Login| Sign Up| Help| Contact|

Patent Searching and Data


Title:
PROCESS AND PLASMA REACTOR FOR THE PRODUCTION OF SYNTHESIS GAS
Document Type and Number:
WIPO Patent Application WO/2020/107090
Kind Code:
A1
Abstract:
The present invention describes a plasma reactor for processing natural gas and/or light hydrocarbons, including biomethane and biogas, using a plasma torch that does not require the use of cathode-protection gas (shielding gas), and also a reforming process involving the use of a plasma reactor for the production of synthesis gas and carbonaceous materials from natural gas and/or light hydrocarbons.

Inventors:
REIS DA COSTA LABANCA AURELIO (BR)
GONÇALVES CUNHA ALFREDO (BR)
Application Number:
BR2019/050510
Publication Date:
June 04, 2020
Filing Date:
November 29, 2019
Export Citation:
Click for automatic bibliography generation   Help
Assignee:
PETROLEO BRASILEIRO SA PETROBRAS (BR)
UNIV FEDERAL DO ESPIRITO SANTO UFES (BR)
International Classes:
C01B3/34; B01J12/00; B01J19/08; C09C1/48
Domestic Patent References:
WO2012095213A12012-07-19
WO2008104058A12008-09-04
Foreign References:
US20100266908A12010-10-21
Other References:
TAO, X. ET AL.: "CH 4-CO2 reforming by plasma - challenges and opportunities", PROGRESS IN ENERGY AND COMBUSTION SCIENCE, vol. 37, no. 2, April 2011 (2011-04-01), pages 113 - 124, Retrieved from the Internet
Attorney, Agent or Firm:
RODRIGUES SILVA, Francisco Carlos et al. (BR)
Download PDF:
Claims:
REIVINDICAÇÕES

1. Reator a plasma para produção de gás de síntese, caracterizado por compreender:

tocha compreendendo anodo reto ou em degrau;

diâmetro do anodo e/ou do cátodo na faixa entre 2 mm e 100mm, potência do plasma entre 1 a 6 000 kW.

2. Reator, de acordo com a reivindicação 1 , caracterizado por comportar vazões de saída de gás na faixa entre 2 e 60.000 mol/h

3. Reator, de acordo com a reivindicação 1 ou 2, caracterizado por compreender eletrodos selecionados do grupo consistindo de cobre e zircônia.

4. Reator, de acordo com a reivindicação 3, caracterizado por compreender cátodo de zircônia.

5. Reator, de acordo com qualquer uma das reivindicações 1 a 4, caracterizado por permitir a injeção de gases na região do anodo e/ou do cátodo.

6. Processo para produção de gás de síntese, caracterizado por compreender realizar a reforma de gás natural e/ou hidrocarbonetos leves através das seguintes etapas:

injetar CO2 na região do cátodo, e CH4 na saída do anodo de um reator como definido na reivindicação 1 com uma vazão de gás,

em que a vazão de saída de gás está na faixa entre 2 e 60.000 mol/h

em que a potência encontra-se na faixa entre 1 a 6 000 kW.

7. Processo, de acordo com a reivindicação 6, caracterizado por a conversão de CO2 encontrar-se na faixa entre 50 e 100%.

8. Processo, de acordo com a reivindicação 6 ou 7, caracterizado por utilizar corrente do arco elétrico na faixa entre 20 e 250 A.

Description:
“PROCESSO E REATOR A PLASMA PARA PRODUÇÃO DE GÁS DE SÍNTESE.”

CAMPO DA PRESENTE INVENÇÃO

[001 ] A presente invenção está relacionada a um processo e reator de produção de gás de síntese. Mais especificamente, a presente invenção sugere um reator que faz uso de descargas elétricas e dióxido de carbono e um processo de reforma que utilize este reator para a produção de gás de síntese com alto poder calorífico e de carbono nanoestruturado.

FUNDAMENTOS DA PRESENTE INVENÇÃO

[002] O hidrogénio e os gases ricos em hidrogénio, chamados de gás de síntese, são produzidos em larga escala para uso na indústria do refino, na produção de amónia, metanol, hidrocarbonetos líquidos a partir do processo de “Fischer-Tropsch”, em diversos processos petroquímicos e em processos de hidrogenação de solventes, parafinas e produtos usados no ramo alimentício. Para a sua obtenção, alguns processos de reforma de hidrocarbonetos (como o gás natural e/ou outros hidrocarbonetos leves) podem ser utilizados, como, por exemplo, a reforma a vapor, oxidação parcial, reforma autotérmica ou reforma seca. Atualmente, o processo de reforma a vapor de gás natural (metano e/ou outros hidrocarbonetos leves) é o método mais utilizado para a produção de hidrogénio em escala industrial.

