Login| Sign Up| Help| Contact|

Patent Searching and Data


Title:
PREFERENTIAL VISUAL ACUITY TEST CABIN
Document Type and Number:
WIPO Patent Application WO/2020/248029
Kind Code:
A1
Abstract:
The present invention relates to a cabin (10) used to quantify visual acuity independently of the verbal information given by the patient (pc) using the 'Teller' technique in environments such as doctor's surgeries and clinics by professional specialists. Said cabin (10) is made up of a modular structure (20) consisting of an isolated environment (AS) for the patient (pc) to take the preferential acuity test by reading 'Teller' cards (CT) arranged in a viewing area (21a) provided in the central portion of the moveable wall (21) that is arranged to slide on casters (rd) on rails (30) and (31) installed on the floor (22) and ceiling (25) supported by profiles (25a). The entire modular structure (20) is matte white and has dedicated lighting (IL) controlled and adjusted as a function of the test. A seat (28) is installed in front of the moveable wall (21) coplanar with the rear wall (24) of the cabin (10) for use by the patient (pc) and helper where applicable. Sliding the moveable wall (21) adjusts the distance (d1) between the patient (pc) and the viewing area (21a) of the cards (CT), wherein the minimum distance is 38 cm and the maximum distance is 84.55 cm, with an accuracy appropriate for the effectiveness of the test according to the characteristics of the patient (pc).

Inventors:
RASSI GABRIEL LUIS ALEXANDRE (BR)
Application Number:
PCT/BR2019/050302
Publication Date:
December 17, 2020
Filing Date:
July 29, 2019
Export Citation:
Click for automatic bibliography generation   Help
Assignee:
RASSI GABRIEL LUIS ALEXANDRE (BR)
International Classes:
A61B3/028; A61B3/00; A61B3/032; A61B3/18; E04H1/12
Foreign References:
US20090143652A12009-06-04
US20050125891A12005-06-16
JPH03202562A1991-09-04
US20060116555A12006-06-01
Attorney, Agent or Firm:
BRUNNER, Rita De Cássia (BR)
Download PDF:
Claims:
R EIVI N D ICAÇÕES

1. "CABINE PARA TESTE DE ACUIDADE VISUAL PREFERENCIAL", mais precisa mente trata-se de cabine (10) do tipo para quantificar a acuidade visual independente da informação verbal do paciente (pc) por meio da técnica de 'Teller' em ambientes como consultórios e clínicas por profissional especializado; caracterizado por cabine (10) ser compreendida por estrutura modular (20) compondo um ambiente isolado (AS) para o paciente (pc) realizar o teste de acuidade preferencial através da leitura de cartões de ‘Teller’ (CT) acomodados em área de visualização (21a) prevista na porção central da parede móvel (21) deslizante através de rodízios (rd) em trilhos (S0) e (Sl) instalados no pavimento (22) e teto (25) sustentado por perfis (25a); toda estrutura modular (20) apresenta tonalidade branca e fosca, bem como, iluminação própria (IL) controlada e adequada de acordo com o teste; defronte a parede móvel (21) e coplanar a parede posterior (24) da cabine (10) é instalado um assento (28) para acomodação do paciente (pc) e possível acompanhante; o deslizamento da parede móvel (21) compõe o ajuste da distância (dl) entre paciente (pc) e área de visualização (21a) dos cartões (CT) onde a distância mínima equivale a 38 centímetros e distância máxima correspondente à 84,55 centímetros de acurácia indicada para efetividade do teste de acordo com características do paciente (pc).

2. "CABINE PARA TESTE DE ACUIDADE VISUAL PREFERENCIAL", de acordo com a reivindicação 1, caracterizado por estrutura modular (20) ser confeccionada em madeira, 'drywall', PVC ou outro tipo de material.

