.

Aparelhos de aquecimento com resistência nua são classificados na Classe I, mesmo aqueles com os elementos de aquecimento revestidos, o condutor de aterramento é exigido já que existe a possibilidade de falha no isolamento.

Potenciais aparelhos Classe II são uma lacuna no mercado, fato explicado, pelos fabricantes dos produtos que trata esse pedido de patente seguir o modelo de proteção de choques elétricos que atende a Classe I há anos, sendo que tecnicamente é possível quebrar esse paradigma pela solução aqui proposta.

Os aparelhos convencionais de aquecimento, exemplificado na forma de um chuveiro são equipados com um sistema automático de acionamento que por diferencial de pressão d'água, aciona ou desaciona o sistema de aquecimento da água propriamente dita.

O sistema de aquecimento é geralmente composto de um elemento de aquecimento, que, por efeito Joule, esquenta e transfere calor para a água que passa ao seu redor e é liberada na saída do aparelho para ser utilizada.

Além dos sistemas de acionamento e aquecimento supracitados é necessário um sistema de proteção contra choques elétricos, viabilizado pelo posicionamento estratégico de eletrodos de captação de corrente de fuga nos pontos de entrada e saída de água.

Os aparelhos convencionais são alimentados por um conjunto de cabos elétricos externos os quais devem ser conectados aos fios de instalação fixa predial, conjunto esse formado por três condutores. Dois desses condutores (fase e/ ou neutro) levam a corrente elétrica que circula pelo elemento de aquecimento, enquanto o terceiro condutor é ligado em uma de suas extremidades ao condutor de proteção da instalação predial e, a extremidade oposta ligada ao terminal de aterramento e aos eletrodos de captação de corrente de fuga.

Nesse sentido, nos aparelhos convencionais o elemento de aquecimento, geralmente sem revestimento, transfere para a água circulante um potencial elétrico perigoso que pode gerar uma corrente de fuga tanto em direção à saída de água do aparelho quanto em direção a sua entrada, justamente onde estão instalados os eletrodos de captação de corrente de fuga. Isto vale tanto para elementos de aquecimento "nus" quanto os revestidos.

Um ponto a ser considerado em relação aos aparelhos convencionais diz respeito a sua utilização com dispositivos DR (disjuntor elétrico) instalados no circuito elétrico predial, sendo uma proteção extra além daquela proporcionada pelo aterramento do aparelho. A sua utilização é uma exigência requerida nas atuais normas de instalação elétrica.

A função do dispositivo DR é desligar o circuito elétrico que alimenta o aparelho caso haja uma corrente de fuga excessiva. Nos aparelhos convencionais com resistência nua, mesmo que os eletrodos de captação de corrente de fuga cumpram a sua função, a simples circulação, através da água, de uma corrente de fuga entre o elemento de aquecimento e os eletrodos de captação, pode provocar o disparo do dispositivo DR, principalmente em condições em que a resistividade elétrica da água seja baixa, o que torna incompatível o uso de tais dispositivos (DR) com os aparelhos convencionais com resistência nua. Nestes casos, os aparelhos convencionais com elementos de aquecimento revestidos seriam as únicas soluções para estabelecer a compatibilidade.

Para solucionar essa incompatibilidade com dispositivos DR, em alguns aparelhos convencionais com resistência "nua", desenvolveu-se um afastamento entre o elemento de aquecimento e os eletrodos de captação, de forma que circule correntes de menor intensidade pelos eletrodos de captação, mas que ainda assim a corrente de fuga que escapa em direção ao usuário seja em níveis seguros, ou seja, nos padrões normativos. Assim, estabeleceu-se uma solução para a compatibilidade de uso dos aparelhos convencionais com resistência "nua" com dispositivos DR, dentro dos limites de resistividade elétrica da água circulante.

