Login| Sign Up| Help| Contact|

Patent Searching and Data


Title:
VERTICAL TAKE-OFF AND LANDING COCOON-TYPE FLYING VEHICLE
Document Type and Number:
WIPO Patent Application WO/2021/000028
Kind Code:
A1
Abstract:
The invention relates to a novel vertical take-off and landing cocoon-type flying vehicle that pertains to the field of articles for air transportation, preferably for use in individual transportation, but optionally capable of being configured to transport two people, the major drawback of the prior art products for the same purpose being the fact that the user is left exposed and unprotected; conversely, the subject matter of the present application comprises a propelled flight vehicle with an aerodynamic airframe and hull, in the form of an ogival capsule, made from a light material, that is reliable, safe and easy to control, with the ability to take off and land vertically and hover, fly and manoeuvre at great distances and altitudes, made up of a cocoon-shaped capsule (1) consisting of a base (2), a cover (3), an entrance door (4) with windscreen (4A) and a mount for securing the power train.

Inventors:
FILHO ALBERTO CARLOS PEREIRA (BR)
Application Number:
BR2019/050247
Publication Date:
January 07, 2021
Filing Date:
July 03, 2019
Export Citation:
Click for automatic bibliography generation   Help
Assignee:
FILHO ALBERTO CARLOS PEREIRA (BR)
International Classes:
B64C29/00; B64C29/02; B64C29/04; B64C39/00
Attorney, Agent or Firm:
SOCIEDADE CIVIL BRAXIL LTDA (BR)
Download PDF:
Claims:
REIVINDICAÇÕES:

1 - "VEÍCULO VOADOR TIPO CASULO DE DECOLAGEM E POUSO VERTICAL", compreende um veículo de voo propulsado, caracterizado por ser constituído a partir de uma capsula em forma de casulo (1 ), que forma o cockpit, sendo que na porção frontal há uma porta (4) dotada de parabrisa (4A) e um painel de controle (12), sendo que abaixo do cockpit existe uma plataforma-base (2) onde se concentram internamente os acessórios e as baterias elétricas e externamente o trem de aterrisagem do tipo skid para pouso, e na porção sú pero-posterior do casulo há um par de propulsores (6), posicionados lado a lado, que podem ser propulsores elétricos ou miniturbojatos, e no topo do casulo (1 ) há um paraquedas balístico (5).

2- "VEÍCULO VOADOR TIPO CASULO DE

DECOLAGEM E POUSO VERTICAL", de acordo com a reivindicação 1 , caracterizado pelo casulo (1) ser constituído a partir de uma estrutura tubular (13), envolta por um corpo de material composto.

3- "VEÍCULO VOADOR TIPO CASULO DE

DECOLAGEM E POUSO VERTICAL", de acordo com a reivindicação 1 , caracterizado pelo cockpit possuir internamente uma cadeira fixada em um berço preso a estrutura tubular (13) constituída de quatro tubos verticais e possuem luvas metálicas de articulação (1 1), preso a duas colunas do casulo, para deslocamento vertical para ajuste ou amortecimento, sendo que a estrutura tubular (13) ostenta manoplas (9) de controle direcional e aceleração e desaceleração dos propulsores.

4- "VEÍCULO VOADOR TIPO CASULO DE

DECOLAGEM E POUSO VERTICAL", de acordo com a reivindicação 1 , caracterizado pelos propulsores (6) serem fixos e de fluxo axial, envoltos em nacelas aerodinâmicas, dotadas de duas tubeiras aletadas ou superfícies de controle (8), sendo que um conjunto de dispositivos de controle operados manualmente está mecanicamente ligado a essas superfícies de controle.

5- "VEÍCULO VOADOR TIPO CASULO DE DECOLAGEM E POUSO VERTICAL", de acordo com a reivindicação 1 , caracterizado por opcionalmente o veículo ser equipado com trem de aterrisagem dotado de rodas (14) ao invés do trem de aterrisagem do tipo skid.

Description:
"VEÍCULO VOADOR TIPO CASULO DE

DECOLAGEM E POUSO VERTICAL"

Campo da invenção

[001] A presente patente de invenção tem por objeto um prático e inovador veículo voador tipo casulo de decolagem e pouso vertical, pertencente ao campo dos artigos para transporte aéreo, de uso preferencial para o transporte individual, mas opcionalmente pode ser configurado para o transporte de duas pessoas.

