Login| Sign Up| Help| Contact|

Patent Searching and Data


Title:
STRUCTURAL CONFIGURATION FOR A VERTICAL WASTE COLLECTION RECEPTACLE WITH A LIFTING PLATFORM FOR AUTOMATED ABOVE-GROUND UNLOADING, AND SYSTEM FOR MANAGEMENT AND CONTROL OF SAID RECEPTACLE
Document Type and Number:
WIPO Patent Application WO/2019/113663
Kind Code:
A1
Abstract:
It is intended that the invention be installed in urban locations, adjacent to streets and avenues, and it comprises a body having a lower region, an intermediate region and an upper region, the lower region positioned at ground level having a pipe (12) that links the base of the body with the surface of the ground (5) such as to allow the passage of grease and fat, and another pipe (13) arranged in the lower region of the body such as to link this lower region with the surface of the ground (5) in order to permit the dissipation of gases, and, internally, the lower region being provided with a waste-lifting platform (11) positioned in a region that is slightly above the ground, leaving a region for receiving the grease and fat underneath said platform.

Inventors:
FERRI DIRNEI (BR)
Application Number:
BR2018/050454
Publication Date:
June 20, 2019
Filing Date:
December 11, 2018
Export Citation:
Click for automatic bibliography generation   Help
Assignee:
DIRNEI FERRI FILHO EIRELI (BR)
International Classes:
B65F9/00; B65F1/00
Foreign References:
BR102012015058A22014-12-02
BR102013015442A22014-08-19
US5377706A1995-01-03
Download PDF:
Claims:
REIVINDICAÇÕES

1. “CONFIGURAÇÃO CONSTRUTIVA EM RECEPTÁCULO VERTICAL DE COLETA DE RESÍDUOS COM PLATAFORMA DE ELEVAÇÃO PARA DESCARGA AÉREA AUTOMATIZADA” para ser instalado em locais urbanos, adjacente a ruas e avenidas, caracterizado por compreender um corpo prevendo uma região inferior, uma região intermediária e uma região superior, sendo a região inferior posicionada junto ao solo e possuir tubulação(12) que liga o fundo do corpo com a superfície do solo(5), de modo a permitir a passagem do chorume, e outro cano(13) disposto na região inferior do corpo de modo a ligar esta região inferior a superfície do solo(5), para permitir a dissipação de gases, e internamente a região inferior estar prevista uma plataforma de elevação(1 1 ) de resíduos e possuir batentes de apoio, de modo a se posicionar numa região levemente superior ao fundo da região inferior, formando uma região de acondicionamento do chorume abaixo da dita plataforma de elevação(1 1 ); e a região intermediária possuir ao menos, uma porta(21 ) para depósito dos resíduos, uma porta de inspeção(22) e uma porta sobressalente(23) posicionada numa região superior a porta(21 ); e a região superior compreender uma janela de descarga possuindo uma calha(41 ) articulada, com mola disposta entre a calha(41 ) e a janela de modo a garantir o início da abertura da dita calha(41 ), e internamente prevê na extremidade ao menos um mecanismo de tração(100), possuindo uma caixa de redução(32), acionado por elemento motriz, e que transfere o movimento de rotação a um eixo de rotação(33), que está ligado a um carretel(34) de elevação da plataforma(11 ), que prevê um cabo de içamento(35) ligado à plataforma de elevação(11 ) da região inferior, e outro carretel(36) de abertura e fechamento da calha(41 ) de descarga, unidos por meio de cinta(37) e prever ainda elemento transportador(40), posicionado abaixo do conjunto do mecanismo de tração(100), ligado e acionado pelo próprio eixo(33) de modo a constituir mecanismo único e girar no sentido de direcionar o resíduo para a janela onde está disposta a calha(41 ), sendo o referido mecanismo de tração(100) disposto de modo que com o acionamento do elemento motriz, na operação de descarga, acione ao mecanismo de tração(100) e atue simultaneamente enrolando o cabo de içamento(35) no carretel(34), elevando a plataforma de elevação(11 ), desenrolando a cinta(37) de abertura da calha(41 ) e rotacionando o elemento transportador(40) no sentido da janela da calha(41 ), e atuar inversamente na operação de retorno.

