Login| Sign Up| Help| Contact|

Patent Searching and Data


Title:
VEHICLE TRACKING SYSTEM AND METHOD, TRACKING APPARATUS AND CORRESPONDING COMPUTER PROGRAMS
Document Type and Number:
WIPO Patent Application WO/2017/165930
Kind Code:
A1
Abstract:
The present invention relates to a system and method for tracking vehicles (V1, V2), wherein the system (100) comprises at least one on-board central unit (200) and one or more tracking devices (3001...300n), and the method comprises the depositing by the on-board central unit (200) of tracking devices (3001...300n) to create a track or route (R) of the vehicle (V1, V2), which tracking devices (3001...300n) can be followed electronically or by devices for tracking mobile phone, satellite, radiofrequency and similar signals, or by visual tracking devices. The present invention further relates to an apparatus and to one or more corresponding computer programs.

Inventors:
BARBOSA LEONARCZYK, Gilson (Rua Maria da Luz Rocha Belão, 404, -590 Curitiba, 81710-590, BR)
TOGEL, Rafael (Rua Atílio Bório, 90/1403, -250 Curitiba, 80050-250, BR)
Application Number:
BR2016/050066
Publication Date:
October 05, 2017
Filing Date:
March 29, 2016
Export Citation:
Click for automatic bibliography generation   Help
Assignee:
BARBOSA LEONARCZYK, Gilson (Rua Maria da Luz Rocha Belão, 404, -590 Curitiba, 81710-590, BR)
TOGEL, Rafael (Rua Atílio Bório, 90/1403, -250 Curitiba, 80050-250, BR)
International Classes:
G06Q50/30; B60R25/00; B60R25/102; B60R25/33; G06Q50/28; G08B13/00; G08B21/00; G08B21/18; G08B25/00; H04K3/00
Foreign References:
CA2887081A12009-01-22
US7860517B12010-12-28
US20130222115A12013-08-29
Attorney, Agent or Firm:
MEROLA, Flávia (Av. Rio Branco, 103 11º e 12º andares, -004 Rio de Janeiro, 20040-004, BR)
Download PDF:
Claims:
REIVINDICAÇÕES

1 . Sistema de rastreio de veículos, para rastrear veículos (V1 , V2), caracterizado por compreender a tarefa de possibilitar o rastreamento de um veículo (V1 , V2) através da deposição ou lançamento, a partir de pelo menos uma central embarcada (200) no veículo (V1 , V2), de um ou mais dispositivos de rastreamento (3001 ...300n), em que estes dispositivos de rastreamento (3001 ...300n) formam um rastro ou rota (R) do veículo (V1 , V2), que pode ser seguido eletronicamente ou por meios de rastreamento de sinais de celular, satélite, radiofrequência e/ou similares ou ainda visualmente.

2. Sistema, de acordo com a reivindicação 1 , caracterizado por a central embarcada (200) compreender fonte de energia (210), módulo de georreferenciamento (220), unidade de transmissão e recebimento (230), unidade de processamento central (240), dispositivo de armazenamento de dados (250), compartimento de armazenamento físico (260), abertura (270), dispositivo de deposição e/ou lançamento (280) e dispositivo de detecção de movimento (290).

3. Sistema, de acordo com a reivindicação 1 , caracterizado por cada dispositivo de rastreamento (3001 ...300n) compreender fonte de energia (310), módulo de georreferenciamento (320), unidade de transmissão e recebimento (330); unidade de processamento (340); e dispositivo de detecção de movimento (350).

4. Sistema, de acordo com as reivindicações 1 e 3, caracterizado por os dispositivos de rastreamento (3001 ...300n) compreenderem, adicionalmente e opcionalmente, dispositivo de iluminação (360) e/ou dispositivo de sonorização (370).

5. Sistema, de acordo com as reivindicações 1 , 2 e 3, caracterizado por o módulo de georreferenciamento (220, 320) ser compatível com a transmissão e o recebimento de sinais de celular (GSM, GPRS e/ou similar), de satélite (GPS) e de radiofrequência e que a unidade de transmissão e recebimento (230, 330) deve ser uma unidade compatível com a transmissão e o recebimento de sinais de celular, satélite e radiofrequência, incluindo eventuais tecnologias de RFID e/ou similares.

6. Sistema, de acordo com as reivindicações 1 , 2 e 3, caracterizado por a unidade de processamento central (240, 340) conter um processador e respectivas portas de comunicação (seriais e/ou paralelas, USB etc), capaz de executar um programa de computador gerenciador do sistema (100) de modo a receber e processar informações de entrada e gerar sinais de saída para o comando de elementos do sistema (100).

7. Método de rastreio de veículos, para rastrear veículos (V1 , V2), caracterizado por compreender a tarefa de possibilitar o rastreamento de um veículo (V1 , V2) através da deposição ou lançamento, a partir de pelo menos uma central embarcada (200) no veículo (V1 , V2), de um ou mais dispositivos de rastreamento (3001 ...300n), em que estes dispositivos de rastreamento (3001 ...300n) formam um rastro ou rota (R) do veículo (V1 , V2), que pode ser seguido eletronicamente ou por meios de rastreamento de sinais de celular, satélite, radiofrequência e/ou similares ou ainda visualmente.