[002] Mais especificamente o veículo voador tipo casulo de decolagem e pouso vertical compreende um veículo de voo propulsado, com estrutura e invólucro aerodinâmico, em forma de uma capsula ogival, confeccionado em material leve, confiável, seguro e facilmente controlável, que acomoda em seu interior uma ou opcionalmente duas pessoas. Equipada com propulsão a jato ou motores elétricos como opcional é capaz de se deslocar a altas velocidades e alcançar aproximadamente três quilómetros de altitude, possui capacidade de decolar, pousar verticalmente, pairar, voar e manobrar a grandes distâncias e altitudes.

[003] Tem-se, portanto, no pedido de patente em questão, um veículo de transporte aéreo especialmente projetado e desenvolvido para obter enorme praticidade e que traz grandes vantagens, tanto em sua utilização como em sua fabricação.

[004] O conceito esteve presente na ficção científica por quase um século e se generalizou na década de 1960. Mochilas a jato real têm sido desenvolvidas usando uma variedade de mecanismos, mas seus usos são muito mais limitados do que suas contrapartes fictícias devido aos desafios da atmosfera da terra, gravidade, baixa densidade de energia de combustíveis disponíveis e o corpo humano não sendo adequado para voar, e eles são usados principalmente para acrobacias. Um uso prático para o "jetpack" tem sido em atividades extra veiculares para os astronautas.

[005] Em termos mais gerais, um "jetpack" é um dispositivo vestível que permite ao usuário voar fornecendo tração. Com exceção de uso em um ambiente de microgravidade, esta tração deve ser para cima a fim de superar a força da gravidade e deve ser suficiente para superar o peso do "jetpack", seu combustível e o usuário. Isso requer necessariamente um pouco mais de potência para continuamente empurrar essa massa em varias direções.

[006] O voo livre requer combustível sendo transportado dentro do pacote. Isso resulta em problemas relacionados com a relação global em massa, o que limita o tempo de voo máximo. Motores mais eficientes, portanto são fundamentais para o sucesso desse equipamento.

Estado da técnica

[007] É de conhecimento dos técnicos no assunto que tradicionalmente, existem modelos de veículos de transporte aéreo pessoal de variadas formas, e conceitos.

[008] Nesse aspecto e no sentido de precisar o estado da técnica, podem ser citados alguns documentos de patente que versam sobre equipamentos com as mesmas finalidades conceituais, porém sem alcançar o mérito inventivo e os diferenciais ora revelados, conforme segue abaixo.

[009] O documento de patente US7900867B2, intitulado de "DISPOSITIVO DE PROPULSÃO PESSOAL"; revela um dispositivo de propulsão pessoal incluindo uma unidade de corpo tendo um centro de gravidade, onde a unidade de corpo inclui um conjunto de impulso fornecendo uma conduta principal em comunicação fluida com pelo menos dois bicos de empuxo, com os bicos de empuxo localizados acima do centro de gravidade da unidade do corpo. Os bicos de empuxo são independentemente articulados em torno de um eixo transversal localizado acima do centro de gravidade, e podem ser controlados independentemente por uma única articulação comum. A invenção pode ainda incluir uma unidade de base tendo um motor e uma bomba, que proporcionam fluido pressurizado à unidade de corpo através de uma conduta de fornecimento em comunicação fluida com a unidade de base e o conjunto de impulso.

[010] O documento de patente US3570785, intitulado de "UNIDADE DE PROPULSÃO PESSOAL"; refere-se a uma unidade de propulsão monopropelente, que é usado como uma unidade de assistência para aumentar a capacidade de salto de um astronauta na superfície lunar. A unidade é composta por uma estrutura tubular que se ajusta aos ombros de um astronauta e suporta um tanque propulsor descartável adjacente ao peito do astronauta e tem impulsores adjacentes a cada lado do astronauta, aproximadamente no nível dos quadris. Linhas de propelente estão contidas dentro da estrutura tubular. Controles são fornecidos para inclinar os propulsores para frente e para trás, bem como para afinar os propulsores. Extensões podem ser adicionadas à estrutura tubular para obter diferentes configurações, como seria apropriado para o manuseio de carga.

