Login| Sign Up| Help| Contact|

Patent Searching and Data


Title:
PRODUCT AND METHOD FOR MANUFACTURING EDIBLE DRINKING STRAWS FOR SUCKING LIQUID BEVERAGES
Document Type and Number:
WIPO Patent Application WO/2021/030895
Kind Code:
A1
Abstract:
The present invention patent description relates to drinking straws for sucking liquid beverages and the manufacturing method thereof, forming an edible, biodegradable and natural product without gluten or any chemical substance harmful to human health. The formulation of the product comprises pre-cooked and gelatinized grade 1 tapioca, rice flour, xanthan gum, CMC, calcium propionate, water and palm fat, and the manufacturing method thereof takes place by means of extrusion in a vertical-axis extruder, with pre-baking, cutting and final baking when in the form of a drinking straw (1).

Inventors:
JESUÉ CÂNDIDO SANTANA ANTONIO (BR)
Application Number:
BR2020/050326
Publication Date:
February 25, 2021
Filing Date:
August 17, 2020
Export Citation:
Click for automatic bibliography generation   Help
Assignee:
JESUE CANDIDO SANTANA ANTONIO (BR)
International Classes:
A21D13/48; A21D13/04; A21D13/066; A47G21/18
Attorney, Agent or Firm:
DE LIMA FORTE, Camila et al. (BR)
Download PDF:
Claims:
REIVINDICAÇÕES

1 - “PRODUTO E PROCESSO DE FABRICAÇÃO DE CANUDOS

COMESTÍVEIS PARA SUCÇÃO DE BEBIDAS LÍQUIDAS”, constituindo-se canudos comestíveis e sem glúten à base de tapioca, CARACTERIZADO pelo fato de ser constituído por uma prémistura, água e gordura de palma, ingredientes estes que são preparados nas seguintes proporções: a pré-mistura é composta por aproximadamente: de 82% a 85% de tapioca gelatinizada; de 14 a 16% de farinha de arroz; de 0,3% a 0,4% de CMC; de 1 % 1 ,5% de propianato de cálcio e de 0,5% a 0,1 % de goma xantana, sendo que, na mistura final, a pré mistura representa aproximadamente 53% a 56% do total, a gordura de palma é cerca de 6% a 7%, e água, na proporção de aproximadamente 38 a 40%.

2- “PRODUTO E PROCESSO DE FABRICAÇÃO DE CANUDOS COMESTÍVEIS PARA SUCÇÃO DE BEBIDAS LÍQUIDAS”, cujo processo compreende as etapas de preparação, processamento, assamento, e por fim, acondicionamento nas embalagens para expedição CARACTERIZADO da seguinte forma: (a) faz-se aquisição dos ingredientes já descritos neste relatório; (b) refina-se a tapioca numa granulometria semelhante à da farinha de arroz; (c) mistura-se os ingredientes da pré-mistrura por cerca de 10 a 20 minutos, em misturador em Ύ”; (d) após a homogeinização dos ingredientes da pré-mistura, num misturador de massa, adiciona-se água e gordura de palma na prémistura, e deixa misturando por cerca de 5 a 10 minutos; (e) deixa-se a massa descansar por 10 a 20 minutos, e depois, coloca-a na extrusora (2) de eixo vertical, iniciando a formatação dos canudos (1 ) em si; (f) a confecção dos canudos (1), ocorre a partir da extrusora, (2), a qual possui uma trefila (3), dotada de boquilhas desalinhadas, por onde sai vários tubos de massa contínua, flexíveis, apontados para baixo; (g) os tubos são recebidos por uma esteira curva (4), que direciona os tubos para a esteira plana (5), que por sua vez passa por um forno contínuo (6), onde os tubos são pré-assados; (h) corta-se os tubos pré-assados através de um rolo circular (7) com facas (8), com velocidade ajustada para cortar os tubos no tamanho final dos canudos (1); (i) os canudos (1 ) são empurrados para uma bandeja (9) de assamento, que vai à outro forno onde se finaliza o assamento; (j) após os canudos (1) esfriarem, estes são embalados e expedidos.

3 - “PRODUTO E PROCESSO DE FABRICAÇÃO DE CANUDOS COMESTÍVEIS PARA SUCÇÃO DE BEBIDAS LÍQUIDAS”, conforme reivindicação 2, CARACTERIZADO pelo fato do de fabricação compreender um misturador em Ύ”, um misturador de massa, uma extrusora (2) de eixo vertical, dotada de trefila (3) com boquilhas desalinhadas, uma esteira curva (4) uma esteira plana (5) um forno contínuo (6), o rolo de corte (7) com facas (8) equidistantes, e uma mesa com bandeja (9) de assamento em outro forno.

