Login| Sign Up| Help| Contact|

Patent Searching and Data


Title:
STRUCTURAL ARRANGEMENT APPLIED TO A MODULAR STACKABLE SNAP-FITTING VERMICOMPOSTER
Document Type and Number:
WIPO Patent Application WO/2019/100130
Kind Code:
A1
Abstract:
The present patent invention relates to an innovative structural arrangement applied to a vermicomposter, which is an earthworm farm designed to transform organic food waste into natural fertiliser by means of the vermicomposting process in stackable recipients made of thermoplastic material, that is intended to provide improvements in terms of use, efficiency and the processes of production, storage and transportation, over the prior art. The present invention essentially comprises a collecting base (1) arranged beneath digester boxes (2) that are stacked and snap-fitted together and separated from one another by a support frame (3), and covered by a lid (4). When in operation, a digester box (2) is positioned on top of the base (1). The support frame (3) is positioned on top of the box (2) to receive another box (2) and finally the lid (4). A support frame (3) is always arranged between two boxes (2), with a limit of four digester boxes (2) per unit.

Inventors:
SPINOLA DE ANDRADE, CLáudio Vinícius (Diogo de Couto 47, -040 São Paulo, 05359-040, BR)
Application Number:
BR2018/050410
Publication Date:
May 31, 2019
Filing Date:
November 09, 2018
Export Citation:
Click for automatic bibliography generation   Help
Assignee:
SPINOLA DE ANDRADE, CLáudio Vinícius (Diogo de Couto 47, -040 São Paulo, 05359-040, BR)
International Classes:
A01G24/60; B09B3/00; C05F9/02
Foreign References:
BRPI1000214A22011-09-20
BR0303136A2005-04-05
BRPI0902568A22011-03-15
BR0304889A2005-05-17
Attorney, Agent or Firm:
D'MARK REGISTROS DE MARCAS E PATENTES (Rua Siqueira Campos 1171, oitavo andar, -001 Porto Alegre RS, 90010-001, BR)
Download PDF:
Claims:
REIVINDICAÇÃO

1a) “DISPOSIÇÃO CONSTRUTIVA APLICADA EM VERMICOMPOSTEIRA MODULAR EMPILHÁVEL E ENCAIXÁVEL” caracterizada por ser basicamente constituída de uma base coletora(1 ) sobreposta por caixas digestoras(2) empilhadas e encaixadas entre si, separadas por um quadro de apoio(3) e sobrepostas por uma tampa(4); por a dita base(1 ) possuir formato trapezoide, paredes externas(5) lisas sem aletas, quatro pés(6) ocos e dotados superiormente de uma parede envoltória(7), internamente de reforço estrutural(8) e placa metálica(9) para fixação externa opcional de rodízios(10), fundo inclinado(11 ) para a parte frontal onde existe um rebaixo(12) no qual é instalada uma torneira(13) e elevação cónica central(14), além de pegas(15) na parte central das faces menores; por cada dita caixa digestora(2) possuir formato trapezoide dotada pegas(16) na parte central superior das faces menores, paredes externas(17) lisas e com furos(18) na metade superior das faces maiores, além de fundo inclinado(19) e de aletas(20) posicionadas em um dos lados da parte inferior, sendo o dito fundo(19) também dotado de furos(21 ), de quatro pés de apoio(22) e de uma pingadeira envoltória(23); por o dito quadro de apoio(3) possuir formato retangular de cantos arredondados e ser composto por uma aba externa envoltória(24) e um rebaixo vazado envoltório interno(25), além de aletas de reforço(26) com formato anguloso; por a dita tampa(4) ter formato retangular de cantos arredondados e ser dotada, superiormente, de face superior(27) abaulada e furos(28) distribuídos e, inferiormente, de duas garras(29) próximas à linha central longitudinal.

Description:
“DISPOSIÇÃO CONSTRUTIVA APLICADA EM

VERMICOMPOSTEIRA MODULAR EMPILHÁVEL E ENCAIXÁVEL”.

[001 ] A presente patente de Patente de Invenção refere-se a uma inovadora disposição construtiva a ser aplicada em vermicomposteira, definida como um criatório de minhocas para transformar resíduos orgânicos alimentares em adubo natural pelo processo da vermicompostagem em recipientes empilháveis de material termoplástico, visando melhorias na utilização, na eficiência e nos processos de produção, estocagem e transporte, em relação ao estado da técnica.

[002] O estado da técnica referente ao presente assunto é composto por vermicomposteiras que utilizam caixas plásticas convencionais furadas e adaptadas para serem utilizadas como criatório de minhocas, sendo utilizados conjuntos de três ou mais caixas empilháveis, nos quais a caixa inferior (caixa coletora) possui a função de armazenar o composto líquido que escorre das caixas superiores (caixas digestoras). A caixa coletora possui inferiormente uma torneira para a drenagem do líquido armazenado; as minhocas são criadas e alimentadas com os resíduos orgânicos nas caixas superiores, as quais possuem furos de 4 à 10mm de diâmetro no fundo para possibilitar o escoamento do líquido para a caixa inferior e a migração das minhocas entre as caixas digestoras; a caixa digestora que fica na parte mais alta do sistema é fechada com uma tampa para manter o ambiente interno escuro.

