Login| Sign Up| Help| Contact|

Patent Searching and Data


Title:
WOMEN'S SHOE WITH DETACHABLE HIGH HEEL, CONVERTIBLE INTO FLAT SHOES, FLAT SANDALS AND THE LIKE
Document Type and Number:
WIPO Patent Application WO/2016/179675
Kind Code:
A1
Abstract:
The invention relates to a women's heeled shoe (C) with a shank (1) having a recess for a quickscrew fastener (2) which allows quickly removing and replacing the heel (3), and which, together with a flexible insole (4), preferably a PVC moulded insole, and an elastic junction (5) in the quarters (6) or vamp (7), allows a closed shoe (C) with a heel (3) to be converted into a flat shoe (8) or a sandal-like shoe (C) with a heel (3) to be converted into a flat sandal (9), for example, or vice versa. The shoe also comprises a second screw (25) or pin arranged radially in relation to the screw (23) already available in the front side of the heel, thus remaining hidden under the shoe, this second screw (25) preventing the central, heel-fastening screw (23) from becoming accidentally loose. The shoe also comprises a flange (G) with an inner screw thread incorporated into the insole (P) by pressing in such a way that screw positioning imperfections can be corrected by rotating the flange. The invention also includes an insole shaping technique, wherein the edges of the rear region (heel) for each specific size are cut to converge at an angle designed for the top side of the insole to correspond to each desired shoe size, while the underside of all the insoles whatever the shoe size have the same width, allowing the insole to be adjusted correctly to a single heel size.

Inventors:
STIEFELMANN, Roberto (Av Angelica, 2466 - Conjunto 83 - bairro Higienópolis, 200 São Paulo, 01228200, BR)
Application Number:
BR2016/050104
Publication Date:
November 17, 2016
Filing Date:
May 11, 2016
Export Citation:
Click for automatic bibliography generation   Help
Assignee:
STIEFELMANN, Roberto (Av Angelica, 2466 - Conjunto 83 - bairro Higienópolis, 200 São Paulo, 01228200, BR)
International Classes:
A43B21/00; A43B9/00; A43B13/14; A43B21/36
Foreign References:
US20100139123A12010-06-10
US20110067265A12011-03-24
US20140298685A12014-10-09
US20080235991A12008-10-02
US3646497A1972-02-29
CN2209885Y1995-10-18
US20140208620A12014-07-31
Attorney, Agent or Firm:
ANEL MARCAS E PATENTES EIRELI (Hercílio Amante, 360 Próspera, 010 Criciúma, 88815010, BR)
Download PDF:
Claims:
REIVINDICAÇÕES

1) "CALÇADO FEMININO COM SALTO ALTO REMOVÍVEL, COMUTÁVEL PARA SAPATILHA, RASTEIRINHA E

CONGÉNERE", caracterizado por no esquino (1) ter uma espera para um dispositivo de rosca (2) rápida de ½ ou 1 volta capaz de fixar de forma não definitiva, um salto (3) alto; também possui uma palmilha (4) com flexibilidade moldada numa angulação ergonómica àquele salto (3) alto; no cabedal uma junção elástica (5) nas laterais (6) com a gáspea (7), tornando possível assim comutar um calçado (C) fechado com salto em uma sapatilha (7) com a retirada do referido salto (3).

2) "CALÇADO FEMININO COM SALTO ALTO REMOVÍVEL, COMUTÁVEL PARA SAPATILHA, RASTEIRINHA E

CONGÉNERE", de acordo com a reivindicação 1, caracterizado por comutar um calçado (C) tipo sandália com salto em uma rasteirinha (9) com a retirada do salto (3).

3) "CALÇADO FEMININO COM SALTO ALTO REMOVÍVEL, COMUTÁVEL PARA SAPATILHA, RASTEIRINHA E

CONGÉNERE", de acordo com a reivindicação 1, caracterizado pela recolocação do salto (3) fazer a operação inversa; uma sapatilha (8) em um calçado (C) fechado com salto e a rasteirinha (9) em um calçado (C) tipo sandália com salto.