2. “CONFIGURAÇÃO CONSTRUTIVA EM RECEPTÁCULO VERTICAL DE COLETA DE RESÍDUOS COM PLATAFORMA DE ELEVAÇÃO PARA DESCARGA AÉREA AUTOMATIZADA”, de acordo com reivindicação 1 , caracterizado pela região inferior do corpo ser constituída por módulo inferior(10), pela região intermediária do corpo ser constituída por um módulo intermediário(20), pela região superior do corpo ser constituída por um módulo superior(30), unidos consecutivamente entre si, formando o dito corpo único.

3. “CONFIGURAÇÃO CONSTRUTIVA EM RECEPTÁCULO VERTICAL DE COLETA DE RESÍDUOS COM PLATAFORMA DE ELEVAÇÃO PARA DESCARGA AÉREA AUTOMATIZADA”, de acordo com reivindicação 1 e 2, caracterizado pelos módulos inferior(10, intermediário(20) e superior(30) possuir dimensões diversa de modo a permitir sua forma telescópica e prever mecanismo compatível de acionamento de elevação e descida dos respectivos módulos.

4. “CONFIGURAÇÃO CONSTRUTIVA EM RECEPTÁCULO VERTICAL DE COLETA DE RESÍDUOS COM PLATAFORMA DE ELEVAÇÃO PARA DESCARGA AÉREA AUTOMATIZADA”, de acordo com reivindicação 1 , caracterizado pela porta(21 ) prever mecanismo de fechamento, do tipo mola, de modo a forçar o seu fechamento automático.

5. “CONFIGURAÇÃO CONSTRUTIVA EM RECEPTÁCULO VERTICAL DE

COLETA DE RESÍDUOS COM PLATAFORMA DE ELEVAÇÃO PARA

DESCARGA AÉREA AUTOMATIZADA”, de acordo com reivindicação 1 , caracterizado pelo elemento motriz ser um motor(31 ) disposto internamente ao receptáculo vertical(1 ).

6. “CONFIGURAÇÃO CONSTRUTIVA EM RECEPTÁCULO VERTICAL DE

COLETA DE RESÍDUOS COM PLATAFORMA DE ELEVAÇÃO PARA

DESCARGA AÉREA AUTOMATIZADA”, de acordo com reivindicação 1 , caracterizado pelo elemento motriz ser um motor disposto externamente ao receptáculo vertical(1 ).

7. “CONFIGURAÇÃO CONSTRUTIVA EM RECEPTÁCULO VERTICAL DE

COLETA DE RESÍDUOS COM PLATAFORMA DE ELEVAÇÃO PARA DESCARGA AÉREA AUTOMATIZADA”, de acordo com reivindicação 1 ou 7, caracterizado pelo elemento motriz ser acoplável ao sistema de tração(100).

8. “CONFIGURAÇÃO CONSTRUTIVA EM RECEPTÁCULO VERTICAL DE COLETA DE RESÍDUOS COM PLATAFORMA DE ELEVAÇÃO PARA DESCARGA AÉREA AUTOMATIZADA”, de acordo com reivindicação 1 caracterizado pelo receptáculo vertical(1 ) prever fonte alternativa de geração de energia disposto no próprio corpo.

9. “CONFIGURAÇÃO CONSTRUTIVA EM RECEPTÁCULO VERTICAL DE

COLETA DE RESÍDUOS COM PLATAFORMA DE ELEVAÇÃO PARA

DESCARGA AÉREA AUTOMATIZADA”, de acordo com reivindicação 1 caracterizado por prever um cesto(38) na região superior para acondicionamento da cinta(37) na região adjacente à calha(41 ).

10. “CONFIGURAÇÃO CONSTRUTIVA EM RECEPTÁCULO VERTICAL DE

COLETA DE RESÍDUOS COM PLATAFORMA DE ELEVAÇÃO PARA

DESCARGA AÉREA AUTOMATIZADA”, de acordo com reivindicação 1 caracterizado por as portas serem acionadas por pedal ligado entre si por mecanismos compatíveis.