8. Método, de acordo com a reivindicação 7, caracterizado por compreender as seguintes etapas de método:

- 1 § etapa: receber um sinal de acionamento através das portas de comunicação da unidade de processamento central (240) de uma (primeira) central embarcada (200);

- 2- etapa: depositar um primeiro dispositivo de rastreamento

(3001 ) no solo;

- 3§ etapa: registrar as informações de deposição do primeiro dispositivo de rastreamento (3001 ) e iniciar ou reiniciar ou atualizar o georreferenciamento da central embarcada (200); - A- etapa: iniciar o georreferenciamento do primeiro dispositivo de rastreamento (3001 );

- 5- etapa: emitir um ou mais sinais de comunicação e/ou indicativos de localização a partir do primeiro dispositivo de rastreamento (3001 ) e/ou da central embarcada (200);

- 6§ etapa: depositar um segundo dispositivo de rastreamento

(3002) no solo, a uma distância (x1 ) do primeiro dispositivo de rastreamento (3001 );

- 7- etapa: registrar as informações de deposição do segundo dispositivo de rastreamento (3002) e iniciar ou reiniciar ou atualizar o georreferenciamento da central embarcada (200);

- 8§ etapa: iniciar o georreferenciamento do segundo dispositivo de rastreamento (3002);

- 9§ etapa: emitir um ou mais sinais de comunicação e/ou indicativos de localização a partir do segundo dispositivo de rastreamento (3002) e/ou da central embarcada (200);

- 10§ etapa: comparar os dados de comunicação e/ou indicativos de localização do primeiro dispositivo de rastreamento

(3001 ) aos do segundo dispositivo de rastreamento

(3002) ;

- 1 1 § etapa: depositar um terceiro dispositivo de rastreamento (3003) no solo, a uma distância (x2) do segundo dispositivo de rastreamento (3002);

- 12§ etapa: registrar as informações de deposição do terceiro dispositivo de rastreamento (3003) e iniciar ou reiniciar ou atualizar o georreferenciamento da central embarcada (200); - 13§ etapa: iniciar o georreferenciamento do terceiro dispositivo de rastreamento (3003);

- 14§ etapa: emitir um ou mais sinais de comunicação e/ou indicativos de localização a partir do terceiro dispositivo de rastreamento (3003) e/ou da central embarcada

(200);

- ^ 5- etapa: comparar os dados de comunicação e/ou indicativos de localização do segundo dispositivo de rastreamento

(3002) aos do terceiro dispositivo de rastreamento

(3003) e, eventualmente, em relação aos do primeiro dispositivo de rastreamento (3001 ); e

- 16§ etapa: repetir as etapas acima descritas até a recepção de um comando de finalização e/ou a deposição do último dispositivo de rastreamento (3001 ...300n) da (primeira) central embarcada (200), ou ainda repetir as etapas acima descritas em uma segunda central embarcada (200) e assim por diante.

9. Equipamento de rastreio, para rastrear veículos (V, V1 , V2), caracterizado por compreender um sistema (100) conforme as reivindicações 1 , 2, 3, 4, 5 e 6 e capaz de executar um método conforme as reivindicações 7 e 8.

10. Programas de computador, caracterizados por operarem um sistema (100) conforme as reivindicações 1 , 2, 3, 4, 5 e 6 e de executarem um método conforme as reivindicações 7 e 8.

Description:
SISTEMA E MÉTODO DE RASTREIO DE VEÍCULOS E EQUIPAMENTO DE RASTREIO E PROGRAMAS DE COMPUTADOR CORRESPONDENTES

Campo de aplicação

[001 ] A presente invenção pertence ao campo da indústria de dispositivos de monitoramento e rastreio de veículos.

Introdução

[002] A presente invenção se refere a um sistema e a um método para rastrear veículos por meio do lançamento e posterior acompanhamento de dispositivos de rastreamento.

[003] A presente invenção se refere também a um equipamento de rastreio e programas de computador capazes de executar o método de acordo com a invenção.

Estado da técnica

[004] Hoje em dia existem muitas empresas que oferecem serviços de rastreamento, que com um equipamento embarcado no veículo a ser rastreado propiciam um controle logístico e de segurança do mesmo, e que, através de uma central ou plataforma web, disponibilizam diversas informações sobre os veículos rastreados ao usuário como posicionamento, entrada e saída de áreas determinadas, velocidade, dentre outras. A comunicação entre central e veículo geralmente é obtida através de comunicação por telefone celular (GPRS) ou satélite (GPS).

[005] No tocante a segurança, alguns equipamentos trazem ferramentas como bloqueios, travas e alarmes que, em situações de risco como roubos, furtos ou sequestros, podem entrar em ação e atuar no veículo, inibindo ou dificultando uma possível tentativa de roubo, por exemplo.

[006] Os crescentes índices de roubo e sequestro tanto de cargas quanto de veículos são também resultado da utilização das novas tecnologias pelos ladrões e sequestradores, tornando-os capazes de burlar quase todos os tipos de barreiras empregadas pelos rastreadores e periféricos de segurança atuantes hoje nos veículos ou cargas.

[007] Dentre estas tecnologias utilizadas destaca-se um equipamento chamado de jammer, por exemplo, que embaralha ou bloqueia o sinal do rastreador do veículo, inibindo qualquer tipo de comunicação com a central. Também são largamente aplicados os detectores de sinal, que localizam fisicamente o rastreador do veículo, que, por sua vez, pode ser encontrado, desligado, danificado ou até mesmo removido, rompendo igualmente a ligação entre veículo e central.