[003] Entretanto, tais processos apresentam parâmetros que podem encarecer ou prejudicar o processo, tal como a necessidade de compra e/ou fabricação, regeneração, reposição e descarte de catalisadores adequados a cada processo de reforma, bem como o uso de água (no caso de reforma a vapor), ou de oxigénio (no caso de reforma autotérmica ou oxidação parcial). Alguns processos, neste último caso, usam o ar atmosférico como fonte de oxigénio, gerando gás de síntese de baixo poder calorífico, em vista do alto teor de nitrogénio presente no ar. Por outro lado, apesar de produzir gás de síntese de médio poder calorífico, a utilização de oxigénio puro oneraria ainda mais o processo, devido à necessidade de uma unidade separadora de ar para suprimento de oxigénio ao processo.

[004] Desta forma, faz-se necessário encontrar processos de produção de gás de síntese e de carbono nanoestruturado através de reforma de gás natural (e/ou de outros hidrocarbonetos leves) que possam ser realizados a seco, porém sem a utilização de catalisadores ou de gases diluentes, ou ainda sem a utilização de unidades separadoras de ar para fornecimento de oxigénio na geração de gás de síntese de médio poder calorífico.

[005] Os processos a plasma figuram como uma alternativa viável para a geração de gás de síntese com alto poder calorífico. O objetivo básico dos reatores de arco elétrico na região do arco térmico, conhecido também como plasma térmico, é a transformação eficaz da energia elétrica em energia térmica, o que viabilizaria o processo de reforma, uma vez que as tochas compreendem as seguintes características:

• Alta temperatura do arco (acima de 1 1 000K);

• Alta eficiência de conversão da energia elétrica em térmica, podendo chegar a 95%;

• Utilização de quaisquer gases: oxidantes, neutros ou redutores;

• Alta entalpia do fluxo de plasma;

• Alta densidade de potência;

• Pequenas dimensões;

• Alta condutividade térmica do fluxo de plasma.

[006] Neste sentido, o documento CEVOLANI et ai, in“Enriquecimento de gás natural veicular via plasma de dióxido de carbono”, 6 Q Congresso Brasileiro do Carbono - Carbono 2015, Resumo - P55 (2015), também versa o uso de plasma térmico no processamento dos gases constituídos pelo GNV e pelo dióxido de carbono, contudo está voltado apenas ao enriquecimento do GNV, ou seja, no acréscimo de um percentual reduzido de hidrogénio no GNV para uso em motores apenas, enquanto que na presente invenção não ocorre um “enriquecimento” do gás (GNV, no caso) e sim, praticamente todos os átomos de hidrogénio existentes nas moléculas da carga processada serão convertidos em hidrogénio molecular (H2), os gases obtidos mediante a presente invenção podem ser usados em células a combustível, diferentemente do documento aqui citado, e também em motores.

[007] Por outro lado, o documento CUNHA, A.G, e MAROTTA, A., in“Low erosion rate of zirconium cathode in a plasma torch”, IEEE International Conference on Plasma Science, 2C8 (1989) pp. 66-67. DOI:

10.1 109/PLASMA.1989.166038 busca resolver o problema das elevadas taxas de erosão de cátodos em tochas de plasma. Neste trabalho, os autores revelam o estudo de cátodos de zircônio, nos quais, ao reagir com ar, havia formação de um filme protetor de Zr0 2 e ZrN na superfície do cátodo, filme este que possuía boas propriedades refratárias e de eletro-emissão. Foi constatado que, para diminuir a taxa de erosão, é necessário manter a temperatura da superfície do cátodo de zircônio a mais baixa possível, melhorando o resfriamento. Entretanto, a presença de carbono no meio reacional produz carbeto de zircônio, que deteriora o cátodo. Na presente invenção não se faz uso do ar e nem do oxigénio do ar.