3. "CABINE PARA TESTE DE ACUIDADE VISUAL PREFERENCIAL", de acordo com a reivindicação 1 e numa versão construtiva preferencial, caracterizado por estrutura modular (20) apresentar altura (tl), comprimento (cl) e largura (II) idealizados para acomodação em salas de consultórios, clínicas ou similares e é compreendida por pavimento (22), paredes laterais (23), parede posterior (24) e teto (25), de maneira a compor um vão frontal (VF) provido de moldura (26) e onde é instalada a parede móvel (21) cuja largura (12) e altura (t2) são reduzidas em relação a largura (12') e altura (t2') do vão (VF); numa das paredes laterais (23) é prevista abertura (23a) passível de receber porta articulável (27) fixada por dobradiças (db) e provida de puxador (Px); a área de visualização (21a) dos cartões (CT) da parede deslizante (21) é compreendida por recorte central retangular (21b) de cuja face externa se desenvolve suporte (21c) em 'L' espelhado de maneira a encobrir o recorte (21b) formando um interstício (IT) para a montagem do cartão (CT); dito suporte (21c) prevê orifício central (21d) que quando da montagem do cartão (CT) alinha-se com orifício (ol) do mesmo para que o profissional visualize as reações do paciente (pc), por sua vez, acomodado na cabine (10).

Description:
"CABINE PARA TESTE DE ACUIDADE VISUAL PREFERENCIAL".

CAM PO TÉCNICO

[001] A presente patente de invenção trata de cabine para teste de acuidade visual, preferencial do tipo realizado para quantificar a acuidade visual, independente da informação verbal do paciente, utilizando, mais precisamente, a técnica de 'Teller'; a cabine para teste de acuidade visual foi desenvolvida para ser instalada em ambientes como consultórios e clínicas e deve ser utilizada por profissional especializado; notadamente, dita cabine é composta por estrutura capaz de proporcionar um diagnóstico com maior precisão, visto que apresenta meio de deslocamento de uma parede móvel que proporciona o ajuste do espaçamento entre o cartão de‘Teller’ em relação ao paciente acomodado no interior da cabine, de acordo com especificações para o exame e características de cada paciente, além da cabine compor um ambiente desprovido de quaisquer tipos de influências visuais que possam desviar a atenção do paciente proporcionando, assim, aumento substancial de acurácia, confiabilidade e reprodutibilidade dos testes de acuidade visual preferencial.

H ISTÓRICO DA TÉCNICA

[002] É sabido que a acuidade visual, basicamente, trata-se da capacidade do olho para distinguir detalhes espaciais, ou seja, identificar o contorno e a forma dos objetos, sendo que em pacientes como infantes em fase pré-verbal, crianças não letradas, pessoas com atraso no desenvolvimento neuropsicomotor, portadores de alterações cognitivo- motoras, portadores de lesões encefálicas tetraplegiantes e sem fala, entre outras é necessário a realização de testes de acuidade de olhar preferencial, os quais são adequados às condições de cada paciente.

[003] O princípio da acuidade visual reside no fato de que seres humanos, naturalmente, preferem olhar para algo que exiba algum detalhe ao invés de visualizarem áreas desprovidas de detalhes, de modo que, diante de um quadro branco o indivíduo terá a atenção para quaisquer particularidades presentes neste quadro, por mais ínfimo que este se apresente.

[004] Um dos tipos de testes de acuidade visual mais utilizado é denominado "teste de 'Teller'", baseado em cartões de acuidade de ‘teller’, o qual compreende placas retangulares de tonalidade neutra onde, próximo de uma das bordas laterais da placa, é prevista uma área com tonalidade distinta da placa e onde é apresentado um conjunto de listras contrastantes arranjadas de acordo com um cálculo matemático denominado 'ciclo por centímetro'. Dito cartão apresenta, ainda, um orifício central que compõe um olhai por onde o profissional avalia as reações do paciente.

[005] Quando do teste de 'Teller' o profissional se posiciona a uma distância que segundo as regras deste teste pode ser de 84, 55 ou 38 cm dos olhos do paciente, de maneira a expor a face do cartão provida de listras contrastantes voltadas para o paciente.