[01 1] O documento de patente US2461347, intitulado de "HELICÓPTERO ANEXADO AO PILOTO"; refere-se a uma aeronave, mais particularmente, a uma aeronave do tipo helicóptero concebida para suportar o ar e ser suportada no solo pelo operador ou piloto. Um objetivo importante da invenção é fornecer, em uma aeronave, um arranjo de elementos capazes de estar intimamente associado ao operador de modo que em voo e no chão uma apoia a outra sem desconforto ou interferência material de outras atividades do operador.

[012] O documento de patente US3023980A, intitulado de "UNIDADE DE PROPULSÃO"; revela meios para propulsão de um indivíduo, e refere-se mais particularmente a um meio que pode ser aplicado de forma rápida e fácil e que proporcionará uma força propulsora para levantar o indivíduo do chão e para impulsioná-lo para um local remoto. É de primária preocupação em relação à presente invenção fornecer tais meios na forma de um sistema de propulsão de foguetes seguro, confiável e facilmente controlável, com impulso total para levantar e impulsionar um indivíduo para distâncias de até aproximadamente duas ou três milhas.

[013] O documento de patente US3023980, intitulado de "DISPOSITIVO TURBO FAN"; revela meios para transportar pessoas pelo ar, e refere-se a um dispositivo de elevação turbo-ventilador com construtividade simplificada, confiabilidade e capacidade de manobra. O objetivo do invento reside na provisão de um dispositivo de elevação de pessoal que seja de peso relativamente baixo e baixo custo, possa ser facilmente montado e montado, e pode ser iniciado com facilidade pela operadora. Outro objetivo da invenção é fornecer novos meios de elevação que impõem um valor máximo de aceleração, tanto na vertical como na horizontal, e que além de ser altamente confiável e manobrável, não contém sérias limitações ambientais.

[014] O documento de patente US3149798, intitulado de "DISPOSITIVO DE VOO INDIVIDUAL"; revela um arnês adaptado para ser anexado ao torso de um usuário, onde considerável economia de peso é alcançada construindo o arnês de material leve e empregando um sistema de alimentação de combustível em conjunto com o qual elimina a pressão de alimentação e assim permite que o combustível seja contido em um recipiente leve amplamente suportado pelo próprio arnês. Ou seja, o arnês é preferencialmente construído de modo a formar um bolso ou bolsa que por sua vez, recebe um saco flexível ou similar para conter o combustível. Além disso, é um objetivo desta invenção fornecer um novo sistema de alimentação de combustível em unidades de propulsão, onde o combustível é alimentado por uma bomba acionada por turbina na qual a turbina é conectada, através de um pequeno leito de catalisador, para uma sangria da própria bomba em que a alimentação de combustível o sistema é energizado, uma vez iniciado.

[015] O documento de patente US3243144, intitulado de "UNIDADE DE PROPULSÃO PESSOAL"; divulga uma unidade de propulsão para indivíduos, que compreende uma articulação fuselagem constituída essencialmente por dois componentes, um conjunto de coletes com o qual o corpo do indivíduo é protegido e que serve para montar os componentes, e um conjunto de braço cruzado provido de meios de encaixe do ombro e ligado ao conjunto de coletes. Em virtude da conexão, os componentes de engate de ombro que transportam os meios de propulsão permitem o controle pelo componente de encaixe no ombro.

[016] O documento de patente US3381917, intitulado de "DISPOSITIVO DE VÔO PESSOAL"; antecipa um dispositivo capaz de transportar uma pessoa e/ou outras cargas em voo livre. Mais particularmente, o invento dirige-se a um dispositivo no qual as forças de levantamento e propulsão são produzidas por reações de impulso de correntes de fluido que saem de um ou mais bicos.

[017] O documento de patente US3474987, intitulado de "Dispositivo helicóptero"; revela um dispositivo de helicóptero do tipo arnês ou plataforma para transportar uma única pessoa pelo ar, tendo uma estrutura de suporte para transportar uma única pessoa, conectada para uma segunda estrutura com uma unidade de potência com controles para dirigir o movimento da pessoa verticalmente e para frente, como desejado. Interposto entre as estruturas de suporte é um arranjo tipo universal que permite a rotação da pessoa em posição vertical ou em decúbito ventral. O dispositivo inclui o controle de ambos os movimentos da pessoa nas duas posições e, além disso, o controle da operação da unidade de energia e sistema de controle para guiar o dispositivo através do ar.