1 1. “CONFIGURAÇÃO CONSTRUTIVA EM RECEPTÁCULO VERTICAL DE

COLETA DE RESÍDUOS COM PLATAFORMA DE ELEVAÇÃO PARA

DESCARGA AÉREA AUTOMATIZADA”, de acordo com reivindicação 1 caracterizado por prever acoplado ao referido receptáculo, um mecanismo de compactação de modo a permitir que os resíduos recicláveis sejam armazenados na sua forma compactada.

12. “SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DO DITO RECEPTÁCULO” descreve o sistema de gerenciamento e controle do receptáculo vertical(1 ) descrito nas reivindicações de 1 a 1 1 , caracterizado por compreender ao menos um sensor de peso (NI), ligado à plataforma de elevação(11 ), de modo a indicar o peso de resíduos sobre a plataforma; ao menos um medidor de nível(NI) de chorume ligado à tubulação(12), de modo a indicar o nível de chorume disposto na região abaixo da plataforma de elevação(11 ), ao menos um sensor de indicação de carregamento do receptáculo, de modo a identificar o carregamento do receptáculo, ao menos um sensor nas portas, de modo a identificar a sua condição “aberta” ou “fechada”, todos se comunicando com um quadro elétrico contendo dispositivo eletrónico com configuração compatível incluindo módulo de comunicação que se comunica com um terminal, ou interface homem-máquina (IHM), contendo software compatível, de modo a receber as informações coletadas dos respectivos sensores e dispositivos, tais como peso, condição da porta, nível de chorume, condição de carregamento, e transmitir estas informações para a dita IHM ou terminal, informando a condição atual do receptáculo e fazendo o registro destes dados.

13. “SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DO DITO

RECEPTÁCULO”, de acordo com reivindicação 12, caracterizado pela comunicação com o terminal ou interface homem-máquina ser remota.

14. “SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DO DITO

RECEPTÁCULO”, de acordo com reivindicação 12, caracterizado por prever dispositivo controle de acesso, por meio de identificação do usuário, permitindo o gerenciamento e controle, remoto ou presencial, dos acessos ao receptáculo.

15. “SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DO DITO

RECEPTÁCULO”, de acordo com reivindicação 1 e 12, caracterizado por prever dispositivo de monitoramento de imagem acoplado ao receptáculo.

16. “SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DO DITO

RECEPTÁCULO”, de acordo com reivindicação 1 e 12, caracterizado por prever dispositivo de identificação de material reciclável também ligado à configuração eletrónica do receptáculo, e com parametrização pré-definida de uma relação material, valor e peso, de modo a permitir a geração de créditos e/ou pagamentos, de recompensa ao usuário.

Description:
CONFIGURAÇÃO CONSTRUTIVA EM RECEPTÁCULO VERTICAL DE COLETA DE RESÍDUOS COM PLATAFORMA DE ELEVAÇÃO PARA DESCARGA AÉREA AUTOMATIZADA E SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DO DITO RECEPTÁCULO

[001] O objeto do presente pedido de patente descreve uma configuração construtiva específica para um receptáculo vertical de coleta de resíduos, para ser instalado em locais urbanos, adjacente a ruas e avenidas, com mecanismo de descarga automatizado. Descreve ainda seu sistema de funcionamento.

[002] Em síntese, os resíduos sólidos urbanos são originados nas cidades e conglomerados urbanos, resultantes da atividade humana em domicílios, em estabelecimentos comerciais, na limpeza pública e no setor de serviços, entre outros. Ainda, nestes resíduos é comum a presença de matéria orgânica, que entra em degradação muito rapidamente, gerando desconfortos, como mau cheiro, atração de vetores e contaminação ambiental pela liberação de lixiviados.

[003] Frente a esses fatores, a forma de coleta e destinação dos resíduos representa uma grande preocupação para a sociedade atual. No Brasil, a maior parte da coleta de resíduos sólidos urbanos, seja ela seletiva ou não, é realizada de maneira manual. Normalmente, um caminhão com caçamba compactadora percorre as vias públicas e operadores realizam a coleta manual dos resíduos. Neste sistema de coleta existem dois grandes problemas: os operadores que realizam a coleta, ainda que utilizando equipamentos de proteção individual, entram em contato direto com os resíduos; e os resíduos não possuem um local específico adequado para seu armazenamento temporário, até que a coleta definitiva seja realizada, sendo muitas vezes depositados sobre a própria rua ou calçada.