[008] Já o documento CHEN, L, PERSHIN, L, e MOSTAGHIMI, J„ in“A New Highly Efficient High-Power DC Plasma Torch”, IEEE TRANSACTIONS ON PLASMA SCIENCE, VOL. 36, NO. 4, AUGUST 2008, trata de uma tocha de plasma que é operada com uma mistura de dióxido de carbono e hidrocarbonetos, por exemplo, metano (componente principal do gás natural). Segundo os autores, a entalpia e a condutividade térmica do plasma de CO2 com CH4 é consideravelmente maior do que no plasma com argônio, usualmente utilizado como gás protetor do cátodo e limitador da eficiência térmica do processo. Entretanto, a configuração aplicada neste documento não permite uma flexibilidade muito grande na quantidade de metano aplicada, devido à instabilidade gerada no plasma. Além disso, 0 metano precisa estar presente na região do cátodo para reposição do carbono.

[009] Deste modo, não há relatos no estado da técnica que antecipem um reator movido a plasma de dióxido de carbono e um processo de reforma que utilize este reator para a produção de gás de síntese com alto poder calorífico e de carbono nanoestruturado.

SUMÁRIO DA PRESENTE INVENÇÃO

[0010] A presente invenção está relacionada à produção de gás de síntese com alto poder calorífico e de carbono nanoestruturado.

[001 1 ] Um primeiro objetivo da presente invenção é desenvolver um reator a plasma para processamento do gás natural e/ou hidrocarbonetos leves com tocha de plasma que não necessite do uso de gás de proteção ao cátodo (gás de blindagem).

[0012] Um segundo objetivo da presente invenção é desenvolver um processo de reforma que utilize um reator a plasma para a produção de gás de síntese a partir do gás natural e/ou hidrocarbonetos leves.

[0013] De forma a alcançar os objetivos acima descritos, a presente invenção propõe um reator movido a plasma de dióxido de carbono e tocha contendo cátodo de zircônio, bem como um processo de reforma a seco utilizando este reator.

[0014] O processo de acordo com a presente invenção gera monóxido de carbono e hidrogénio, visando também o enriquecimento do gás natural com o gás hidrogénio em até pelo menos 10%. O gás natural assim enriquecido possibilitaria a operação de um motor de combustão interna com misturas pobres (maior percentual de ar em relação ao combustível do que o usual), apresentando uma variedade de aspectos positivos, entre eles, a redução de emissões desse motor e a melhoria da eficiência de combustão.

[0015] Vantajosamente, o processo de acordo com a presente invenção obtém-carbono de alta pureza e também nanoestuturado (grafeno e outros materiais carbonosos), que possui alto valor agregado e grandes demandas industriais. Comercialmente conhecido como Carbon Black ou negro de fumo, o carbono possui a indústria de pneus como principal mercado e sua demanda mundial é da ordem de 10 milhões de toneladas por ano. Além disso, o carbono proveniente da pirólise a plasma é um dos mais puros que se conhece e, por isso, pode ser usado em diversas aplicações nobres como, por exemplo, na produção de aços especiais.

[0016] A configuração proposta para o reator da presente invenção elimina a necessidade de gás de proteção do cátodo (gás de blindagem), gerando assim gás de síntese com maior teor de CO e H2, do mais alto poder calorífico dentre todas as tecnologias de geração de gás de síntese.

[0017] Devido ao conjunto de características da presente invenção (quais sejam, 0 efeito térmico e catalítico propiciado pelo arco de plasma gerado, configuração e tipos de materiais usados nos eletrodos, a geometria da tocha de plasma, a forma de injeção dos gases, a variação da potência da tocha de plasma, a variação dos gases e também das proporções entre os gases utilizados), a necessidade de catalisadores na reação, bem como de água na geração do gás hidrogénio, é eliminada. O uso do CO2 como gás do plasma resolve problemas na manutenção da descarga plasmática e dificuldades técnicas-operacionais na fonte de potência, eliminando também a necessidade de se gerar 0 gás do plasma, para então, usá-lo no próprio processo, como no caso do uso do hidrogénio como gás do plasma. Ademais, 0 CO2, gás industrial e de processo, de fácil obtenção, tem a vantagem de ser não contaminante ou diluente do gás de síntese gerado, pois é convertido em CO, além de ser de ionização mais simples do que 0 gás hidrogénio.

[0018] A presente invenção pode ser aplicada na indústria química ou de combustíveis sintéticos a partir dos gases CO e H2 gerados, bem como em unidades geradoras de hidrogénio, com aproveitamento do CO e do calor sensível do processo integrado. As proporções entre 0 CO e 0 H2 podem ser controladas mediante as proporções dos gases reagentes (gás natural e/ou outros hidrocarbonetos leves e o CO2). A formação de carbono no estado sólido também pode ser controlada.