[018] O documento de patente US3556438, intitulado de "VEÍCULO AÉREO"; revela uma aeronave para transportar uma única pessoa pelo ar, que compreende um berço para sustentá-la e um par de conjuntos de ventiladores operados eletricamente e conectado ao "berço". A orientação dos conjuntos de ventiladores é controlada a partir de um console acessível ao passageiro, controlando assim o voo da aeronave. Meios são fornecidos para mover os ventiladores para uma posição inoperante, na qual eles se estendem até a parte traseira do berço e são dispostos em uma relação de sobreposição entre si.

[019] O documento de patente US3586263, intitulado de "HELICÓPTERO CONTROLADO CINETICAMENTE"; revela um helicóptero controlado cineticamente, e que tem uma plataforma leve para suportar um homem e um guidão com controles. Um único rotor contido por uma dobradiça rígida tem pás dobráveis que são acionadas por um motor com engrenagem apropriada. O rotor pode ser disposto acima da plataforma ou abaixo da plataforma. A posição da lâmina irá ditar os elementos particulares que são dobrados. Um rotor de cauda é ligado ao guidão, assim como o motor. O equipamento de pouso possui pernas dobráveis. O helicóptero pode assim ser dobrado em uma estrutura compacta e é leve o suficiente para portabilidade manual.

[020] O documento de patente US5779188, intitulado de "DISPOSITIVO VOADOR"; revela um veículo de voo que possa ser unido e firmemente amarrado a piloto humano. O veículo de voo compreende uma estrutura de suporte para fixação ao homem, um arranjo de direção incorporando um motor de pistão, e que está conectado diretamente à hélice coberta por meio de eixo de acionamento giratório para a finalidade de fluxo, também pelo menos dois tubos de jato que se abrem bicos de saída montados lateralmente ao lado da carga ou o piloto humano, pelo que os ditos bicos de saída podem ser ajustados para mudar a direção do ar. É por meio dos bicos de saída que a força de elevação é configurada. Esta última força permite que o piloto possa decolar do solo para fazer voos flutuantes ou de translação.

[021] O documento de patente US6488232B2, intitulado de "AERONAVE PARA UM PASSAGEIRO"; revela uma aeronave de passageiro único configurada para decolar e pousar verticalmente. Uma estrutura está configurada para suportar o passageiro na posição vertical durante a decolagem, a aterrissagem e durante o voo. A aeronave inclui um par de dispositivos de propulsão que são montados em uma estrutura de avião acima do nível do piloto. Um conjunto de dispositivos de controle operados manualmente está mecanicamente ligado aos dispositivos de propulsão para variar a orientação dos dispositivos de propulsão durante o voo.

[022] O documento de patente US3150847, intitulado de "VESTIMENTA/COLETE A JATO"; revela um dispositivo antigravitacional, e mais particularmente a um sistema de propulsão portátil controlado por um usuário.

[023] O documento de patente

US8695916B2, intitulado de "VEÍCULO DE VOO PESSOAL, INCLUINDO SISTEMA DE CONTROLE"; revela um dispositivo pessoal de voo inclui uma caixa/cockpit para o piloto. O dispositivo inclui pelo menos um par de ventiladores canalizados, um ventilador em cada lado da caixa. O eixo de rotação de cada ventilador é fixo em relação ao alojamento. Pelo menos um motor é montado na carcaça para acionar os ventiladores e ambos os ventiladores giram na mesma direção para produzir empuxo. Três pares de superfícies de controle, com uma superfície de controle cada par é montado abaixo de cada ventilador de um ou de cada par de ventilador.

[024] O documento de patente

US8608103B2, intitulado de "DISPOSITIVO DE VÔO PESSOAL COM PASSAGEM QUE INCORPORA A PASSAGEM DE RESFRIAMENTO DO RADIADOR"; revela um dispositivo de voo pessoal que inclui uma caixa para um piloto que tenha pelo menos um par de ventiladores montados em um lado da caixa, a outra ventoinha de pelo menos um par de ventiladores montados no outro lado da caixa. Cada ventilador gira em torno de um eixo de rotação, de modo a extrair ar através do duto correspondente de uma extremidade de entrada do duto para uma saída fim do duto. Pelo menos um radiador também é fornecido. Cada motor é arrefecido por um radiador. Cada radiador está associado a pelo menos uma passagem com um final de entrada em comunicação com uma superfície do radiador e uma saída fim adjacente ao final da entrada de um duto dos ventiladores canalizados.