4) "CALÇADO FEMININO COM SALTO ALTO REMOVÍVEL, COMUTÁVEL PARA SAPATILHA, RASTEIRINHA E

CONGÉNERE", de acordo com a reivindicação 1, caracterizado pelo fato de que no interior da furação (22) a placa (21) recebe a montagem de um flange (G) constituído preferencialmente de material metálico, e que compreende inicialmente um corpo tubular (T) dotado de rosca interna (R), enquanto que, a extremidade superior do referido corpo tubular (T) projeta-se perpendicularmente para fora, proporcionando uma aba discóide contornante (D), sendo que, o referido flange é introduzido através de uma furação passante realizada na região posterior da palmilha (P) dotada de alma de aço (21) também perfurada, e sendo ai o referido flange arrebitado, fixando-se permanentemente na alma de aço (21) e palmilha (P) por meio do alargamento (A) da sua extremidade inferior, e assim, o flange (G) fica acessível através daquela furação (22) do solado (L) e da palmilha (P), de modo que, no interior do flange (G) é fixado o parafuso (23) do salto (S) mediante o seu rotacionamento axial, e sendo que, o salto (S) apresenta na sua região anterior uma furação passante verticalizada (F), e que é deslocada radialmente em relação ao parafuso (23), enquanto que, o salto (S) a palmilha (P) e a alma de aço (21) apresenta na mesma posição correspondente àquela furação (F) do salto (S), também uma furação anterior (24), sob a qual a alma de aço (21) recebe outro recurso para atarraxamento, tal como um porca ou mesmo uma segunda flange (G), que por sua vez é deslocada radialmente em relação a furação posterior (22), e sendo que, na referida furação (F) do salto (S) é inserido - de forma não permanente e removível - um parafuso (25), cuja extremidade se atarraxa no interior da furação anterior (24), na alma de aço (21), podendo o referido parafuso (25) ser substituído por um pino,

5) "CALÇADO FEMININO COM SALTO ALTO REMOVÍVEL, COMUTÁVEL PARA SAPATILHA, RASTEIRINHA E CONGÉNERE", de acordo com a reivindicação 1, caracterizado por compreender um conjunto de palmilhas (P) para fixação sobre um salto (S) - seja de forma permanente, ou não permanente e removível - Sendo que, as referidas palmilhas (P) apresentam a sua região posterior conformada de modo que em todas as numerações referentes aos tamanhos de sapato, todas as palmilhas (P) tem a sua face inferior (26) com as mesmas dimensões, enquanto que, a face superior (27) das palmilhas (P) apresenta uma variedade de tamanhos - referentes às diferentes numerações - resultando assim num chanfro contornante (X) nesta região da palmilha (P), e que tem o seu ângulo variável de acordo com a numeração - tamanho - do sapato, indo desde um chanfro (X) com ângulo oblíquo mais acentuado para numeração maior, até um chanfro (X) com ângulo oblíquo menos acentuado para numeração menor.

Description:
"CALÇADO FEMININO COM SALTO ALTO REMOVÍVEL, COMUTÁVEL PARA SAPATILHA, RASTEIRINHA E CONGÉNERE"

[001] Campo da Invenção

[002] Refere-se o presente pedido de Patente de Invenção a um inédito "CALÇADO FEMININO COM SALTO ALTO REMOVÍVEL, COMUTÁVEL PARA SAPATILHA, RASTEIRINHA E CONGÉNERE", objetivando apresentar um calçado feminino de salto alto passível de ser comutável de acordo com o seu modelo e/ ou estilo, com a retirada do salto, para um calçado do tipo sapatilha, tipo rasteirinha ou outro tipo qualquer, graças a flexibilidade originada na palmilha e copiada na junção da lateral com a gáspea, desse modo oferecendo ao mercado calçadista um produto diferenciado. Sendo também apresentadas outras inovações inerentes à realização da presente invenção.

[003] Fundamentos da invenção

[004] Calçados com saltos altos é um dos acessórios mais desejados e usados pelas mulheres em diferentes tipos de situações e ambientes, porém manter a elegância, a firmeza e os pés sem machucados requerem uma série de cuidados, nada tão complicado que não possa ser dominado por qualquer pessoa do sexo feminino.