[0019] Esses objetivos e demais vantagens da presente invenção ficarão mais evidentes a partir da descrição que se segue e dos desenhos anexos. BREVE DESCRIÇÃO DAS FIGURAS

[0020] A descrição detalhada apresentada adiante faz referência às figuras anexas, as quais:

[0021 ] A Figura 1 representa a tocha de arco elétrico utilizada, de acordo com a presente invenção.

[0022] A Figura 2 representa as dimensões internas da tocha de plasma, de acordo com a presente invenção.

[0023] A Figura 3 representa um gráfico com as vazões de saída para os diversos gases resultantes da reação do GNV com um plasma de CO2 no teste HZR1 1 , onde, principalmente, se manteve fixa a vazão variou as vazões de CO2 e se variou a vazão de GNV.

[0024] A Figura 4 representa um gráfico da seletividade para os produtos da reforma a seco no teste FIZR1 1 , onde, se manteve fixa a vazão de CO2 e se variou a vazão de GNV.

[0025] A Figura 5 representa um gráfico com as vazões de saída para os diversos gases resultantes do teste FIZR13, onde se fixou a corrente do arco elétrico, a vazão do C02 e se variou a vazão do GNV.

[0026] A Figura 6 representa um gráfico com os resultados da conversão de GNV em H2 e abatimento de CO2 do gás inicial, que faz referência a formação de carbono em fase sólida e que foi extraído do GNV, para 0 teste FIZR13, onde se fixou a corrente do arco elétrico, a vazão do CO2 e se variou a vazão do GNV.

[0027] A Figura 7 representa um gráfico com os resultados dos rendimentos energéticos para 0 H2, CO e C2FI2 do teste FIZR13, onde se fixou a corrente do arco elétrico, a vazão do CO2 e se variou a vazão do GNV. [0028] A Figura 8 representa um gráfico da seletividade para os produtos da reforma no teste HZR13, onde se fixou a corrente do arco elétrico, a vazão do CO2 e se variou a vazão do GNV.

[0029] A Figura 9 representa um gráfico com 0 consumo elétrico, energia elétrica consumida no plasma por mol de H2 e CO gerados no teste FIZR13, onde se fixou a corrente do arco elétrico e a vazão do CO2, variando-se a vazão do GNV.

[0030] A Figura 10 representa um gráfico da conversão percentual dos reagentes (GNV e C02) em CO, H2 e carbono para 0 teste FIZR13, onde se fixou a corrente do arco elétrico a vazão do CO2, variando-se a vazão do GNV.

[0031 ] A Figura 1 1 representa um gráfico com as vazões de saída para os diversos gases resultantes da reação do GNV com um plasma de CO2 no teste FIZR13, onde se fixou as vazões do GNV e CO2 e se variou a corrente do plasma.

[0032] A Figura 12 representa um Gráfico com os resultados da conversão de GNV em H2 e abatimento de CO2 no teste FIZR13, que faz referência a formação de carbono em fase sólida e que foi extraído do GNV, onde se fixou as vazões do GNV e CO2 e se variou a corrente do plasma.

[0033] A Figura 13 representa um gráfico com os resultados dos rendimentos energéticos para 0 H2, CO e C2FI2 do para 0 teste FIZR13, onde se fixou as vazões do GNV e CO2 e se variou a corrente do plasma.

[0034] A Figura 14 representa um gráfico da seletividade para os produtos no teste FIZR13, onde se fixou as vazões do GNV e CO2 e se variou a corrente do plasma.

[0035] A Figura 15 representa um gráfico com 0 consumo elétrico, energia elétrica consumida no plasma para 0 por mol de H2 , de CO e de carbono gerados no teste FIZR13, onde se fixou as vazões do GNV e CO2 e se variou a corrente do plasma.

[0036] A Figura 16 representa um gráfico da conversão percentual dos reagentes em CO, H2 e carbono para teste HZR13, onde se fixou as vazões do GNV e CO2 e se variou a corrente do plasma.

DESCRIÇÃO DETALHADA DA PRESENTE INVENÇÃO

[0037] A presente invenção refere-se a um reator movido a plasma de dióxido de carbono e tocha de plasma contendo eletrodos para processamento do gás natural e/ou hidrocarbonetos leves.

[0038] A presente invenção refere-se, ainda, a um processo de reforma que utilize um reator a plasma de dióxido de carbono e tocha de plasma contendo eletrodos para processamento do gás natural e/ou hidrocarbonetos leves, inclusive biogás, visando a produção de gás de síntese e carbono sólido, preferencialmente nanoestruturado, a partir do gás natural e/ou hidrocarbonetos leves.