[025] O documento de patente

US7484687B2, intitulado de "DISPOSITIVO PROPULSOR"; revela um dispositivo de voo pessoal que consiste numa caixa de segurança para um piloto, pelo menos um par de ventiladores e pelo menos um motor montado na carcaça para dirigir os ventiladores. Um ventilador é montado em um lado da caixa e o outro ventilador é montado no outro lado da caixa. Ambos os ventiladores giram na mesma direção para produzir empuxo.

[026] O documento de patente

WO201 1002517A2, intitulado de "SISTEMA DE VOO PESSOAL COM TURBINA"; revela uma turbina, mini ou micro turbina alimentada. O sistema de voo pessoal configurado como um "jetpack" inclui estrutura com um invólucro aerodinâmico posicionado no mesmo. Pelo menos dois motores movidos a turbina, mini ou micro turbina são posicionados em lados opostos da estrutura. Os motores podem estar envoltos em nacelas aerodinâmicas. O "jetpack" é ainda configurado de tal forma que um piloto individual pode colocar o "jetpack" nas costas. Posicionado dentro de cápsulas há células de combustível, bombas de combustível e válvulas para energização dos motores. [027] O documento de patente UK Patent 2559971 B, intitulado de "SISTEMA VESTÍVEL COM CONJUNTOS DE PROPULSÃO USADOS NO CORPO DO USUÁRIO"; revela um aparelho para permitir que o indivíduo voe. Em particular, a invenção refere-se à provisão de montagens de propulsão que podem ser mantidas nas mãos de um usuário ou usadas nos antebraços de um usuário e fornecer impulso para levantar o usuário do solo.

[028] O documento de patente US 2019/0152602A, intitulado de "VEÍCULO DE VOO PESSOAL"; revela um veículo de voo pessoal que inclui um conjunto de plataforma-base que possibilita a um piloto se posicionar sobre ela, e que inclui também uma pluralidade de sistemas de propulsão de fluxo axial posicionados em torno da plataforma-base. Os sistemas de propulsão geram um fluxo de empuxo em uma direção perpendicular à superfície do conjunto da plataforma, onde o fluxo de empuxo é desobstruído pelo conjunto da base da plataforma. O fluxo de empuxo tem intensidade suficiente para proporcionar manobras de decolagem e aterrissagem vertical, de voo, de locomoção e permite também pairar. O veículo permite ao piloto controlar a orientação espacial e movimento do conjunto da plataforma-base.

[029] O documento de patente US 4447024, intitulado de "Veículo Aerotransportado"; revela um veículo tipo púlpito que é sustentado em voo unicamente por impulso de um motor a jato e direção controlada controlando-se e deslocando o centro de gravidade do veículo em relação ao eixo de impulso do motor. De acordo com a presente invenção, impulso do motor fornece elevação direta ao púlpito aerotransportado. O motor é montado verticalmente no veículo em relação a um plano, mas a um ângulo de inclinação para a frente de aproximadamente 12 graus em relação a um plano lateral vertical. A saída de escape do motor tem uma inclinação de 12 graus em relação à linha do motor, a fim de dirigir a descarga do jato diretamente para baixo para facilitar o levantamento vertical.

Pontos deficientes do estado da técnica

[030] Os modelos de equipamentos de voo do tipo "jetpack" do estado da técnica apresentam diversas configurações, mas nenhuma na forma de um casulo ou capsula conforme apresentada no pedido de patente. Praticamente todos usam dois propulsores para maior estabilidade ou por necessidade de maior propulsão como é o caso dos "jetpack" compostos de miniturbinas nas costas do condutor.

[031] O principal inconveniente desses modelos é deixar o usuário exposto e desprotegido.