[004] Alternativamente, existe a coleta automatizada de resíduos realizada em contêineres de superfície, tal como a revelada no documento EP 2530033. Neste caso, um contêiner com tampa de acesso é posicionado sobre o solo, tal como em ruas ou calçadas, servindo de armazenamento temporário para os resíduos, até que a coleta definitiva seja realizada, com auxílio de um caminhão compactador com braços automatizados. Para a coleta definitiva, os braços automatizados são acoplados no contêiner, elevando-o e realizando seu basculamento, até a queda dos resíduos no interior do caminhão. Apesar de esse sistema eliminar os inconvenientes da coleta manual, como descrita anteriormente, outros inconvenientes estão presentes. Mais particularmente, o interior do contêiner é de livre acesso, sendo muitas vezes acessado indevidamente por catadores não regulamentados, que frequentemente espalham resíduos sobre a calçada ou rua nas proximidades do contêiner. Além disso, a construtividade dos braços automatizados em cooperação com o caminhão de coleta é de alta complexidade e de custos elevados. Ainda, a operação de posicionamento dos braços automatizados no contêiner, elevação, basculamento, reposicionamento do contêiner no solo e recolhimento dos braços automatizados junto ao caminhão é demorada, muitas vezes atravancando o trânsito de veículos na via onde se realiza a coleta.

[005] Outra alternativa presente no estado da técnica é a coleta automatizada de resíduos realizada em contêineres subterrâneos, tal como a revelada em US 20080203097, e disponibilizada comercialmente sob a nomenclatura "Sidetainer" pela empresa TNL - Sociedade de Equipamentos Ecológicos e Sistemas Ambientais Lda. Neste caso, ao menos um contêiner encontra-se posicionado de forma subterrânea, internamente a um poço de concreto, e sobre uma plataforma de elevação. A superfície superior do poço é coberta por uma tampa basculante dotada de ao menos uma caixa de depósito em comunicação com o respectivo contêiner subterrâneo. Os resíduos são depositados na caixa de depósito e caem dentro do contêiner subterrâneo para armazenamento temporário. Para coleta definitiva, um operador aciona a elevação da plataforma de elevação, movimentada por cilindros hidráulicos, até que a mesma esteja alinhada com a superfície superior do poço. A elevação da plataforma desencadeia concomitantemente o basculamento de abertura da tampa de cobertura do poço. Assim, o contêiner fica disponível na superfície do solo para sua operação de descarga em um caminhão compactador com braços automatizados, realizada de forma semelhante à revelada EP 2530033.

[006] Ainda que neste caso os resíduos fiquem resguardados contra o acesso indevido de catadores, a implementação desse tipo de coleta torna-se ainda mais cara e complexa, uma vez que além do caminhão compactador com braços automatizados, se faz necessária a construção de um poço de concreto subterrâneo e de um complexo sistema de elevação da plataforma subterrânea. Além disso, a operação de coleta definitiva dos resíduos torna-se ainda mais demorada, pois além da operação de posicionamento dos braços automatizados do caminhão no contêiner, elevação, basculamento, reposicionamento do contêiner sobre a plataforma e recolhimento dos braços automatizados junto ao caminhão, existem a etapa inicial de elevação da plataforma para nivelamento do contêiner em relação ao solo e etapa final de abaixamento da plataforma para recolocação do contêiner em posição subterrânea.

[007] No Brasil, o pedido de patente depositado junto ao INPI, sob o número BR102013015442-3, denominado de Coletor de Resíduos Sólidos, descreve um coletor, também para ser alocado em posições adjacentes a ruas, estradas ou avenidas, compreendendo ao menos uma torre de elevação dotada de ao menos uma porta de entrada de resíduos, e em comunicação com ao menos um compartimento de depósito elevado; um conjunto de elevação apto a transportar resíduos da torre de elevação até o compartimento de depósito elevado; e um conjunto de descarga apto a realizar a descarga dos resíduos contidos no compartimento de depósito elevado. Possui configuração construtiva e automatizada facilitando a sua descarga e evitando o acesso não autorizado.