Description:
“PRODUTO E PROCESSO DE FABRICAÇÃO DE CANUDOS COMESTÍVEIS PARA SUCÇÃO DE BEBIDAS LÍQUIDAS “

[001] O presente relatório descritivo de privilégio de invenção refere-se a “PRODUTO E PROCESSO DE FABRICAÇÃO DE CANUDOS COMESTÍVEIS PARA SUCÇÃO DE BEBIDAS LÍQUIDAS”, caracterizado por apresentar produto e processo, objetivando-se proteger a propriedade industrial de canudos comestíveis à base de tapioca e seu processo de fabricação, cuja formulação compreende: tapioca pré-cozida e gelatinizada do tipo 1 , farinha de arroz, goma xantana, cmc, propionato de cálcio, água e gordura de palma.

[002] O campo de aplicação deste pedido é o dos produtos alimentícios a base de massas, mais especificamente, o campo dos canudos comestíveis para sucção de bebidas líquidas.

[003] Como é do conhecimento dos habilitados nessa técnica, existem alguns canudos comestíveis no mercado para sucção de bebidas líquidas, porém, nenhum deles, sem exceção, apresentam os componentes e características que o canudo reivindicado neste pedido possui, principalmente pelo fato de ser produzido à base da tapioca.

[004] Nas pesquisas realizadas nas bases de patentes mais importantes do mundo, como USPTO, ESPACENET, INPI, e ainda, no GOOGLE PATENTS, não foi identificado nenhum processo ou produto que possa servir de empecilho para a concessão da patente ora requerida.

[005] Culturalmente, no Brasil e em vários países pelo mundo à fora, muitas pessoas utilizam canudos para beber drinks, refrigerantes, água de coco, entre outras bebidas líquidas. Ocorre que a maioria desses canudos são confeccionados em material plástico, matéria prima altamente poluente que prejudica o meio ambiente.

[006] Segundo matéria da Veja publicada em fevereiro de 2019, o canudo de plástico demora cerca de 500 anos para se decompor na natureza. Em alguns Estados brasileiros as assembleias já estão aprovando Leis para proibir a fabricação e comercialização de canudinhos de plásticos, que são utilizados principalmente em bares e restaurantes. [007] Nesse contexto, várias alternativas vem sendo implementadas para substituição dos canudos plásticos por outros confeccionados com materiais reutilizáveis, como o aço inox; biodegradáveis, como celulose revestida; e até mesmo os canudos comestíveis, a partir de massa de trigo, por exemplo, conhecidos no mercado como canudos de macarrão.

[008] No banco de dados no INPI, há dois processos que contém canudos comestíveis no texto, a saber processos PI 0520499-2 e BR 10 2019 002971 4. O primeiro processo, trata-se de uma substancia com aromas e sabores que é aplicado em canudos, seja estes fabricados em papel, metal, plásticos, entre outros materiais, de modo que a solução não prevê a substituição dos canudos plásticos para evitar a poluição do meio ambiente, concentrando-se na substância de recobrimento dos canudos.

[009] Durante exame do processo PI 0520499-2, analista do INPI aponta dois documentos como sendo relevantes para a negativa do pedido, processos US2004109932 e WO9909871 , os quais foram analisados e também não apresentam as características do que se pleiteia.

[010] O segundo processo, BR 10 2019 002971 4, refere-se a canudos comestíveis confeccionados a partir de farinha de trigo, constituído de ingredientes distintos daqueles reivindicados no presente pedido. Este último processo relatado traz uma boa descrição do estado da técnica, porém, felizmente, os processos citados não representam impedimento para concessão da patente para este requerimento.

[011] Em pesquisas realizadas nos bancos de dados americano (USPTO), europeu (ESPACENET) e no Google Patents, não foi encontrado nenhum processo que se apresente como impedimento para produto e processo pleiteado neste requerimento, compreendendo apenas os tipos de produtos já citados no parágrafo que descreve os processos encontrados no bando de dados do INPI.

[012] Ao analisar as soluções existentes no mercado para substituição dos canudos de plásticos, verifica-se uma série de dificuldades para o usuário, tais como: Canudos reutilizados (aço, vidro; bambu): O inconveniente de ter que andar com um canudo pessoal para onde se vai, especialmente, para os homens que, normalmente, não utilizam bolsas, já que seu uso ocorre em muitas vezes fora de casa; Canudos reutilizados (aço, vidro; bambu):

[013] O inconveniente da necessidade de higienização dos canudos logo após seu uso, principalmente para os canudos de bambu, uma vez que a madeira retém rapidamente microrganismos maléficos à saúde humana em sua estrutura; Canudos de vidro: O risco de quebrar dentro da bolsa e provocar cortes acidentais no usuário; Canudos de papel:

[014] Exigem reflorestamentos e cada vez mais áreas de cultivos; Canudos de substâncias caramelizadas: Alto teor de açúcar e contraindicados para pessoas portadores de doenças como diabetes; Canudos de “macarrão”: Produtos que contém glúten, proteína perigosa para pessoas alérgicas; Canudos com substâncias químicas: Produtos com substâncias químicas escondidas na formulação, as quais são perigosas e podem causar sérios danos as pessoas.