[006] Como o detalhe está localizado apenas em uma das metades da face do cartão voltada para o paciente, caso ele perceba a existência deste detalhe o profissional atestará este fato observando através do orifício do cartão, se o paciente olhou para o detalhe ou não. Assim, caso o paciente tenha enxergado o detalhe do primeiro cartão, passa-se para o segundo cartão e, assim, sucessivamente conforme continuar a olhar para o lado que contém detalhes. No momento em que o paciente não mais olhar para o detalhe, anota-se que sua acuidade visual é correspondente ao último cartão no qual ele foi capaz de perceber o detalhamento.

[007] Acontece que, para a execução do teste é necessário que o profissional sustente o cartão com as mãos na altura dos olhos do paciente, bem como, posicioná-lo de tal forma que o olhai fique posicionado defronte aos olhos do profissional, resultando na instabilidade do cartão.

[008] Outro inconveniente relacionado ao método de verificação de acuidade visual por cartões de 'Teller', tal como aplicado atualmente, refere-se às distrações externas como, por exemplo, as mãos do profissional quando da sustentação do cartão, de modo que o paciente desvia o olhar ao invés de focar no conjunto de listras contrastantes dificultando, assim, o diagnóstico preciso do profissional com relação ao teste de acuidade visual preferencial.

ANÁLISE DO ESTADO DA TÉCNICA

[009] Em pesquisa realizada em bancos de dados especializados foi encontrado um documento referente a teste de acuidade visual preferencial de n^. CN205378090 que trata de sistema de vídeo síncrono de inspeção de cartão organiza pela pessoa de examinar a posição à frente placa de visão à frente, na placa de visão com ser equipado com a pessoa de examinar posição paralela e nível câmera de vídeo de departamento assistido atentamente o departamento pela pessoa de examinar a posição pela pessoa de examinar uma visão e ser equipado com um teste há a interface USB na linha de transmissão da imagem e a superfície do computador que grava um vídeo no departamento da etapa. Abre-se gravação de vídeo durante a operação, a instrução precisa ser realizada a criança que senta na posição designada, e este instrumento pode ser examinado todas as ações da criança de acordo com a inspeção médico demanda observação 'in situ' e registro.

[010] O documento citado no parágrafo acima, apesar de pertencer ao mesmo campo de aplicação, não apresenta nenhuma das características do objeto ora aperfeiçoado, garantindo, assim, que o mesmo atenda aos requisitos legais de patenteabilidade.

OBJ ETIVOS DA I NVENÇÃO

[011] É objetivo da patente apresentar uma cabine para teste de acuidade visual preferencial do tipo realizado por cartões de 'Teller' onde dita cabine compõe um ambiente para o paciente realizar o teste de acuidade preferencial através da leitura de cartões de‘Teller’, por sua vez, acomodados numa área de visualização prevista na porção central de uma parede móvel deslizante em trilhos instalados no pavimento e no teto da cabine possibilitando, assim, a adaptação da distância dos cartões em relação aos olhos do paciente e de acordo com respectivas limitações.

[012] Outro objetivo da patente reside no fato da cabine compor um ambiente neutro e isolado para o paciente realizar o teste de acuidade, evitando possíveis distrações externas quando da visualização do cartão de‘Teller’ garantindo, assim, um diagnóstico preciso das reações do paciente.

[013] Outro objetivo da presente invenção consiste no fato da área de visualização dos cartões prevista na parede móvel deslizante da cabine suportá-los de forma estável.

[014] Outro objetivo da presente invenção visa apresentar uma cabine com iluminação fixa e controlada que proporciona melhor visualização do cartão quando da realização do exame. [015] Em suma, com a utilização da cabine há um aumento substancial de acurácia, confiabilidade e reprodutibilidade dos testes de acuidade visual preferencial.