[008] Estes mecanismos funcionam de formas diferentes e estão em constante evolução, mas têm em comum o modo de atuação, que é feito dentro do veículo ou carga em questão. O problema é que os equipamentos de rastreamento também compartilham seu modo de atuação em comum, são todos embarcados nos veículos ou carga, mesmo os rastreadores móveis, que podem ser versáteis pela sua mobilidade, mas precisam estar embarcados para fornecer informações do objeto rastreado. Consequentemente todos os rastreadores hoje disponíveis estão sujeitos às ações destes diversos mecanismos mal-intencionados com a finalidade de burlar suas funções e facilitar o roubo, furto ou sequestro de uma carga ou veículo.

[009] São conhecidas do estado da técnica as mais diversas soluções para o monitoramento remoto de veículos, especialmente incluindo dispositivos de sinalização e/ou localização embarcados, que vão desde equipamentos de rádio até complexos sistemas de georreferenciamento, passando por aparelhos de telefonia celular, indicadores de posição por radiofrequência e similares.

[010] Um exemplo dessa natureza é o documento patentário brasileiro de número PI 0503452 que revela um sistema e dispositivos para o rastreamento de veículos e suas cargas. Dita solução possui processadores, um dispositivo de transmissão e recepção de radiofrequência, um transmissor para estabelecer a conexão com uma central, um GPS, além de um módulo de monitoramento (2), também dotado de dispositivo de recepção e transmissão de radiofrequência, sendo que o dito módulo (2) é montado no veículo a ser monitorado, no caso uma carreta (T). Também possui transmissores (3) que são compostos por uma bateria e um dispositivo de transmissão e recepção de radiofrequência. No caso de desacoplamento entre a carreta (T) e o cavalo mecânico (M), a conexão (4) existente entre o dispositivo (1 ) e o módulo (2) se interrompe, assim como as conexões (5) do dispositivo (1 ) com cada um dos transmissores (3). Com isto, o dispositivo (1 ) envia um sinal de alerta (8) para uma central de monitoramento (C), informando do evento. Já no caso de uma perda de conexão (4), o módulo (2) entra em sinal de alerta, passando a transmitir um sinal de pânico (9), sendo que qualquer outro dispositivo similar poderá captar seu sinal (9), mesmo que este dispositivo similar esteja instalado em outro veículo ou em um marco ao longo da rodovia (R).

[01 1 ] Um problema dessa solução é o fato de possuir uma única conexão direta (7) com a central (C) que é feita através do dispositivo (1 ), isto é, no caso de um bloqueador de sinal GPS/GPRS ou jammer ou equipamento similar atuar no veículo (M), toda e qualquer tentativa de busca e salvaguarda do mesmo resume-se aos sinais de alerta ou pânico (9) emitidos pelo módulo (2) e transmissores (3) instalados na carreta (T). Desta forma, perde-se o acompanhamento e monitoramento direto, por parte da central (C).

[012] Outro problema da invenção descrita em PI 0503452 é que, no caso do tráfego de veículos (M) em comboio, o sistema revelado compromete-se a estabelecer uma conexão ou contato (12) com a central de monitoramento (C), sendo que o dispositivo (1 ) responsável pelo contato (12) é instalado em apenas um dos integrantes do comboio enquanto o restante é equipado com módulos (2), transmissores (3) e atuadores, e, neste caso, um mero erro de operação ou um simples defeito no dispositivo (1 ) pode comprometer todo o comboio, pois cada um dos módulos (2) ou transmissores (3) instalados nos membros (M) do comboio iniciará os protocolos programados, como o bloqueio do veículo (M), por exemplo, prejudicando a operação em questão, que, neste cenário não contará mais com uma conexão direta com a central (C), impossibilitando-os de seguir viagem.

[013] Além disso, a carreta (T) ou carga (V1 , V2...), não possui conexões diretas com a central, ou seja, em caso de roubo ou situação de risco, dependem totalmente da probabilidade de outro caminhão (M) estar equipado com um dispositivo similar (1 ) e estar passando próximo à carreta (T) ou carga (V1 , V2...) ou marcos na estrada (R) estarem na rota de fuga, para estabelecerem uma conexão (14) para então estabelecer uma conexão (13) com a central (C) e, assim, determinar sua localização. Desta forma, em caso de roubo ou situações de risco, a busca e salvaguarda do veículo ou carga fica condicionada a uma quantidade muito grande de variantes, conforme supracitado.

[014] Já o documento patentário norte-americano US 5,703,598 consiste em um método de rastreamento de bens roubados que usa um receptor de rádio, continuamente alimentado, para receber sinais codificados de uma estação central. Quando o sinal recebido corresponde a um código único armazenado no receptor, um receptor GPS e um transmissor de rádio junto aos bens roubados, são ligados por um período de tempo predeterminado a uma fonte de alimentação de modo a que um sinal de GPS recebido pelo receptor seja processado e os dados de posição assim produzidos sejam transmitidos para a estação central.

[015] Essa solução, bem como a revelada por outro documento patentário correlato de número US 5,726,893, têm em comum um mesmo problema: trata de equipamentos embarcados e que realizam georreferenciamento apenas via GPS, tornando-se alvos fáceis de jammers, inibidores, bloqueadores e localizadores de sinal GPS, GPRS, satélite etc.

[016] De um modo geral, portanto, a realidade atual nos revela que faltam soluções capazes de fazer frente à crescente atuação de quadrilhas especializadas em roubo de cargas que, dotadas de tecnologia de última geração, são capazes de inibir ou bloquear sinais de GPS, GPRS, GSM por meio de aparelhos conhecidos por jammers, e que aparelhos similares são capazes de embaralhar inclusive sinais de radiofrequência.