[0039] No âmbito da presente invenção, as tochas de plasma possuem os seguintes elementos construtivos

• Eletrodos: cátodo e anodo;

• Um tubo para a passagem do gás, que pode ser alojado no anodo no caso de arco não transferido;

• Uma câmara de entrada do gás (câmara de vórtice);

• Sistema de estabilização do arco (geralmente em vórtice);

• Sistema de rotação do arco (magnética ou vórtice);

• Sistema de refrigeração dos eletrodos.

[0040] De acordo com a presente invenção, as tochas apresentam anodo selecionado do grupo consistindo de anodo reto, anodo cónico ou anodo em degrau. Em uma modalidade preferencial, as tochas apresentam anodo reto ou em degrau.

[0041 ] De acordo com a presente invenção, pode ocorrer injeção de gases na região do cátodo ou do anodo. Preferencialmente, CO 2 é injetado na região do cátodo, que provoca primeiro a ionização do CO 2 . Ainda, preferencialmente, CH 4 é injetado na saída do anodo, 0 que permite: • injetar qualquer vazão de CFU sem afetar a estabilidade do arco elétrico;

• obter altos percentuais de conversão de CO2 (de 75% a 100%, preferencialmente entre 90 e 100%), independentemente da vazão de CH 4 aplicada no processo;

• obter conversão de 75% a 100%, preferencialmente entre 90 e 100% de CO2 + CH4 para 2H2 + 2CO.

[0042] Em uma modalidade da presente invenção, 0 diâmetro do anodo e/ou do cátodo pode estar na faixa entre 2 mm e 100mm, preferencialmente entre 5 e 50 mm.

[0043] No âmbito da presente invenção, podem ser utilizados cátodos eletrodos conforme descritos no estado da técnica. Preferencialmente, são utilizados cátodos selecionados do grupo consistindo de cobre e zircônia.

[0044] De acordo com a presente invenção, a potência a ser utilizada no plasma pode variar entre 1 a 6 000 kW, preferencialmente entre 20 e 200 kW.

[0045] Para realizar 0 processo de acordo com a presente invenção, são utilizadas vazões de saída de gás na faixa entre 2 e 60.000 mol/h, preferencialmente, entre 10 e 2000 mol/h.

[0046] A descrição que se segue partirá de concretizações preferenciais da presente invenção. Como ficará evidente para qualquer técnico no assunto, a presente invenção não está limitada a essas concretizações particulares.

Exemplos:

[0047] Para 0 melhor entendimento dos processos ocorridos dentro das tochas de plasmas, foi utilizado 0 recurso de simulação por Fluido Dinâmica Computacional (CFD - Computational Fluid Dynamics). O tornado apresentou um bom rendimento energético na produção do hidrogénio, entretanto, com baixa conversão do CO2. A tocha de plasma térmico com arco elétrico obteve resultados superiores na conversão do gás natural com plasma de CO2, em termos de rendimento e escala. Teste HZR1 1

[0048] Visando observar os efeitos do confinamento dos gases, o segundo anodo teve seu diâmetro interno reduzido. Neste teste foi mantida a vazão fixa de 131 mol/h para o CO2, enquanto a vazão de GNV foi variada de 1 12 a 639 mol/h. A corrente do arco elétrico foi mantida constante em 103 A, mas a potência diminuiu com 0 aumento da vazão do GNV, devido ao pequeno diâmetro do segundo anodo que provocou um aumento da pressão na saída do primeiro anodo. A diminuição do diâmetro do segundo anodo, além de provocar uma maior queda de pressão, aumenta a temperatura dos gases que passam por ele. Este fato reflete na vazão do CO que diminui com 0 aumento da vazão do GNV. Este comportamento pode ser visto no gráfico da seletividade mostrado na Figura 4.

Teste HZR13

[0049] Como a diminuição do diâmetro do segundo anodo fez diminuir 0 rendimento energético na produção do H2, no teste HZR13, 0 diâmetro retornou para 25 mm. Como uma nova tentativa para aumentar a temperatura do plasma, neste teste 0 diâmetro do primeiro anodo foi diminuído. Os resultados deste teste foram divididos em dois grupos. No primeiro, 0 procedimento foi igual ao do teste HZR1 1 , onde se fixou a vazão do CO2 em 135 mol/h, fazendo variar a vazão do GNV, para uma corrente constante de 103 A. Neste caso não houve diminuição da potência devido ao aumento da vazão do GNV. No segundo grupo, foram fixadas as vazões do GNV em 312 mol/h e a do CO2 em 135 mol/h, fazendo variar a corrente em 70, 103, 125 e 150 A, consequentemente, a potência e a temperatura do plasma.