DESCRIÇÃO DAS FIGU RAS

[016] A complementar a presente descrição de modo a obter uma melhor compreensão das características do presente invento e de acordo com uma preferencial realização prática do mesmo, acompanha a descrição, em anexo, um conjunto de desenhos, onde, de maneira exemplificada, embora não limitativa, se representou seu funcionamento:

a figura 1 representa uma vista em perspectiva explodida da estrutura que compõe a cabine em questão;

a figura 2 revela uma vista em perspectiva montada da cabine;

a figura 3 mostra uma vista em corte longitudinal A.A indicado na figura anterior, com respectivo detalhe ampliado;

a figura 4 representa uma vista em corte longitudinal A.A ilustrando o deslizamento da parede móvel quando do ajuste da distância adequada para a realização do teste de acuidade preferencial.

DESCRIÇÃO DETALHADA DO OBJ ETO

[017] Com referência aos desenhos ilustrados, a presente patente de invenção se refere à "CABINE PARA TESTE DE ACUIDADE VISUAL PREFERENCIAL", mais precisamente trata-se de cabine (10) do tipo para quantificar a acuidade visual independente da informação verbal do paciente (pc) por meio da técnica de 'Teller' em ambientes como consultórios e clínicas por profissional especializado.

[018] Segundo a presente invenção, dita cabine (10) é compreendida por estrutura modular (20) confeccionada em madeira,‘drywall’, PVC ou outro tipo de material, de forma a compor um ambiente isolado (AS) para o paciente (pc) realizar o teste de acuidade preferencial através da leitura de cartões de 'Teller' (CT) acomodados em área de visualização (21a) prevista na porção central da parede móvel (21) deslizante através de rodízios (rd) em trilhos (30) e (31) instalados no pavimento (22) e teto (25) sustentado por perfis (25a). Toda estrutura modular (20) apresenta tonalidade branca e fosca, bem como, iluminação própria (IL) controlada e adequada de acordo com o teste. [019] Defronte a parede móvel (21) e coplanar a parede posterior (24) da cabine (10) é instalado um assento (28) para acomodação do paciente (pc) e possível acompanhante.

[020] O deslizamento da parede móvel (21) compõe o ajuste da distância (dl) entre paciente (pc) e área de visualização (21a) dos cartões (CT) onde a distância mínima equivale a 38 centímetros e distância máxima correspondente à 84,55 centímetros de acurácia indicada para efetividade do teste de acordo com características do paciente (pc).

[021] Numa versão construtiva preferencial, dita estrutura modular (20) apresenta altura (tl), comprimento (cl) e largura (II) idealizados para acomodação em salas de consultórios, clínicas ou similares e é compreendida por pavimento (22), paredes laterais (23), parede posterior (24) e teto (25), de maneira a compor um vão frontal (VF) provido de moldura (26) e onde é instalada a parede móvel (21) cuja largura (12) e altura (t2) são reduzidas em relação a largura (12') e altura (t2') do vão (VF). Numa das paredes laterais (23) é prevista abertura (23a) passível de receber porta articulável (27) fixada por dobradiças (db) e provida de puxador (Px).

[022] A área de visualização (21a) dos cartões (CT) da parede deslizante (21) é compreendida por recorte central retangular (21b) de cuja face externa se desenvolve suporte (21c) em 'L' espelhado de maneira a encobrir o recorte (21b) formando um interstício (IT) para a montagem do cartão (CT). Dito suporte (21c) prevê orifício central (21d) que quando da montagem do cartão (CT) alinha-se com orifício (ol) do mesmo para que o profissional visualize as reações do paciente (pc), por sua vez, acomodado na cabine (10).

[023] É certo que quando o presente invento for colocado em pratica, poderão ser introduzidas modificações no que se refere a certos detalhes de construção e forma, sem que isso implique afastar-se dos princípios fundamentais que estão claramente substanciados no quadro reivindicatório, ficando assim entendido que a terminologia empregada não teve a finalidade de limitação.