[017] Além disso, como é conhecido dos versados na técnica, a radiofrequência, que por um lado é eficaz e muito utilizada na recuperação de cargas e veículos, justamente por oferecer maior resistência ao jammer, depende por outro lado, em determinadas situações, do emprego de processos de triangulação de antenas, o que envolve um oneroso trabalho de campo, impossibilitando assim um acompanhamento em tempo real do veículo ou carga em questão pela central.

[018] Com o devido conhecimento do estado da técnica e de suas respectivas vulnerabilidades, o Centro de Experimentação e Segurança Viária ou CESVI, que promove estudos que testam e avaliam técnicas de empresas, sistemas, produtos e serviços ligados ao setor automotivo, publicou em sua revista de número 76, em dezembro de 201 1 , página 32 a seguinte afirmação: "A conclusão do CESVI é a de que, apesar de todas as tentativas, ainda não existe um recurso que possa impedir o funcionamento do jammer de forma eficiente e definitiva. Apesar dos caminhos paralelos para transpor a barreira imposta pelo bloqueador de sinais, os sistemas ainda não são capazes, nem remotamente, de manter sua comunicação com a central em duas vias (recebendo comandos e transmitindo informações). Mesmo adotando outras formas de comunicação, os sinais são suscetíveis de bloqueio ou detecção, possibilitando uma ação maliciosa. Esses riscos devem estar previstos por quem adquire um equipamento de rastreamento - seja o gerenciador de risco, a seguradora ou o cliente finar.

[019] Como pode ser inferido da descrição acima, existe espaço e demanda para uma solução de rastreamento de veículos aprimorada e capaz de superar as deficiências do estado da técnica, especialmente no que se refere à eliminação da vulnerabilidade a equipamentos de inibição e bloqueio de sinal.

Objetivos da invenção

[020] Um dos objetivos da presente invenção é um sistema de acordo com as características da reivindicação independente de número 1 .

[021 ] Outro objetivo da invenção é um método de acordo com as características da reivindicação independente de número 7.

[022] Finalmente, um dos objetivos da invenção é um equipamento de acordo com as características da reivindicação independente de número 9 e um ou mais programas de computador de acordo com a reivindicação independente de número 10.

[023] Demais detalhamentos dessas características e/ou características adicionais são representadas pelas reivindicações dependentes correspondentes.

Breve descrição das figuras

[024] Para melhor entendimento e visualização do objeto da presente invenção, a mesma será agora descrita com referência às figuras anexas, representando o efeito técnico obtido por meio de uma modalidade exemplar não limitante do escopo da presente invenção, em que, esquematicamente:

[025] Figura 1 : apresenta uma vista lateral de um veículo dotado de um sistema de acordo com a invenção;

[026] Figura 2: apresenta uma vista lateral de um veículo dotado de um sistema de acordo com a invenção, depositando dispositivos de rastreamento; [027] Figura 3: apresenta uma vista lateral de uma central embarcada e de dispositivos de rastreamento de acordo com a invenção;

[028] Figura 4: apresenta uma vista superior de uma central embarcada e de dispositivos de rastreamento de acordo com a invenção;

[029] Figura 5: apresenta uma vista lateral de um dispositivo de rastreamento de acordo com a invenção;

[030] Figura 6: apresenta uma vista diagramática superior de um veículo dotado de um sistema de acordo com a invenção sendo rastreado em uma situação de trânsito e tráfego comum do dia a dia;

[031 ] Figura 7: apresenta outro exemplo não limitante de aplicação do sistema e método de acordo com a invenção;

[032] Figura 8: apresenta outro exemplo não limitante de aplicação do sistema e método de acordo com a invenção; e

[033] Figura 9: apresenta outro exemplo não limitante de aplicação do sistema e método de acordo com a invenção.

Descrição detalhada da invenção

Sistema

[034] Um sistema de acordo com a invenção ou simplesmente sistema (100) para rastrear veículos (Vi , V2) compreende essencialmente possibilitar o rastreamento de um veículo (Vi , V2) através da deposição ou lançamento, a partir de uma central embarcada (200) no veículo (Vi , V2), de um ou mais dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ), em que estes dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ) formam um rastro ou rota (R) do veículo (Vi , V2), que pode ser seguido eletronicamente ou por meios de rastreamento de sinais de celular, satélite, radiofrequência e/ou similares ou ainda visualmente.

[035] Um sistema (100) de acordo com a invenção, portanto, compreende pelo menos uma central embarcada (200) e um ou mais dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ). [036] Uma central embarcada (200) de acordo com a invenção pode compreender, de forma exemplar e não limitante:

- fonte de energia (210),

- módulo de georreferenciamento (220),

- unidade de transmissão e recebimento (230),

- unidade de processamento central (240),

- dispositivo de armazenamento de dados (250),

- compartimento de armazenamento físico (260),

- abertura (270),

- dispositivo de deposição e/ou lançamento (280) e

- dispositivo de detecção de movimento (290).

[037] Já os dispositivos de rastreamento (300) de acordo com a invenção podem compreender, de forma exemplar e não limitante:

- fonte de energia (310),

- módulo de georreferenciamento (320),

- unidade de transmissão e recebimento (330),

- unidade de processamento (340),

- dispositivo de detecção de movimento (350),

- dispositivo de iluminação (360) e

- dispositivo de sonorização (370).