[005] E sabido que o público feminino busca não somente um calçado que esteja na moda, mas também aquele que é diferenciado, aliado ao conforto e praticidade do dia-a-dia. Independente do conforto proporcionado por determinado calçado de salto alto, o público em questão lança mão de certas artimanhas visando reduzir as dores decorrentes do uso prolongado do salto alto. As sensações dolorosas se explicam pela forma com que o peso é distribuído nos pés quando estão submetidos a inclinação neste tipo de calçado, exigindo muito equilíbrio das usuárias forçando sobremaneira a coluna vertebral. [006] Um artifício muito utilizado por grande parcela das mulheres é levar consigo uma sandália, um chinelo ou qualquer outro calçado de salto baixo para usar enquanto fora do escritório, no caminho de casa para o trabalho, enquanto dirige e assim por diante.

[007] Estado da técnica

[008] O atual estado da técnica antecipa alguns documentos de patentes que versam sobre calçados e saltos, tais como:

[009] O documento PI 0701104-0, "Calçado com Salto Removível", que possibilita remover o salto para modificar o sapato de acordo com a necessidade estética ou por exigência de reparo, em caso de dano à peça trocando um salto mais baixo e vice-versa. Um parafuso na região do calcanhar serve de rosca para o salto a ser intercambiado.

[010] Ao contrário do pedido em questão, a anterioridade acima tem finalidade apenas de estética e de manutenção, não servindo para alterar o tipo do calçado.

[011] O MU9000695-0 "Disposição em Revestimento Removível para Salto de Calçado", o salto alto apresenta uma superfície voltada para fora rebaixada, restando uma estreita superfície saliente junto ao entalhe, sendo que nas extremidades da superfície rebaixada estão posicionados orifícios, tendo uma capa removível que é moldada em material flexível e que apresenta uma seção transversal que envolve a superfície rebaixada do salto e tendo as bordas extremas da capa pequenas protuberâncias que se encaixam nos orifícios executados no salto.

[012] O modelo de utilidade acima tem como fim apenas a motivação estética do revestimento, ao contrário deste pedido que tem a funcionalidade de alterar o tipo do calçado.

[013] Outro inconveniente é que as diferentes numerações de palmilhas têm a sua extremidade posterior - região do calcanhar e do salto - tamanhos diferentes, de modo que é necessária também a fabricação de diferentes tamanhos de saltos no que se refere a sua base superior , o que torna imperativo que haja o emprego de diferentes moldes de saltos - além de logística mais complexa - para que se possa atender todas as numerações de sapatos, aumentando assim os custos, e envolvendo maiores transtornos ao fabricante.

[014] Breve descrição da invenção

[015] Ciente do estado da técnica, suas lacunas e eventuais inconvenientes, o inventor, após estudos e pesquisas, idealizou o "CALÇADO FEMININO COM SALTO ALTO REMOVÍVEL, COMUTA VEL PARA SAPATILHA, RASTEIRINHA E CONGÉNERE" em questão, o qual permite pela remoção do salto e flexibilidade da palmilha e elasticidade do cabedal, a transformação de um calçado de salto alto em uma sapatilha, numa rasteirinha ou mesmo em um sapato de boneca dependendo do tipo do referido calçado, assim como a sua reversão com a recolocação do salto.

[016] Desse modo, um calçado do tipo escarpim com a retirada do salto pode ser comutado para um calçado tipo sapatilha, ao passo que um calçado tipo sandália com a retirada do salto alto pode ser comutado para uma rasteirinha e vice-versa.

[017] O "CALÇADO FEMININO COM SALTO ALTO REMOVÍVEL, COMUTA VEL PARA SAPATILHA, RASTEIRINHA E CONGÉNERE", ora proposto, pelo inventor, tem o salto facilmente colocado em uma rosca no esquino por meio de um parafuso de ½ ou 1 de volta, em que flexibilidade de palmilha se dá devido a sua moldagem em PVC, e elasticidade do cabedal é decorrente do transpasse das laterais às gáspeas.

[018] Também é apresentada - com o objetivo de evitar o rotacionamento involuntário do salto sob o solado - a adição de um segundo parafuso - ou um pino - disposto radialmente em relação ao parafuso central. Sendo que este parafuso adicional é montado na face anterior do salto, permanecendo assim oculto sob o sapato, e o mesmo é apertado manualmente após o atarraxamento completo do parafuso central.