Os aparelhos convencionais apresentam diversos inconvenientes, com destaque para:

> Instalação - os três condutores no conjunto de cabos elétricos geram três momentos de esforço de conexão com os fios da instalação predial, além do risco de se inverter as ligações e acabar por conectar o condutor terra do aparelho ao fio fase. Isto não só elimina a proteção contra choques elétricos do aparelho, mas também piora a situação, pois posiciona um potencial elétrico perigoso mais próximo do usuário;

> Os eletrodos de captação de corrente de fuga, por mais protegidos que sejam, com o passar do tempo acabam por ter deterioradas suas camadas externas em contato com a água, por efeito de corrosão e oxidação, formando um filme isolante elétrico que reduz a eficácia do sistema de captação de corrente de fuga ao longo da vida útil do aparelho;

> Compatibilidade com os dispositivos DR - dependência da resistividade elétrica da água no local de uso. Dessa forma, o aparelho tem sua compatibilidade com dispositivos DR especificada para uma resistividade elétrica mínima da água, o que acaba por fazer com que o aparelho funcione bem em certo local com resistividade da água alta e sofrível noutro local com resistividade da água baixa, situação em que o dispositivo DR dispara com frequência; > Segurança - a inexistência de aterramento em grande parte das residências combinado com a alta penetração dos chuveiros elétricos gera um grande risco por instalação inadequada (sem terra);

> Custo - por ser um aparelho Classe I tem o custo aumentado pela necessidade da presença dos eletrodos de captação de corrente de fuga na entrada e saída da água, sua interligação com o terminal de aterramento do aparelho e da necessidade do condutor de aterramento no conjunto de cabos do aparelho.

Além dos aparelhos classe I conforme descrição acima, o atual estado da técnica, antecipa outras soluções que desnecessitam de aterramento, como, por exemplo, o MU 7503084-5 tem por objeto um aperfeiçoamento introduzido em aparelhos elétricos como chuveiros, duchas e outros, caracterizado essencialmente pelo fato do cano de alimentação do aparelho elétrico ser dotado de isolação interna e eletrodo de aterramento, disposto a junto com aparelho desprovido de eletrodo de aterramento na entrada e dotado de eletrodo de aterramento na saída, sendo que, estes dois eletrodos são ligados ao fio de aterramento da instalação.

Pensando nos inconvenientes inerentes ao estado da técnica, foi que o inventor, após inúmeras pesquisas, criou o "CHUVEIRO E APARELHOS CONGÉNERES COM PROLONGAMENTO DO CAMINHAMENTO DA ÁGUA NA CÂMARA DE ENTRADA E DE SAÍDA", em questão, o qual apresenta uma solução mecânica simples, porém extremamente dedicada e eficiente dentro dos objetivos propostos, ou seja, a desnecessidade de utilização do sistema de aterramento em aparelhos de aquecimento de água, baseando-se no distanciamento entre o elemento de aquecimento e o ponto de entrada e saída da água, desse modo eliminando e/ ou reduzindo os principais problemas citados nos aparelhos convencionais.

De acordo com um primeiro objetivo o presente pedido oferece ao mercado aparelhos de aquecimento de água classificados na Classe II no que diz respeito a isolação elétrica, preenchendo essa lacuna no mercado.

De acordo com o segundo objetivo será possível eliminar uma possível confusão no momento da instalação do aparelho inventado, já que o mesmo possui apenas dois condutores em seu conjunto de cabos elétricos, sendo eliminado o condutor de aterramento, com isso reduz-se o esforço de instalação de três para duas conexões. Outro ponto positivo é a eliminação na possibilidade da inversão das ligações entre os fios fase e fio terra.

De acordo com um quarto objetivo, com o aparelho inventado é possível garantir a compatibilidade com os dispositivos DR da instalação fixa predial, independente da resistividade elétrica da água no local de uso.

De acordo com um quinto objetivo pretende-se reduzir o custo de fabricação pela eliminação de elementos metálicos/ condutores, como os eletrodos de captação de corrente de fuga de entrada e saída de água circulante, sua interligação com o terminal de aterramento e o condutor de aterramento do conjunto de cabos elétricos do aparelho.

De acordo com um sexto objetivo, pretende-se disponibilizar ao mercado um aparelho seguro, que por si só compense a má cultura e falta de fiscalização da execução das instalações elétricas nacionais, podendo ser instalado em qualquer local, inclusive naqueles locais sem a figura do fio terra.