[038] Uma central embarcada (200) de acordo com a invenção pode compreender, portanto, fonte de energia (210), módulo de georreferenciamento (220), unidade de transmissão e recebimento (230), unidade de processamento central (240), dispositivo de armazenamento de dados (250), compartimento de armazenamento físico (260), uma abertura (270), um dispositivo de deposição e/ou lançamento (280) e, opcionalmente, um dispositivo de detecção de movimento (290).

[039] A fonte de energia (210) deve ser uma fonte adequada à operação do sistema (100) aqui descrito, tanto em espera {stand by) quanto em operação em caso de acionamento ou ambos, podendo incluir também dispositivo de carregamento externo e/ou ligado a alguma parte do veículo (Vi , V2) e tomadas e/ou acoplamentos correspondentes.

[040] O módulo de georreferenciamento (220) deve ser um módulo de referenciamento com antena compatível com a transmissão e o recebimento de sinais de celular (GSM, GPRS e/ou similar), de satélite (GPS) e de radiofrequência.

[041 ] A unidade de transmissão e recebimento (230) deve ser uma unidade compatível com a transmissão e o recebimento de sinais de celular, satélite e radiofrequência, incluindo eventuais tecnologias de RFID e/ou similares.

[042] A unidade de processamento central (240) deve conter um processador com características técnicas compatíveis e respectivas portas de comunicação (seriais e/ou paralelas, USB etc), capaz de executar um programa de computador gerenciador do sistema (100) de modo a receber e processar informações de entrada e gerar sinais de saída para o comando de elementos do sistema (100).

[043] O dispositivo de armazenamento de dados (250) deve ser uma memória (volátil e/ou não-volátil) capaz de armazenar informações captadas e processadas pela unidade de processamento central (240).

[044] O compartimento de armazenamento físico (260) deve ser um recipiente capaz de armazenar um ou mais dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ) de modo que não sofram danos físicos por choques mecânicos e estejam protegidos de sujidades e intempéries.

[045] A abertura (270) da central embarcada (200) deve ser uma interface física capaz de permitir a deposição e/ou lançamento de um ou mais dispositivos de rastreamento (300i... n ) em caso de acionamento do sistema (100), podendo ser uma escotilha, uma gaveta, uma portinhola, uma rosca ou similar ou uma combinação destes.

[046] O dispositivo de deposição e/ou lançamento (280) deve servir à retirada de um ou mais dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ) do interior do compartimento de armazenamento físico (260) de modo que um ou mais dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ) alcancem o ambiente externo à central embarcada (200), podendo ser desde um simples dispositivo de acionamento da abertura (270) para liberação por gravidade dos dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ) até um complexo dispositivo de lançamento ou disparo dos dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ), dependendo esta solução obviamente também da posição de instalação da central embarcada (200).

[047] O dispositivo de detecção de movimento (290) deve ser um dispositivo capaz de detectar alterações de movimento da central embarcada (200), ou seja, da parte do veículo (Vi , V2) a que está acoplado, especialmente de alterações bruscas da situação de movimento do veículo (Vi , V2), podendo ser, por exemplo, um acelerômetro ou um giroscópio ou uma combinação destes ou outro equipamento similar.

[048] Um dispositivo de rastreamento (300) de acordo com a invenção pode compreender, portanto, fonte de energia (310), módulo de georreferenciamento (320), unidade de transmissão e recebimento (330), unidade de processamento (340) e dispositivo de detecção de movimento (350).

[049] A fonte de energia (310) deve ser uma fonte adequada à operação do dispositivo de rastreamento (300), tanto em espera {stand by) quanto em operação em caso de acionamento ou ambos, podendo incluir um meio de acionamento ativado quando da saída do dispositivo de rastreamento (300) de dentro do compartimento de armazenamento físico (260).

[050] O módulo de georreferenciamento (320) deve ser um módulo de referenciamento com antena compatível com a transmissão e o recebimento de sinais de celular (GSM, GPRS e/ou similar), de satélite (GPS) e de radiofrequência.

[051 ] A unidade de transmissão e recebimento (330) deve ser uma unidade compatível com a transmissão e o recebimento de sinais de celular, satélite e radiofrequência, incluindo eventuais tecnologias de RFID e/ou similares.

[052] A unidade de processamento (340) deve conter um processador com características técnicas compatíveis, capaz de executar um programa de computador específico de modo a receber e processar informações de entrada e gerar sinais de saída para o comando de elementos do sistema (100).

[053] O dispositivo de detecção de movimento (350) deve ser um dispositivo capaz de detectar alterações de movimento do dispositivo de rastreamento (300), especialmente de alterações bruscas da situação de movimento do dispositivo de rastreamento (300), podendo ser, por exemplo, um acelerômetro ou um giroscópio ou uma combinação destes ou outro equipamento similar.

[054] O dispositivo de iluminação (360), opcional, deve ser um dispositivo capaz de gerar uma iluminação capaz de auxiliar na localização dos dispositivos de rastreamento (300) em caso de falha ou inutilização de um ou mais dos demais dispositivos previstos, podendo também incluir uma pintura fluorescente e/ou fosforescente.

[055] O dispositivo de sonorização (370), igualmente opcional, deve ser um dispositivo capaz de gerar ondas sonoras capazes de auxiliar na localização dos dispositivos de rastreamento (300) em caso de falha ou inutilização de um ou mais dos demais dispositivos previstos, podendo também incluir dispositivos de ultrassom, emissores de radiofrequência, Bluetooth ® , sonares etc.