[019] Por sua vez, para propiciar o ajuste fino de posicionamento do salto, foi desenvolvido uma flange com rosca interna que fica incorporada a palmilha através de prensagem de modo que, imprecisões de posicionamento da rosca, só estão definidas após a conclusão da fabricação de cada sapato, através da rotação desta flange, com o uso de ferramenta própria, sendo possível ajustar o sapato pronto, apesar da flange estar interna ao sapato. Além dessas vantagens, a flange tem pequena dimensão, de modo a possibilitar que o sapato vire sapatilha (sem nenhum salto).

[020] Com o objetivo de dispensar a fabricação de diferentes tamanhos de saltos para as diferentes numerações de palmilhas, foi desenvolvida também uma técnica para a conformação de palmilhas, na qual cada numeração específica apresenta a sua região posterior (calcanhar) com suas bordas cortadas convergentemente para cima num ângulo correspondente para que a face superior da palmilha corresponda a cada numeração desejada, enquanto a face inferior de todas as palmilhas de numeração diferente ficam com a mesma largura, possibilitando assim o seu ajuste correto sobre um único tamanho de salto.

[021] Descrição dos desenhos

[022] Para melhor compreensão da presente invenção é feita em seguida uma descrição detalhada da mesma, fazendo-se referências aos desenhos anexos, onde, de forma ilustrativa e não limitativa, são apresentadas as seguintes figuras:

[023] FIGURA 1 ilustra uma vista em perspectiva explodida do calçado feminino com salto removível, comutável para sapatilha; [024] FIGURA 2 ilustra uma vista lateral em corte do calçado feminino com salto removível, comutável para sapatilha, com salto;

[025] FIGURA 3 ilustra uma vista lateral em corte do calçado feminino com salto removível, comutável para sapatilha, sem salto;

[026] FIGURA 4: ilustra uma vista em perspectiva do calçado feminino com salto 4/5 removível, comutável para sapatilha, mostrando uso com salto;

[027] FIGURA 5 ilustra uma vista em perspectiva do calçado feminino com salto removível, comutável para sapatilha, mostrando uso sem salto;

[028] FIGURA 6 ilustra uma vista em perspectiva explodida do calçado feminino com salto removível, comutável para rasteirinha;

[029] FIGURA 7 ilustra uma vista lateral em corte do calçado feminino com salto removível, comutável para rasteirinha, com salto;

[030] FIGURA 8 ilustra uma vista lateral em corte do calçado feminino com salto removível, comutável para rasteirinha, sem salto;

[031] FIGURA 9 ilustra uma vista em perspectiva do calçado feminino com salto removível, comutável para rasteirinha, mostrando uso com salto;

[032] FIGURA 10 ilustra uma vista em perspectiva do calçado feminino com salto removível, comutável para rasteirinha, mostrando uso sem salto;

[033] FIGURA 11 ilustra uma vista em perspectiva inferior do sapato de salto alto com o parafuso adicional anti-rotacionamento em disposição montada (ilustra apenas porção posterior do sapato);

[034] FIGURA 12 ilustra uma vista em perspectiva superior do sapato de salto alto com o parafuso adicional anti-rotacionamento em disposição explodida (ilustra apenas porção posterior do sapato); [035] FIGURA 13 ilustra uma vista em perspectiva inferior do sapato de salto alto com o parafuso adicional anti-rotacionamento em disposição explodida (ilustra apenas porção posterior do sapato);

[036] FIGURA 14 ilustra uma vista em elevação lateral do sapato de salto alto com o parafuso adicional anti-rotacionamento em disposição montada (ilustra apenas porção posterior do sapato);

[037] FIGURA 15 ilustra uma vista em elevação lateral do sapato de salto alto com o parafuso adicional anti-rotacionamento em disposição explodida (ilustra apenas porção posterior do sapato);

[038] FIGURA 16 ilustra uma vista em corte longitudinal central do sapato de salto alto com o parafuso adicional anti-rotacionamento em disposição montada (ilustra apenas porção posterior do sapato);

[039] FIGURA 17 ilustra o flange em perspectiva superior;

[040] FIGURA 18 ilustra o flange em perspectiva inferior;

[041] FIGURA 19 ilustra o flange em elevação lateral;