[032] Em particular os inconvenientes do modelo revelado no documento de patente US8608103B2, que possui propulsor duplo e movido por hélices acionadas por um motor convencional ou um motor elétrico, vão além do fato de deixar o usuário desprotegido, como no "jetpack", pois se trata de um equipamento bastante complexo, que possui dois grandes ventiladores laterais acoplados mecanicamente a um motor de combustão interna, resultando em um veículo largo, pesado e desajeitado.

Sumário da invenção

[033] Ciente do estado da técnica e da lacuna existente no mesmo foi que o inventor, pessoa atuante no segmento em tela, após estudos e pesquisas criou o "VEÍCULO VOADOR TIPO CASULO DE DECOLAGEM E POUSO VERTICAL" objeto desta solicitação de patente, em que a forma do veículo aqui proposto é o grande diferencial das outras invenções, pois ela mantém maior estabilidade, uma vez que o centro de gravidade fica bem abaixo, próximo da base, é mais compacta e garante maior segurança para o condutor, que está inserido numa capsula com estrutura reforçada e com dispositivos de airbag, item primordial nesses tipos de veículos.

[034] Trata-se de um equipamento consideravelmente leve, capaz de atingir velocidade de até 160 quilómetros por hora e com uma autonomia de voo de aproximadamente trinta minutos. A propulsão da capsula é especial e poderá ter três tipos de propulsores, sendo a primeira propulsão: dois turbojatos especificamente desenvolvidos para o equipamento, uma vez que os motores trabalham em spins, ou seja, um gira no sentido contrário do outro; a segunda propulsão, mais sofisticada, são motores turbofan mais económicos e silenciosos, porém mais caros, também apresentam pares spins e finalmente, a terceira opção de propulsão consiste de compressores especiais de alta eficiência movidos por motores elétricos e baterias de alta performance. Neste caso os pares de compressores também giram em sentido contrário, de forma a anular o efeito de momento angular. O equipamento pode possuir tanto modelos controlados por pilotos presenciais quanto variações comandadas remotamente.

[035] O mais importante nesse equipamento são dois itens: a forma geométrica do casulo e os motores especialmente projetados para possibilitar a dirigibilidade e estabilidade desse equipamento especialmente projetado na forma de um casulo ou uma capsula comprida na direção vertical com objetivo de acomodar uma pessoa, e levantar voo para conduzi-la pelo ar por meio de um motor propulsor que pode ser tanto uma turbina, um turbofan ou um propulsor a hélice acionado por um motor elétrico.

[036] O equipamento de forma geral é composto por um completo sistema de controle de voo e estabilizador, um motor propulsor com duplo eixo de rotação para anular efeito de momento angular, o que provocaria giro em torno de seu eixo, uma base onde se encontram os acessórios do sistema, como bombas de lubrificação, combustível fonte de partida. O tanque de combustível é localizado numa seção do casulo entre o piloto e o motor propulsor, de forma a não alterar o centro de gravidade do veículo na medida em que o combustível vai sendo consumido.

[037] Na parte superior do casulo, acima da cabeça do piloto encontra-se o sistema de paraquedas balístico como meio de segurança a ser utilizado em caso de pane durante o voo do casulo podendo ser acionado quando necessário, em altitudes acima de dez metros, fornecendo ao operador segurança durante sua missão de voo.

[038] Mas especificamente o objeto do presente pedido de patente compreende um veículo que voa com máximo de segurança. Diferentemente dos modelos conhecidos do estado da técnica, que apresentam pouca segurança e deixam o piloto exposto às intempéries do ambiente, o produto em apresentação é fechado mantendo o seu condutor protegido do ambiente hostil, durante o voo. Ademais é seguro, pois apresenta uma série de itens que minimizam um acidente em caso de queda do veículo. [039] O veículo voa sempre na vertical com um pequeno ângulo de inclinação, que permite o deslocamento horizontal na respectiva direção. Por se tratar de um veículo cujo centro de gravidade encontra-se na base, sua posição estável é sempre na vertical, ou seja, em caso de queda o veículo cairá sempre na posição vertical, sempre com a base sendo a primeira a tocar o chão. Dessa forma, o trem de aterrisagem do tipo skid que tem uma função amortecedora será o primeiro a absorver parte do impacto. Na sequência, o piloto se encontra preso a uma cadeira que possui um deslocamento vertical e que, em caso de queda, também absorverá boa parte dessa energia, minimizando assim o impacto sobre o condutor.