[056] Pode-se pensar ainda na utilização de diversos outros dispositivos úteis à localização dos dispositivos de rastreamento (300), também como forma de redundância dos dispositivos ora descritos como, por exemplo, dispositivos de captura de imagem, dispositivos de vibração e de movimentação autónoma e outros mais, desde que sua utilização não comprometa as demais funções e capacidades do sistema (100). Funcionamento

[057] Conforme descrito acima, os elementos de um sistema (100) de acordo com a invenção compõem uma solução capaz de promover o rastreamento de um veículo (Vi , V2) através da deposição ou lançamento, a partir do veículo (Vi , V2), preferencialmente em movimento, de um ou mais dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ), em que estes dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ) formam um rastro ou rota (R) do veículo (Vi , V2) podendo ser seguidos eletronicamente ou por meio de dispositivos de rastreamento de sinais de celular, satélite, radiofrequência e/ou similares ou ainda visualmente.

[058] É de se notar que o uso do sistema (100) de acordo com a invenção pode se estender também a outros tipos de objetos a ser rastreados. É possível imaginar o rastreamento de pacotes ou caixas ou até mesmo contêineres e de pessoas, isoladamente ou em grupos, aeronaves em situação de emergência, veículos desgovernados, pessoas e/ou objetos atrelados a paraquedas, veículos em observação, veículos em fuga, embarcações náuticas e subaquáticas e outros tantos exemplos.

[059] Para descrever o funcionamento do sistema (100) de acordo com a invenção, entretanto, utilizar-se-á o exemplo não limitante do monitoramento de um veículo (Vi , V2) pelo sistema (100), sendo o veículo (Vi , V2) representado aqui por um cavalo mecânico (Vi) e um reboque ou carreta (V2), ambos conhecidos do estado da técnica.

[060] Uma ou mais centrais embarcadas (200) são dispostas no cavalo mecânico (Vi) ou no reboque ou carreta (V2) ou em ambos, de modo a ocultar sua presença de terceiros e preferencialmente de modo a ocultá-los inclusive do próprio usuário (motorista) do veículo (Vi , V2).

[061 ] Ditas centrais embarcadas (200) estão carregadas, cada uma, com um ou mais dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ). [062] O acionamento do sistema (100) pode ser feito de forma manual ou automática, de modo presencial ou remoto ou por uma combinação destas formas e modos.

[063] Um exemplo não limitante de acionamento pode ser o do acionamento manual de um botão de pânico no veículo (Vi , V2).

[064] Outro exemplo não limitante pode ser o acionamento remoto desde uma central que, por exemplo, tenha sido informada do roubo ou sequestro do veículo (Vi , V2).

[065] Outro exemplo não limitante pode ser o acionamento por meio de um sinal disparado pelo dispositivo de detecção de movimento (290) quando, por exemplo, do atingimento de um valor mínimo de aceleração e/ou de inclinação do veículo (Vi , V2).

[066] Outro exemplo não limitante pode ser o acionamento por meio de um sinal disparado pelo dispositivo de detecção de movimento (290) quando, por exemplo, do atingimento de um valor mínimo de velocidade do veículo (Vi , V2) associado a um outro critério cuja ocorrência (ou ausência) indique uma operação anormal.

[067] Outro exemplo não limitante pode ser o acionamento por meio de um sinal disparado pelo módulo de georreferenciamento (220), por exemplo, quando o veículo (Vi , V2) adentrar uma determinada zona de tráfego não permitida ou ultrapassar um limite de circulação predeterminado ou ambos combinados ou outro evento de disparo similar.

[068] Uma vez acionado, o sistema (100) inicia um ciclo de deposição dos dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ), soltando-os no solo ou disparando-os ao solo, dependendo da posição da central embarcada (200) e do tipo de dispositivo de deposição e/ou lançamento (280) utilizado, sendo esta deposição realizada de modo controlado e em intervalos específicos.

[069] Estes intervalos específicos podem ser predeterminados e fixos ou dependentes de determinadas variáveis como, por exemplo, a velocidade do veículo (Vi , V2), depositando com menor frequência em caso de velocidades menores e com maior frequência em caso de velocidades maiores. Outras variáveis imagináveis podem ser o valor da carga transportada, o tipo de trajeto, intensidade de tráfego etc.

[070] De vital importância, porém, é a deposição de um número de dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ) tal que a distância (xi... n ) entre estes possibilite que o veículo (Vi , V2) seja rastreado adequadamente e com a maior precisão possível, obviamente levando em conta também a capacidade do compartimento de armazenamento físico (260), que é limitada.

[071 ] Para os casos de veículos (Vi , V2) que realizam viagens de longa distância e/ou para áreas remotas, pode-se pensar tanto em uma redução da frequência de deposição quanto na utilização de mais de uma central embarcada (200). Nessa segunda possibilidade, pode-se criar uma hierarquia específica de deposição dos dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ), por exemplo, iniciando-se a deposição dos dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ) de uma primeira central embarcada (200) até que a mesma esteja sem dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ) e, na sequência, caso ainda seja necessário, passando-se à deposição a partir da próxima central embarcada (200) e assim por diante.

[072] A utilização de mais de uma central embarcada (200) também pode aumentar a segurança do sistema (100), pois aumenta a chance de que pelo menos uma delas não seja encontrada e eliminada ou bloqueada.