[042] FIGURA 20 ilustra o flange com rosca interna com corte longitudinal central;

[043] FIGURA 21 ilustra o flange com corte longitudinal central, destacando-se que o mesmo agora se encontra montado e rebitado na palmilha e no esquino;

[044] FIGURA 22 ilustra em perspectiva superior e posterior com corte transversal um conjunto de salto solado e palmilha com recorte especial para adaptação em saltos de tamanho único;

[045] FIGURA 23 ilustra em elevação posterior uma palmilha com recorte especial para adaptação em saltos de tamanho único, exemplificando o ângulo de recorte de uma numeração mais alta;

[046] FIGURA 24 ilustra em elevação posterior um conjunto de salto e palmilha com recorte especial para adaptação em saltos de tamanho único, exemplificando o ângulo de recorte de uma numeração mais alta;

[047] FIGURA 25 ilustra em elevação posterior um conjunto de salto e palmilha com recorte especial para adaptação em saltos de tamanho único, exemplificando o ângulo de recorte de uma numeração intermediária; e a

[048] FIGURA 26 ilustra em elevação posterior um conjunto de salto e palmilha com recorte especial para adaptação em saltos de tamanho único, exemplificando o ângulo de recorte de uma numeração mais baixa.

[049] Descrição detalhada

[050] De acordo com estas ilustrações e em seus pormenores, mais particularmente com relação as Figuras 1 a 10, o presente "CALÇADO FEMININO COM SALTO ALTO REMOVÍVEL, COMUTÁVEL PARA SAPATILHA, RASTEIRINHA E CONGÉNERE" consiste essencialmente de um calçado (C) feminino com salto, cujo esquino (1) possui uma espera para um dispositivo de rosca (2) rápida que o capacita a retirar e recolocar rapidamente o salto (3), que em conjunto com uma palmilha (4) flexível, preferencialmente moldada em PVC, e uma junção elástica (5) nas laterais (6) gáspea (7) que possibilita comutar um calçado (C) fechado com salto (3) em uma sapatilha (8) ou um calçado tipo sandália (C) com salto (3) em uma rasteirinha (9), por exemplo, ou vice-versa.

[051] Mais particularmente, o calçado (C) pleiteado compreende um esquino (1) dotado de uma espera para um dispositivo de rosca (2) rápida de ½ ou 1 volta capaz de fixar, firmemente de forma não definitiva, um salto (3) alto, calçado (C) este que também possui uma palmilha (4) com grande flexibilidade, preferencialmente em PVC, moldada numa angulação ergonómica àquele salto (3) alto, sendo evidente uma elasticidade (5) na junção das laterais (6) com a gáspea (7), tornando possível assim comutar um calçado (C) fechado com salto em uma sapatilha (7) com a retirada do referido salto (3), ou então comutar um calçado (C) tipo sandália com salto em uma rasteirinha (9) com a retirada do salto (3). Quando na modalidade sem salto (3), sapatilha (8) ou rasteirinha (9), a flexibilidade da palmilha (4) e a junção elástica (5) permitem que o produto vá ao plano zero com o peso próprio do usuário em nada interferindo no conforto. A operação inversa é tão simples quanto com a recolocação do salto (3), comutando respectivamente a sapatilha (8) em um calçado (C) fechado com salto e a rasteirinha (9) em um calçado (C) tipo sandália com salto.

[052] A solução em nada interfere no processo convencional de fabricação do calçado, a não ser pela confecção da rosca para recepção não definitiva do salto no esquino (1), o qual é preferencialmente fixado por rebites (10) à palmilha (4) e ao solado (11) do calçado (C) independente se do tipo fechado ou se calçado do tipo sandália. Preferencialmente, a junção elástica (5) se dará de uma forma discreta, ou seja, internamente à forração das laterais (6) e à gáspea (7).