[040] Quanto à propulsão, são utilizados dois propulsores, um de cada lado e bem acima do centro de gravidade do veículo como forma de proporcionar mais estabilidade, uma vez que a posição do veículo será de manter o seu eixo sempre na posição vertical. Ademais, com dois propulsores independentes o veículo apresenta mais segurança em caso de pane propulsiviva. Com apenas um dos propulsores é possível atingir o solo com mínimo de impacto.

[041] É de se compreender assim que o equipamento em questão é extremamente simples em sua construtividade, sendo, portanto, de fácil exequibilidade, porém, são obtidos excelentes resultados práticos e funcionais, oferecendo uma construtividade inovadora sobre os produtos conhecidos.

Breve descrição dos desenhos da invenção

[042] A complementar a presente descrição de modo a obter uma melhor compreensão das características do presente invento e de acordo com uma preferencial realização prática do mesmo, acompanha a descrição, em anexo, um conjunto de desenhos, onde, de maneira exemplificada, embora não limitativa, se representou o seguinte:

[043] A FIG. 1 Mostra uma vista em perspectiva sú pero-posterior do veículo voador tipo casulo de decolagem e pouso vertical.

[044] A FIG. 2 - Mostra uma vista em perspectiva súpero-frontal do veículo voador tipo casulo de decolagem e pouso vertical.

[045] A FIG. 3 - Mostra uma vista lateral do veículo voador tipo casulo de decolagem e pouso vertical.

[046] A FIG. 4 - Mostra uma vista em perspectiva súpero-frontal em transparência do veículo voador tipo casulo de decolagem e pouso vertical.

[047] A FIG. 5 - Mostra uma vista em perspectiva súpero-posterior da estrutura tubular e do assento que integra a porção interna do veículo voador tipo casulo de decolagem e pouso vertical, onde está representado o piloto e o painel de instrumentos e controle, o qual é afixado na porta do veículo.

[048] A FIG. 6 - Mostra uma vista em perspectiva súpero-frontal do veículo voador tipo casulo de decolagem e pouso vertical, sem a representação da porta.

[049] A FIG. 7 - Mostra uma vista lateral do veículo voador tipo casulo de decolagem e pouso vertical, equipado com rodas.

Descricão detalhada da invenção

[050] De conformidade com o quanto ilustram as figuras acima relacionadas, o "VEÍCULO VOADOR TIPO CASULO DE DECOLAGEM E POUSO VERTICAL", objeto da presente patente, compreende um veículo de voo propulsado, com estrutura e invólucro aerodinâmico, em forma de uma capsula ogival, confeccionado em material leve, confiável, seguro e facilmente controlável, configurado como um "jetpod", com capacidade de decolar, pousar verticalmente e pairar, voar e manobrar a grandes distâncias e altitudes.

[051] Basicamente o veículo voador tipo casulo de decolagem e pouso vertical é constituído de uma capsula em forma de casulo (1 ) composta de base (2), cabeçote (3) porta de entrada (4) com parabrisa (4A) e um suporte para fixação do motopropulsor.

[052] Mais especificamente o veículo possui dois propulsores (6) (é possível o uso de apenas um) fixos e de fluxo axial, envoltos em nacelas aerodinâmicas, que permitem ao mesmo decolar do solo para fazer voos de flutuação ou de translação nos deslocamentos aéreos. O empuxo do veículo é direcionado por duas tubeiras aletadas (8) ou superfícies de controle. Um conjunto de dispositivos de controle operados manualmente está mecanicamente ligado a essas superfícies de controle, para variar a direção do veículo.

[053] Cada superfície de controle se encontra na saída de cada propulsor (6) e são controladas independentemente por meio de um arranjo de elementos ou articulações mecânicas a partir de duas manoplas (9) do tipo joysticks.

[054] Essas tubeiras aletadas (8) redirecionam o empuxo para frente e para trás; para a direita ou para esquerda do veículo, permitindo que o mesmo execute todo tipo de manobra em direções diversas. [055] As manoplas (9) também possuem dispositivo que permitem a aceleração e desaceleração dos propulsores, controlando sua velocidade.

[056] Dito casulo (1 ) é confeccionado em uma estrutura tubular (13) de alumínio aeronáutico, envolta por um corpo feito de material composto e leve.