[015] Portanto, na busca de soluções os problemas apontados no estado da técnica, o inventor desenvolveu o “PRODUTO E PROCESSO DE FABRICAÇÃO DE CANUDOS COMESTÍVEIS PARA SUCÇÃO DE BEBIDAS LÍQUIDAS”, o qual é obtido a partir de um processo inédito a base de tapioca gelatinizada.

[016] constituindo-se um produto comestível, biodegradável e natural, sem glúten ou qualquer substância química danosa à saúde das pessoas, caracterizando-se uma alternativa saudável para seus usuários e que não agride o meio ambiente.

[017] O canudo obtido a partir do presente processo resistem bem ao tempo de uso para bebidas diversas, seja drinks, sucos, vitaminas, entre outras. Suas vantagens são evidentes, das quais podem ser citadas a seguir:

[018] (a) São biodegradáveis e, se dissolvem após 6 horas, se hidratados, além de se misturarem a outros alimentos podendo ser compostados; (b) Servem de alimentos para os próprios consumidores, pois, na sua utilização tem a capacidade de absorver sabor deles para si, tornando a experiência muito agradável e autoeducativa; (c). [019] Pode ser utilizado em líquidos com temperaturas de até 50 Q C, considerando a concepção canudinho; (d) Não poluem os mares, ao contrário, servem de alimentos para as espécies marinhas; (e) Não poluem as praias, pois são biodegradáveis e se decompõe em até 24 horas se deixados na areia, considerando a umidade existente; (f) Sua validade pode chegar a 12 meses se embalados e acondicionados de forma adequada.

[020] Para melhor compreensão do referido “PRODUTO E PROCESSO DE FABRICAÇÃO DE CANUDOS COMESTÍVEIS PARA SUCÇÃO DE BEBIDAS LÍQUIDAS”, é feita em seguida uma descrição detalhada do mesmo, fazendo-se referências ao desenho anexo, onde a:

Figura 01 representa uma perspectiva do canudo;

Figura 02 representa um esquema de montagem da linha de produção para fabricação dos referidos canudos.

[021] Conforme as ilustrações deste relatório, pode-se observar que o “PRODUTO E PROCESSO DE FABRICAÇÃO DE CANUDOS COMESTÍVEIS PARA SUCÇÃO DE BEBIDAS LÍQUIDAS” é composto pelo próprio canudo (1), o qual é constituído por tapioca pré-cozida e gelatinizada do tipo 1 , farinha de arroz, goma xantana, cmc, propionato de cálcio, água e gordura de palma, bem como pelo seu processo de fabricação específico, compreendendo as etapas de preparação, processamento, assamento, e por fim, acondicionamento nas embalagens para expedição.

[022] O canudo (1 ) em si é o produto final, o qual é constituído por uma pré- mistura, água e gordura de palma, ingredientes estes que são preparados nas seguintes proporções. A pré-mistura é composta por aproximadamente: de 82% a 85% de tapioca gelatinizada; de 14 a 16% de farinha de arroz; de 0,3% a 0,4% de CMC; de 1% a 1 ,5% de propianato de cálcio e de 0,5% a 0,1% de goma xantana. [023] Na mistura final, a pré-mistura representa aproximadamente 53% a 56% do total, a gordura de palma é cerca de 6% a 7%, e água, na proporção de aproximadamente 38 a 40%.

[024] O processo de produção ocorre da seguinte forma: Primeiramente, faz-se aquisição dos ingredientes já descritos neste relatório; depois, refina-se a tapioca numa granulometria semelhante a da farinha de arroz; na sequência, mistura-se os ingredientes da pré-mistrura por cerca de 10 a 20 minutos, em misturador em

“Y”

[025] Após a homogeinização dos ingredientes, num misturador de massa, adiciona-se água e gordura de palma na pré-mistura, e deixa misturando por cerca de 5 a 10 minutos. Daí, deixa-se a massa descansar por 10 a 20 minutos, depois, coloca-a na extrusora (2) de eixo vertical, iniciando a formatação dos canudos (1 ) em si.

[026] A confecção dos canudos (1 ), ocorre a partir da extrusora, (2), a qual possui uma trefila (3), dotada de boquilhas desalinhadas, por onde sai vários tubos de massa contínua, flexíveis, apontados para baixo, os quais são recebidos por uma esteira curva (4), que direciona os tubos para a esteira plana (5), que por sua vez passa por um forno contínuo (6), onde os tubos são pré-assados;

[027] Depois, são cortados por um rolo circular ( 7) com facas (8), com velocidade ajustada para cortar os tubos no tamanho final dos canudos (1 ), os quais são empurrados para uma bandeja (9) de assamento. Daí os canudos (1) pré- assados são levados a outro forno para finalizar o assamento. Por fim, após esfriarem, os canudos (1 ) são embalados e expedidos para os clientes de forma adequada.