[073] Quando da soltura ou disparo de um primeiro dispositivo de rastreamento (300i), a unidade de processamento central (240) faz um primeiro registro no dispositivo de armazenamento de dados (250), sendo que este registro pode conter informações diversas, por exemplo, o número do dispositivo de rastreamento (300i ...300 n ) depositado, data, hora (hora, minutos e segundos), eventualmente o local por georreferenciamento, a velocidade a cada deposição e demais informações importantes para o rastreio posterior do veículo (Vi , V2) e armazenamento do histórico dos acontecimentos para, por exemplo, posterior reconstituição e comprovação por dupla prova da rota (R).

[074] Uma vez depositado, o módulo de georreferenciamento (320) do primeiro dispositivo de rastreamento (300i) inicia um procedimento de georreferenciamento e comunicação (A), informando suas coordenadas para uma central de monitoramento, fixa e/ou remota, através da emissão de sinais (A) por meio da unidade de transmissão e recebimento (330), além de outros dados pertinentes como a data e hora (hora, minuto e segundo) de impacto no solo.

[075] É de se notar que essa comunicação pode ser realizada tanto entre o respectivo dispositivo de rastreamento (300i ...300 n ) e uma central fixa e/ou remota, quanto entre este e um receptor aleatório adequado para tal como, por exemplo, a própria unidade de transmissão e recebimento (230) da central embarcada (200). Além disso, a comunicação pode ser feita também entre os dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ).

[076] Após um determinado intervalo de tempo, função da frequência de deposição específica predeterminada para cada situação, é depositado a uma distância (xi) do primeiro dispositivo de rastreamento (300i) o segundo dispositivo de rastreamento (30O2), repetindo-se as operações acima descritas, em especial repetindo-se o procedimento de georreferenciamento e de informação suas coordenadas para uma central de monitoramento, fixa e/ou remota, através da emissão de sinais por meio da unidade de transmissão e recebimento (330), além de outros dados pertinentes como a data e hora (hora, minutos e segundos) etc. de deposição ou lançamento e/ou impacto no solo.

[077] Esta operação de deposição é realizada até o enésimo dispositivo de rastreamento (300 n ), depositado a uma distância (x n ) do penúltimo dispositivo de rastreamento (300 n -i) depositado. [078] Desse modo é possível determinar a velocidade e posição aproximada do veículo (Vi , V2), verificar eventuais variações dessa velocidade e posição, estimar a rota (R) mais provável ou a próxima possível posição do veículo (Vi , V2), enfim, obtém-se um rastro ou rota (R) do veículo (Vi, V2).

[079] É de se notar que a deposição (por soltura ou lançamento) dos dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ) poderá obedecer a distribuições aleatórias, gerando uma sequência de coordenadas que devem ser analisadas dentro de um contexto apropriado a cada situação, como, por exemplo (mas sem se limitar), à consideração de elementos como a velocidade do veículo (Vi, V2), o tipo de estrada ou caminho utilizado, as condições meteorológicas e intempéries, a época do ano, a hora do dia etc, estimando-se e considerando-se, portanto, tolerâncias para cada caso.

[080] Também é de se notar que a deposição (por soltura ou lançamento) dos dispositivos de rastreamento (300i...300 n ) pode ser finalizada de várias maneiras ou ter seu término determinado por diversos fatores diferentes.

[081] Um exemplo não limitante de finalização da deposição dos dispositivos de rastreamento (300i...300 n ) pode ser a parada do veículo (Vi , V2) ou o tráfego do mesmo abaixo de uma determinada velocidade predeterminada.

[082] Outro exemplo não limitante de finalização da deposição dos dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ) pode ser sua interrupção por intervenção no sistema (100) que, similarmente ao acionamento acima descrito, pode ser feita de forma manual ou automática, de modo presencial ou remoto ou por uma combinação destas formas e modos.

[083] Outro exemplo não limitante pode ser o acionamento remoto desde uma central que, por exemplo, tenha sido informada da recuperação ou localização do veículo (Vi, V2).

[084] Outro exemplo não limitante pode ser o acionamento por meio de um sinal disparado pelo módulo de georreferenciamento (220), por exemplo, quando o veículo (Vi , V2) adentrar uma determinada zona de tráfego permitida ou segura ou ultrapassar um limite de circulação cercado ou conhecido predeterminado ou ambos combinados ou outro evento similar.

Método

[085] Um método para rastrear veículos (Vi , V2) de acordo com a invenção compreende possibilitar o rastreamento de um veículo (Vi , V2) através da deposição ou lançamento, a partir de uma central embarcada (200) no veículo (Vi , V2), de um ou mais dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ), em que estes dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ) formam um rastro ou rota (R) do veículo (Vi , V2), que pode ser seguido eletronicamente ou por meios de rastreamento de sinais de celular, satélite, radiofrequência e/ou similares ou ainda visualmente.

[086] Considerando o sistema (100) exemplar de acordo com a invenção, compreendendo pelo menos uma central embarcada (200) e um ou mais dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ), um método de acordo com a invenção pode compreender as seguintes etapas de método:

etapa: receber na (primeira) central embarcada (200) um sinal de acionamento;

- 2- etapa: depositar ou lançar um primeiro dispositivo de rastreamento (300i);

- 3 ã etapa: registrar as informações de deposição do primeiro dispositivo de rastreamento (300i) e iniciar ou reiniciar ou atualizar o georreferenciamento da (primeira) central embarcada (200);

-4 ã etapa: iniciar o georreferenciamento do primeiro dispositivo de rastreamento (300i);

- 5 ã etapa: emitir um ou mais sinais de comunicação e/ou indicativos de localização a partir do primeiro dispositivo de rastreamento (300i) e/ou da central embarcada (200);