[057] Este corpo forma o cockpit, que dá segurança ao passageiro ou piloto (podendo ter versão com dois assentos para transportar duas pessoas). À frente do cokpit há uma porta (4) feita em material composto que permite a entrada e saída do passageiro. Nessa porta fica o parabrisa (4A) de proteção contra intempéries durante o voo, e um painel de controle (12) para o condutor poder controlar a orientação espacial, se orientar e avaliar o voo.

[058] Logo abaixo do cockpit existe uma plataforma-base (2) onde se concentram os acessórios, o trem de aterrisagem do tipo skid, para pouso, e as baterias elétricas.

[059] Na porção superior do casulo, de cada lado, há um par de propulsores (6), que podem ser propulsores elétricos ou miniturbojatos. Esses propulsores são instalados acima do centro de gravidade do conjunto, para produzir o empuxo com estabilidade direcional. O piloto se posiciona no centro do casulo preso a uma cadeira (10), o qual possui movimento vertical para melhor ajuste e amortecimento em caso de queda do veiculo.

[060] Essa cadeira feita de material leve está fixada em um berço preso a estrutura tubular (13) feita de quatro tubos verticais e possuem luvas metálicas de articulação (1 1 ), preso a duas colunas do casulo, para deslocamento vertical em caso de ajuste ou amortecimento para o caso de uma queda a baixa altitude, até 8m.

[061] Um paraquedas balístico (5) é instalado no topo do veículo para uso em caso de emergência ou panes quando o veículo estiver voando acima de 8m de altitude.

Funcionamento

[062] O veículo voador tipo casulo de decolagem e pouso vertical pode usar várias configurações de motores: dois turbojatos em spins; dois turbofans em spins, dois compressores em spins, quatro compressores em spins e finalmente, um turbofan de duplo eixo com spins, ou seja, cada eixo gira no sentido contrário ao do outro eixo.

[063] O modelo mais simplificado de propulsão requer apenas um motor de turbofan pequeno que é montado verticalmente, com sua entrada de ar para cima.

[064] O ar de admissão é dividido em dois fluxos. Um fluxo entra na câmara de combustão, o outro fluxo ignorara o motor e, em seguida, misturada com os gases quentes da turbina, refrigerando-os e protegendo o piloto contra as altas temperaturas geradas.

[065] A construção dos bocais torna possível mover o jato para qualquer lado. O combustível querosene é armazenado em um tanque, ao lado do motor, preso ao casulo.

[066] O controle do pacote do turbojato é semelhante para os modelos que usam foguete, mas o piloto não pode inclinar o motor inteiro. As manobras são efetuadas por inclinação de alavancas, o piloto pode mover os jatos de ambos os motores para à frente, trás ou lateralmente. O piloto gira a alavanca para a esquerda e direita, girando o punho esquerdo. O identificador direito rege a propulsão do motor. [067] O motor é iniciado com o auxílio de um pequeno motor elétrico de partida.

[068] Há instrumentos para controlar a potência do motor e um rádio portátil para se conectar e transmitir dados.

[069] Foi apresentado um modelo para condução de apenas um piloto, mas versões com dois ou mais ocupantes podem ser desenvolvidas adotando o mesmo conceito de cápsula voadora aqui reivindicada.

[070] No que diz respeito aos propulsores, versões com propulsão usando dois miniturbojatos podem ser feitas. Essa configuração pode aplicar um ou dois turbojatos ou mesmo miniturbofans, com menor ruído e consumo de combustível.

[071] Opcionalmente o veículo pode ser equipado com trem de aterrisagem dotado de rodas (14) ao invés do trem de aterrisagem do tipo skid.

[072] As aplicações do veículo basicamente estão limitadas ao transporte de pessoas (uma ou duas) num primeiro momento levando pequena quantidade de carga. Veículos autónomos podem ser projetados, sem a necessidade de condução por parte do passageiro.

[073] É certo que quando o presente invento for colocado em prática, poderão ser introduzidas modificações no que se refere a certos detalhes de construção e forma, sem que isso implique afastar-se dos princípios fundamentais que estão claramente substanciados no quadro reivindicatório, ficando assim entendido que a terminologia empregada teve a finalidade de descrição e não de limitação.