[053] Por sua vez, as figuras 11 a 16, compreendem também um solado inferior (L), sobre o qual é fixada uma palmilha (P) - geralmente revestida com tecido - cuja porção posterior - região do calcanhar - recebe no seu interior - no momento em que é fundida - a integração de uma alma de aço na forma de uma placa (21) definida popularmente como Esquino. Sendo que, o conjunto Solado (L) e Palmilha (P) recebem uma furação (22) em comum na sua região posterior, de modo que neste ponto, a alma de aço (21) também é perfurada, e aí recebe a montagem de um flange (G), o qual fica acessível através daquela furação (22) do solado (L) e da palmilha (P). Por outro lado, é compreendido também um salto (S) de sapato, em cuja face superior é fixado de forma permanente e irremovível um parafuso verticalizado (23), o qual é atarraxado de forma não permanente e removível no interior do flange (G) através da furação (22) do conjunto palmilha (P) e solado (L) mediante o rotacionamento axial do salto (S). Por sua vez, o salto (S) apresenta na sua região anterior uma furação passante verticalizada (F), e que é deslocada radialmente em relação ao parafuso (23). Enquanto que, o salto a palmilha (P) e a alma de aço (21) apresenta na mesma posição correspondente àquela furação (F) do salto, também uma furação anterior (24), sob a qual a alma de aço (21) recebe outro recurso para atarraxamento, tal como uma porca ou mesmo uma segunda flange (G), que por sua vez é deslocada radialmente em relação a furação posterior (22). E sendo que, na referida furação (F) do salto (S) é inserido - de forma não permanente e removível - um parafuso (25), cuja extremidade se atarraxa no interior da furação anterior (24), na alma de aço (21), podendo o referido parafuso (25) ser substituído por um pino. E assim, após o salto (S) ser rotacionado axialmente sob o solado (L), e ter o seu parafuso (23) atarraxado na flange (G), o usuário deve introduzir o parafuso (25) através da furação passante (F) do salto (S), atarraxando o referido parafuso (25) através da furação anterior (24) na alma de aço (21), o que passa a impedir que o salto (S) rotacione involuntariamente sobre o seu parafuso central (23).

[054] Por sua vez também, as Figuras 17 a 21 apresentam um dispositivo cuja aplicação deve ser na forma de flange, sendo constituído preferencialmente de material metálico, e que compreende inicialmente um corpo tubular (T) dotado de rosca interna (R), enquanto que, a extremidade superior do referido corpo tubular (T) projeta-se perpendicularmente para fora, proporcionando uma aba discóide contornante (D). Sendo que, o uso do referido flange roscado compreende na sua introdução através de uma furação passante realizada na região posterior de uma palmilha (P) dotada de alma de aço (21) também perfurada, e sendo ai o referido flange arrebitado, fixando-se permanentemente na alma de aço (21) e palmilha (P) por meio do alargamento (A) da sua extremidade inferior, e assim proporcionando um meio para o atarraxamento não permanente e removível do parafuso (23) de um salto (S) intercambiável. [055] Por sua vez ainda, as Figuras 22 a 26 apresentam um conjunto de palmilhas (P) para fixação sobre um salto (S) - seja de forma permanente, ou não permanente e removível - Sendo que, as referidas palmilhas (P) apresentam a sua região posterior conformada de modo que em todas as numerações referentes aos tamanhos de sapato, todas as palmilhas (P) tem a sua face inferior (26) com as mesmas dimensões, enquanto que, a face superior (27) das palmilhas (P) apresenta uma variedade de tamanhos - referentes às diferentes numerações - resultando assim num chanfro contornante (X) nesta região da palmilha (P), e que tem o seu ângulo variável de acordo com a numeração - tamanho - do sapato, indo desde um chanfro (X) com ângulo oblíquo mais acentuado para numeração maior, até um chanfro (X) com ângulo oblíquo menos acentuado para numeração menor. A referida palmilha pode receber todos os acabamentos já compreendidos no estado da técnica, tal como recobrimento com tecido, entre outros.

[056] Logicamente, os elementos aqui descritos podem ser realizados com variações de materiais, tamanhos, proporções, e até mesmo formas geométricas, seja de elementos individualmente ou do conjunto, desde que sejam conservadas as características básicas e que são essenciais à sua realização. Tendo, portanto, sido descrita e ilustrada a melhor forma de realização atualmente contemplada para a concretização da presente invenção, no entanto, é para ser compreendido que, a presente invenção não está limitada aos aspectos práticos da realização atualmente preferida, ilustradamente descrita, e que todas e tais modificações e variações devem ser consideradas como estando englobadas dentro do espírito e escopo da invenção.