A seguir, explica-se a invenção com referência aos desenhos anexos, nos quais estão representados de forma ilustrativa e não limitativa:

Figura 1 : Vista em perspectiva parcial do chuveiro dotado de serpentina na entrada e na saída de água;

Figura 2: Detalhe em perspectiva parcial da serpentina na entrada de água do chuveiro;

Figura 3: Detalhe em perspectiva parcial da serpentina na saída de água do chuveiro;

Figura 4: Vista em perspectiva parcial do chuveiro dotado de serpentina na saída e tubo na entrada;

Figura 5: Vista lateral em corte de um chuveiro convencional com o fio terra na entrada e saída de água;

Figura 6: Vista lateral em corte de um chuveiro convencional com o fio terra na entrada e saída de água e derivação entre a entrada e saída de água.

O "CHUVEIRO E APARELHOS CONGÉNERES COM PROLONGAMENTO DO CAMINHAMENTO DA ÁGUA NA CÂMARA DE ENTRADA E DE SAÍDA" objeto desta solicitação de Patente consiste no devido distanciamento, de forma calculada e experimentada, entre a entrada (1 ) e saída (2) de água do aparelho, do seu elemento de aquecimento (3), sendo este distanciamento passível de ser obtido, tanto na forma de uma serpentina (4) ou outra forma qualquer, mesmo que linear com o comprimento o suficientemente grande para limitar a corrente de fuga num nível seguro que dispense sua captação, ou mesmo pela combinação de um cano (5) acoplado na entrada do aparelho e uma serpentina (4) na saída.

Mais particularmente, conforme as figura 1 , 2 e 3, a invenção trata do alongamento do caminho a ser percorrido pela água na entrada (1 ) do aparelho em direção ao elemento de aquecimento (3) graças a uma serpentina (4), espiral ou outra forma qualquer, mesmo que linear ou ziguezague. A serpentina (4) também é aplicada na saída (2) da água do aparelho. Com essa medida, a intensidade da corrente elétrica que flui em direção a entrada (1) e saída (2) de água é reduzida num nível tal que possa sair do aparelho sem gerar risco algum para o usuário. Ainda nas figuras 1 e 2 percebem-se a ausência dos eletrodos (6) de captação de corrente de fuga na entrada (1 ) e saída (2) da água, assim como o condutor de aterramento (7) no conjunto de cabos elétricos (8) do aparelho.

A figura 4 apresenta uma solução alternativa para o alongamento do caminho da água representado por um cano (5) acoplado ao aparelho, com a mesma função da serpentina, ou seja, o aumento do distanciamento entre a entrada de água e o elemento de aquecimento, sendo o comprimento de dito cano (5) suficiente para limitar a corrente de fuga em um nível seguro. Por sua vez, o incremento do distanciamento entre o elemento de aquecimento (3) e a saída (2) da água é realizado pela figura da serpentina (4).

A figura 5 é uma vista lateral em corte de um aparelho convencional, em que se podem observar a presença dos eletrodos (6) de captação de entrada (1 ) e saída (2) de água e o condutor de aterramento (7) presente no conjunto de cabos elétricos (8) do aparelho.

A figura 6 é uma vista lateral em corte de um aparelho convencional com elemento de aquecimento (3) sem revestimento, equipado com uma solução criada para torná-lo compatível com dispositivos DR. Nele também se denotam os eletrodos (6) de captação de entrada (1 ) e saída (2) de água e o condutor de aterramento (7) presente no conjunto de cabos elétricos (8) do aparelho. A diferença em relação à figura 5 é a presença de uma derivação (9) entre o elemento de aquecimento (3) e os eletrodos (6) de captação de corrente de fuga de entrada (1 ) e saída (2). Com isso, a intensidade da corrente elétrica que flui em direção à entrada e saída de água é reduzida em comparação àquela da figura 5.

Vale ressaltar que tanto a figura 5, como a figura 6, demonstram a utilização de eletrodos (6) na captação da corrente de fuga, e como já foi explicado anteriormente, o contato direto destes eletrodos com a água, provoca por efeito de corrosão ou oxidação, a gradual ineficiência deste sistema, podendo deixar ao longo do tempo o consumidor desprovido de proteção.