[008] Um dos problemas associados aos coletores contidos no estado da técnica é a sua construção, cuja configuração possui uma parte superior, que é um compartimento elevado de depósito de resíduos, projetada sobre a rua, estrada ou avenida; esta configuração pode gerar o inconveniente de algum veículo com altura suficiente, ao passar pelo coletor, venha a colidir com essa parte superior, causando acidente, prejuízos, bem como espalhar lixo pela estrada, etc. Outro fator associado à esta construção está no fato da ser mais propenso a ser danificado com a ação de fortes ventos, bem como poluição visual nas cidades aonde esteja instalado. Ainda quanto a configuração construtiva deste equipamento, o levantamento do lixo é feito por esteira, que requer maiores manutenções, maiores cuidados, bem como limita as formas geométricas para construção da torre. Outro problema associado a esta configuração é o fato de que se torna mais difícil sua instalação e perfuração do solo, pois devido o fato de utilizar esteiras de carregamento em seu mecanismo interno, possibilita que o equipamento seja fabricado apenas com seção transversal poligonal, preferivelmente de 4 lados. Ainda pode ser citado como inconveniente o problema de carregamento destes containers existentes, caso o usuário queira abastecer grandes quantidades de resíduos de uma única vez, por meio de um outro carrinho, ou devido a alguma emergência tal Container precise abarcar uma quantidade superior à normal, operando com sobrecarga. Outro problema associado aos containers de resíduos é que nenhum possui além da sua configuração construtiva uma sistematização capaz de torna-lo inteligente, inclusive para sua inserção numa sistemática mais abrangente contribuindo para a inteligência das cidades.

[009] Com objetivo de eliminar tais inconvenientes resolvendo os problemas mencionados, é proposto o presente pedido de patente, cujo objeto é um receptáculo vertical, tubular, modular, a ser instalado adjacente a rua, estrada, ou avenida, e cuja configuração construtiva elimina qualquer prolongamento do seu corpo por sobre região da via onde fora instalado adjacentemente. A configuração construtiva se dá por corpo tubular, compreendendo mecanismo interno acionado por elemento motriz, carretel e cabos, uma plataforma base e uma comporta superior de descarga, que quando aberta é a própria rampa de descarga, de modo que o motor eleva a plataforma por meio do içamento de seus cabos (pode ser cintas, ou outro elemento compatível), que são enrolados num carretel, e empurra o lixo armazenado para a região de descarga, na parte superior, e simultaneamente libera o cabo para abertura da comporta de descarga, transformando-a na rampa de descarga do resíduo. Este mecanismo único de elevação da plataforma juntamente com a abertura da porta de descarga, confere simplicidade, facilidade de fabricação, manutenção bem como permite a eliminação do prolongamento do corpo do equipamento por sobre as rodovias; essa configuração permite também o uso de apenas um único elemento motriz, especialmente um motor, podendo este ser disposto tanto internamente quanto externamente ao equipamento, podendo o motor ser até um elemento acoplável ao equipamento.

[010] Com o acionamento do elemento motriz, aqui denominado de motor, a plataforma se elevará, fazendo subir o lixo disposto sobre ele, e será arremessado para fora do equipamento, deslizando sobre a rampa de descarga, que é a própria comporta aberta, caindo por fim, dentro da carroceria do veículo de coleta. Por serem 100% automatizados todos os sistemas evitam que o operador tenha contato com os resíduos, oferecendo total segurança operacional e corroborando significativamente para a redução dos acidentes de trabalho e aumento da velocidade da coleta.

[01 1] Pelo fato de utilizar um mecanismo com cabos que eleva uma plataforma base, e esta base pode apresentar diferentes formatos geométricos, esta configuração possibilita fabricação do receptáculo em várias formas geométricas e tamanhos é também um grande avanço no estado da técnica se comparado com outros modelos de coletores de resíduos. Por exemplo, a fabricação no formato cilíndrico terá menor custo construtivo e de instalação, além de permitir que o módulo inferior atinja maior profundidade, ocupando menos área quadrada de superfície e oferecendo incomparável capacidade de acúmulo de resíduos.

[012] Este mecanismo de transporte dos resíduos por plataforma de elevação puxada ou içado por um cabo, cinta ou fita evitará que a elevação dos resíduos tenha que ser feita por um sistema mais caro e complexos como os sistemas hidráulicos, pneumáticos ou de engrenagens; também evita a utilização do sistema de elevação que utiliza lona, carretéis e rampa de descarga sobre roletes. Trará como resultado a redução do custo de fabricação, flexibilidade nos formatos geométricos para sua fabricação, bem como facilidade na sua construção modular.