Variação da vazão do GNV

[0050] Os gráficos das Figuras 5 a 1 1 mostram os resultados do teste onde foram mantidas constantes a corrente e a vazão do CO2, que é 0 gás de trabalho, enquanto a vazão do GNV foi variada.

[0051 ] A Figura 5 mostra um gráfico com as vazões dos gases de entrada e saída da tocha de plasma, bem como a potência para cada vazão de GNV. A potência do arco aumenta ligeiramente com o aumento da vazão do GNV, comportamento oposto ao encontrado no teste 1 1 , onde a potência diminuiu devido ao aumento de pressão na saída do primeiro anodo, provocado pela perda de carga devido ao pequeno diâmetro do segundo anodo. A vazão do H2 atinge um máximo quando a vazão do GNV é aproximadamente 2,3 vezes a vazão do CO2. O mesmo máximo acontece para 0 rendimento energético na produção do H2, e sua seletividade, como podem ser vistos nas Figuras 8 e 9. A Figura 7 mostra que para 0 maior rendimento energético na produção de FI2, a conversão do GNV em H2 está em torno de 58% e 0 abatimento de CO2 em 10%. A Figura 10 mostra que 0 consumo elétrico para a produção de H2 é bem menor que a do CO. Para a condição de máximo rendimento energético na produção de H2, 0 percentual de conversão dos reagentes em CO, H2 e carbono ficou em 60%, sendo que 0 máximo de conversão foi de 92% para vazões de GNV menores que a vazão de CO2, conforme Figura 1 1.

Variação da potência do plasma

[0052] Os gráficos das figuras 12 a 17 foram resultados dos testes com a variação da potência do plasma, via variação da corrente do arco elétrico, onde a razão entre as vazões do GNV e CO 2 correspondia ao máximo do rendimento energético na produção do H 2 , para a razão [Vazão C0 2 /(Vazão CO 2 + Vazão GNV)] = 0,30. O gráfico da Figura 12 mostra a vazão dos gases reagentes e os produtos, onde se observa que 0 aumento da potência fez diminuir as vazões residuais do CFI 4 e CO 2 . Quanto aos produtos, houve um leve aumento nas vazões de C 2 FI 2 e CO, sendo que 0 aumento na vazão de H2 foi muito maior. A Figura 13 mostra que a conversão de GNV em H2 variou de 40 para 77%, na faixa de potência explorada, sendo que 0 comportamento da curva indica que esse resultado pode ser maior para potências maiores. Este gráfico também sinaliza que 0 abatimento de CO 2 deve aumentar com 0 aumento da potência do plasma. [0053] A Figura 14 mostra o rendimento energético para os produtos, que diminui para o CO, aumenta continuamente para o C2H2 e passa por um máximo para 0 H2. Esta queda no rendimento pode estar associada à curva característica do plasma, que com 0 aumento da corrente, a tensão do arco diminui, seguido de uma diminuição do comprimento do arco elétrico, fazendo com que a tocha de plasma saia do ponto de máximo rendimento. Assim, para que a tocha de plasma continue operando com máximo rendimento é preciso aumentar a vazão do CO2, a fim de que a tensão do arco volte ao valor inicial e, consequentemente, 0 comprimento do arco.

[0054] O gráfico da seletividade, visualizado na Figura 15, mostra que 0 aumento da potência favorece a formação do H2, diminui a formação do CO , variando-se muito pouco a vazão de C2FI2 e carbono.

[0055] O consumo elétrico para 0 H2, mostrado na Figura 16, indica uma redução quase imperceptível com 0 aumento da potência, enquanto aumenta para 0 CO e passa por um máximo para 0 carbono.

[0056] O gráfico da Figura 17 mostra que 0 aumento da potência do plasma aumenta 0 percentual de conversão dos reagentes em CO, H2 e carbono.

[0057] A descrição que se fez até aqui do objeto da presente invenção deve ser considerada apenas como uma possível ou possíveis concretizações, e quaisquer características particulares nelas introduzidas devem ser entendidas apenas como algo que foi escrito para facilitar a compreensão. Desta forma, não podem de forma alguma ser consideradas como limitantes da presente invenção, a qual está limitada ao escopo das reivindicações que seguem.




 
Previous Patent: PIPE SPOOLING FOR REEL-LAY OPERATIONS

Next Patent: AIRCRAFT