[003] O grande inconveniente das vermicomposteiras citadas é que não foram projetadas para seu uso, mas feita uma adaptação de caixas plásticas para serem utilizadas como vermicomposteiras. Assim, os furos são realizados manualmente e precisam ser rebarbados para não ferir as minhocas que por ali migram de uma caixa para outra; a torneira é fixada na lateral da caixa coletora e, inevitavelmente, fica a pelo menos 5 mm de altura em relação ao piso, impossibilitando o escoamento total do líquido desse recipiente; riscos superficiais e pequenas avarias são comuns à produção manual; como as caixas são empilháveis, mas não encaixáveis, é gerado um grande volume para estocagem, além de aumentar o custo logístico; existe dificuldade de higienização das caixas em função dos vários pontos com aletas, reentrâncias e cantos vivos em que a sujeira gruda; existe também a dificuldade de locomoção do conjunto em uso que se torna realmente pesado, geralmente para limpeza do ambiente; existe também a necessidade de se apoiar o conjunto em uma base suspensa, calçando a mesma, de forma que haja um desnível em direção à torneira para facilitar a drenagem do líquido que já é prejudicada normalmente pelo posicionamento da torneira que permite entrada de ar no momento da drenagem e não consegue drenar todo o líquido por estar sempre posicionada acima do fundo da caixa; outro inconveniente é que o líquido escorre pelos furos para a caixa coletora, aumentando excessivamente a umidade do adubo e desestimulam as minhocas a migrarem para as caixas digestoras acima; o desenho reto da tampa também favorece o seu empeno, resultando em entrada de insetos indesejáveis para dentro do conjunto e ainda o acúmulo de água de chuva quando está alojado em local descoberto e, além disso, também existe o incómodo de não ter onde posicionar a tampa quando esta é retirada para manuseio do conjunto e, finalmente, por o molde das caixas ser projetado para a fabricação de peças em polipropileno convencional, torna-se praticamente inviável a utilização de materiais alternativos, texturizados e transparentes.

[004] Visando superar e se diferenciar do estado da técnica, é que foi desenvolvida a presente “DISPOSIÇÃO CONSTRUTIVA APLICADA EM VERMICOMPOSTEIRA MODULAR EMPILHÁVEL E ENCAIXÁVEL” a qual, no sentido de facilitar a leitura do texto será, a partir de então, citada apenas como “VERMICOMPOSTEIRA”.

[005] Assim sendo, a presente “VERMICOMPOSTEIRA” foi especialmente projetada para ser produzida nos mais diversos tipos de materiais plásticos. Quanto à torneira, foi desenvolvido um fundo inclinado e um alojamento rebaixado onde a torneira é encaixada, eliminando assim a retenção de líquido no interior do conjunto após a drenagem. Em relação à logística, tanto a base, como as caixas, tampas e quadros de sustentação podem ser empilhados e encaixados, o que reduz drasticamente o custo logístico. As paredes laterais das caixas digestoras possuem diversos furos que auxiliam na oxigenação do interior. A base coletora possui uma rampa cónica na parte central para ajudar as minhocas que ali estão a migrarem para a caixa de cima para que não morram por afogamento. A tampa possui formato arqueado para não empenar e não acumular água de chuva, caso fique exposta em local descoberto e ainda possui garras internas que apoiam a tampa aberta na parede lateral da caixa sem que seja necessário sustentá-la ou repousá-la em algum lugar durante o manuseio do conjunto e ainda impede que o líquido acumulado na parte interna da mesma caia no chão. Foram eliminadas todas as aletas externas, facilitando a limpeza dos componentes. A base ganhou pés elevados para facilitar a drenagem do líquido sem a necessidade de apoiar o conjunto em um suporte elevado. Opcionalmente, os pés também podem receber rodízios, o que facilita no deslocamento do conjunto para limpeza e organização do ambiente.

[006] A seguir, serão descritos os desenhos os quais serão posteriormente detalhados.

[007] A Fig. 1 mostra uma visão geral da presente

“VERMICOMPOSTEIRA” em perspectiva.

[008] A Fig. 2 mostra a base coletora em perspectiva.

[009] A Fig. 3 mostra a base coletora em perspectiva inferior.

[0010] A Fig. 4 mostra a base coletora em vista superior.

[001 1 ] A Fig. 5 mostra a caixa digestora em perspectiva lateral.

[0012] A Fig. 6 mostra um detalhe da pega e dos furos laterais da caixa digestora.

[0013] A Fig. 7 mostra uma perspectiva inferior da caixa digestora.

[0014] A Fig. 8 mostra uma perspectiva superior do quadro de apoio.

[0015] A Fig. 9 mostra uma perspectiva inferior do quadro de apoio.