- 6 ã etapa: depositar ou lançar um segundo dispositivo de rastreamento (3002), a uma distância (xi) do primeiro dispositivo de rastreamento (300i);

- 7- etapa: registrar as informações de deposição do segundo dispositivo de rastreamento (30O2) e iniciar ou reiniciar ou atualizar o georreferenciamento da central embarcada (200);

-8 ã etapa: iniciar o georreferenciamento do segundo dispositivo de rastreamento (30O2);

- 9 ã etapa: emitir um ou mais sinais de comunicação e/ou indicativos de localização a partir do segundo dispositivo de rastreamento (30O2) e/ou da central embarcada (200);

- 10 ã etapa: comparar os dados de comunicação e/ou indicativos de localização do primeiro dispositivo de rastreamento

(3001) aos do segundo dispositivo de rastreamento

(300 2 ) ;

- 11 ã etapa: depositar um terceiro dispositivo de rastreamento (30O3) no solo, a uma distância (X2) do segundo dispositivo de rastreamento (30O2);

- 12 ã etapa: registrar as informações de deposição do terceiro dispositivo de rastreamento (30O3) e iniciar ou reiniciar ou atualizar o georreferenciamento da central embarcada (200);

- 13 ã etapa: iniciar o georreferenciamento do terceiro dispositivo de rastreamento (30O3);

- 14 ã etapa: emitir um ou mais sinais de comunicação e/ou indicativos de localização a partir do terceiro dispositivo de rastreamento (30O3) e/ou da central embarcada (200);

- 15 ã etapa: comparar os dados de comunicação e/ou indicativos de localização do segundo dispositivo de rastreamento

(3002) aos do terceiro dispositivo de rastreamento

(3003) e, eventualmente, em relação aos do primeiro dispositivo de rastreamento (300i);

- 16 ã etapa: repetir as etapas acima descritas até a recepção de um comando de finalização e/ou a deposição do último dispositivo de rastreamento (300i ...300 n ) da (primeira) central embarcada (200), ou ainda repetir as etapas acima descritas em uma segunda central embarcada (200) e assim por diante.

[087] Vale lembrar que o método aqui descrito é um exemplo não limitante de como um sistema (100) de acordo com a invenção pode funcionar no rastreamento de um veículo (Vi , V2).

[088] O método, portanto, não deve ser entendido como limitado às etapas acima listadas, sendo possíveis diversas combinações e sequências diferentes das apresentadas e, por conseguinte, complementações das etapas do método exemplar como, por exemplo, no caso da 10 § e da ^ 5- etapas (e subsequentes equivalentes no caso de vários dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ). Estas podem ser realizadas independentemente para cada dispositivo de rastreamento (300i ...300 n ) ou, por outro lado, incluir o agrupamento e a avaliação dos dados obtidos de todos os dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ) até então depositados, obtendo- se dados complementares úteis ao rastreamento como, por exemplo, a distância total ( χ τ) entre os dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ) e, assim, uma estimativa da distância total percorrida pelo veículo (Vi , V2) desde o acionamento do sistema (100). [089] É de se notar ainda que, dependendo da situação de aplicação, tanto o georreferenciamento (3 § , 1- e \ 2- etapas) quanto a emissão de um ou mais sinais de comunicação e/ou indicativos de localização a partir da central embarcada (200) (5 § , 9 § e 14 § etapas) pode não ser recomendado ou até desaconselhável, pois poderá denunciar a localização da central embarcada (200) no veículo (Vi , V2).

[090] Os dados obtidos de cada dispositivo de rastreamento (300i ...300 n ) podem também ser primeiramente armazenados e só depois agrupados e/ou avaliados e/ou transmitidos.

[091 ] Além disso, há de se notar que etapas do método acima descrito podem ser alteradas ou complementadas ou até mesmo eliminadas em função do tipo de veículo (V) utilizado.

[092] No exemplo de aplicação ilustrado pela figura 7, o avião (V) em situação de emergência ou sequestro ou outra situação que demande rastreamento, os dispositivos de rastreamento (300i ...300 n ) podem ter, por exemplo, pequenos dispositivos de retardo de queda, para mantê-los algum tempo emitindo sinais não só de posição mas também de altitude aproximada, para, por exemplo, estimar uma eventual posição de atingimento do solo pelo avião (V).

[093] Raciocínios similares podem ser aplicados ao uso em uma situação de paraquedismo, como o da figura 8, ou para uma situação subaquática como a da figura 9.

Equipamento

[094] A presente invenção refere-se também a um equipamento que compreende um sistema (100) de acordo com a invenção para executar tarefas que compreendem a execução de um método de acordo com a invenção.

Programas de computador

[095] A presente invenção refere-se também a um ou mais programas de computador, armazenáveis em um meio de armazenamento e executáveis em um equipamento de processamento de dados, compreendendo a operação de um sistema (100) de acordo com a invenção e a execução de um método de acordo com a invenção.

Conclusão

[096] Será facilmente compreendido por aqueles versados na técnica que modificações podem ser realizadas na presente invenção sem com isso se afastar dos conceitos expostos na descrição acima. Essas modificações devem ser consideradas como compreendidas pelo escopo da presente invenção. Consequentemente, as concretizações particulares descritas em detalhe anteriormente são somente ilustrativas e exemplares e não limitativas quanto ao escopo da presente invenção, ao qual deve ser dada a plena extensão das reivindicações em anexo e de todos e quaisquer equivalentes da mesma.