[0016] A Fig. 10 mostra uma perspectiva superior da tampa.

[0017] A Fig. 11 mostra uma perspectiva inferior da tampa.

[0018] A Fig. 12 mostra uma perspectiva da presente “VERMICOMPOSTEIRA” com a tampa aberta e encaixada na parede lateral da caixa digestora superior.

[0019] De acordo com os desenhos, a presente“VERMICOMPOSTEIRA” é basicamente constituída de uma base coletora(1 ) sobreposta por caixas digestoras(2) empilhadas e encaixadas entre si, separadas por um quadro de apoio(3) e sobrepostas por uma tampa(4). A dita base(1 ) possui formato trapezoide, paredes externas(5) lisas sem aletas, quatro pés(6) ocos e dotados superiormente de uma parede envoltória(7), internamente de reforço estrutural(8) e placa metálica interna(9) para fixação externa opcional de rodízios(10), fundo inclinado(11 ) para a parte frontal onde existe um rebaixo(12) no qual é instalada uma torneira(13) e elevação cónica central(14), além de pegas(15) na parte central das faces menores. Cada dita caixa digestora(2) possui formato trapezoide dotada de pegas(16) na parte central superior das faces menores, paredes externas(17) lisas e com furos(18) na metade superior das faces maiores, além de fundo inclinado(19) e aletas(20) posicionadas em um dos lados da parte inferior, sendo o dito fundo(19) também dotado de furos(21 ), de quatro pés de apoio(22) e de uma pingadeira envoltória(23). O dito quadro de apoio(3) possui formato retangular de cantos arredondados e é composto por uma aba externa envoltória(24) e um rebaixo vazado envoltório interno(25), além de aletas de reforço(26) com formato anguloso que permitem melhor encaixe no empilhamento dos ditos quadros(3). A dita tampa(4) tem formato retangular de cantos arredondados e é dotada, superiormente, de face superior(27) abaulada e furos(28) distribuídos e, inferiormente, de duas garras(29) próximas à linha central longitudinal.

[0020] Assim sendo, a presente“VERMICOMPOSTEIRA” funciona da seguinte forma. Uma caixa digestora(2) é posicionada sobre a base(1 ) e, sobre esta, é colocado o quadro de apoio(3) para receber outra caixa(2) e por fim a tampa(4). Entre duas caixas(2) sempre será colocado um quadro de apoio(3), sendo o limite apropriado um conjunto com até quatro caixas digestoras(2).

[0021] Em relação às características de cada componente da presente “VERMICOMPOSTEIRA”, pode-se afirmar o seguinte.

[0022] Na base coletora(1 ), a torneira(13) foi instalada no rebaixo(12) para que não haja acúmulo de líquido no fundo(11 ) que é inclinado e tem sua inclinação voltada para o dito rebaixo(12); os pés(6) são preparados para receber opcionalmente os rodízios(10) graças aos reforços estruturais(8) e às placas metálicas(9); a elevação cónica central(14) ajuda as minhocas a migrarem para a caixa coletora(2) acima, evitando eventuais mortes por afogamento e as pegas(15) ajudam no manuseio.

[0023] A caixa digestora(2) possui paredes lisas(17) para facilitar o encaixe dentro de outra caixa(2); possui furos(18) que facilitam a oxigenação do ambiente interno; possui fundo inclinado(19) para que a maior parte do líquido escorra por um dos cantos da caixa para evitar que o conteúdo total da caixa digestora inferior fique muito molhado; pés de apoio(22) que não deixam o fundo da caixa(2) encostar diretamente no chão no momento de manuseio, matando minhocas por esmagamento; pingadeira envoltória(23) que não permite que gotas de líquido condensadas na base da caixa(2) escorra acidentalmente para o interior dos pés(6) da base(1 ) e, por fim, as pegas(16) que ajudam sobremaneira no transporte.

[0024] O quadro de apoio(3) é uma peça fundamental para a composição da presente “VERMICOMPOSTEIRA”, pois o apoio entre duas caixas digestoras(2) forçosamente se dá através do uso do quadro de apoio(3), além de ser facilmente encaixável e empilhável por conta das aletas de reforço(26).

[0025] Finalmente, a tampa(4) apresenta sua face superior(27) abaulada para evitar eventuais empenos e não reter água da chuva caso esteja exposta ao tempo; possui furos(28) distribuídos na superfície para possibilitar a oxigenação interna e ainda é dotada de duas garras(29) que apoiam a tampa(4) na borda superior da caixa digestora(2) superior no momento da operação de inserção de resíduos orgânicos no interior da presente “VERMICOMPOSTEIRA”.

[0026] Em conclusão, pode-se afirmar que a presente “DISPOSIÇÃO CONSTRUTIVA APLICADA EM VERMICOMPOSTEIRA MODULAR EMPILHÁVEL E ENCAIXÁVEL”, pelo conjunto de suas inovações tecnológicas, reúne totais condições para pleitear a concessão da Patente de Invenção.