[013] Outro ponto importante em relação à configuração proposta está no fato da plataforma de elevação dos resíduos ter função de base onde os resíduos serão acumulados, impedindo que estes resíduos ultrapassem o limite máximo e se misturem ao líquido acumulado no fundo do receptáculo, uma vez que o líquido se escorrerá não ficando acumulado sobre a mesma, reduzindo odores, facilitando a limpeza, etc.

[014] Uma característica da configuração proposta, que também resolve o problema de poluição visual, em locais históricos por exemplo, é que pelo fato do seu mecanismo, o corpo do equipamento pode ser telescópico, podendo ser elevado por meio da sua expansão, ou rebaixados, por meio da sua retração, que pode ocorrer de forma automatizada.

[015] Pelo fato do mecanismo ser único e simplificado, é possível prever dispositivo eletrónico de modo a permitir o acionamento da descarga por controle remoto, tornando o procedimento de descarga mais rápido e automatizado.

[016] Outra característica do objeto proposto no presente relatório de pedido de patente, também dado pelo fato da facilidade do mecanismo é do equipamento ser alimentado pela energia do próprio caminhão coletor, ou por um motor disposto no próprio caminhão. Ou por uma fonte de energia alternativa disposta no próprio equipamento, como painéis fotovoltaicos, por exemplo.

[017] Outra característica do objeto proposto no presente relatório, devido também ao seu mecanismo, é pelo elemento motriz ser o próprio operador com acionamento de manivela ou dispositivo similar; esta opção especialmente é mais vantajosa para equipamentos de menor porte, mas também é possível devido a configuração e mecanismo proposto.

[018] O Corpo de equipamento é tubular e modular, onde os módulos poderão ser fabricados através da junção por parafusos, encaixes ou outros meios de fixação, de várias peças que unidas irão formar os compartimentos ou o próprio receptáculo. Esta característica viabilizará a fabricação modular e significativos ganhos no transporte, montagem e instalação do equipamento; as dimensões da largura e comprimento, ou de diâmetro, dos módulos podem ser levemente diferente de modo a permitir uma montagem do tipo telescópico.

[019] Ainda com o intuito de melhorar a forma de carregamento, bem como sua operação com sobrecarga, a configuração construtiva deste prevê três portas para o depósito dos resíduos. A primeira será a porta de depósito de resíduos utilizada pelos usuários que entregam voluntariamente os resíduos; esta porta terá um sistema de fechamento automatizado para permanecer sempre fechada e um pedal para facilitar sua abertura no momento da entrega dos resíduos. A segunda porta será maior que a primeira e terá como finalidade permitir a inspeção, limpeza e manutenção do equipamento, além de ser utilizada por agentes da limpeza urbana para depositar no receptáculo resíduos em maior quantidade, utilizando inclusive carrinhos; poderá estar disposta no mesmo nível da porta de depósito, ou situada em nível diferente, bem como em posições distintas. A terceira porta, deve estar posicionada acima do nível das da porta de depósito, servirá como porta sobressalente, servindo para aumentar a capacidade cúbica do receptáculo em casos emergenciais, tais como, enchentes, festas, eventos, entre outros, deste modo permitindo que o receptáculo opere em modo de sobrecarga. Todas as portas preveem meios de isolamento para impedir troca de fluido com o ambiente externo, além de poder prever sistema de chaveamento físico ou eletrónico para impedir que pessoas não autorizadas possam inicializar o mecanismo e descarregar os resíduos sem serem autorizados.

[020] Outra característica está no fato de possuir sistema de limpeza com acesso externo, ter baixo custo de limpeza e manutenção, além de ser completamente estanque, evitando a contaminação do solo e subsolo.

[021 ] Sobre o sistema de funcionamento, o referido receptáculo vertical, possui sensores, placas e eletrónica, ligadas a uma interface homem- máquina (IHM) que permite o gerenciamento do seu carregamento, da quantidade de chorume, de identificação de abertura da porta, de identificação de usuário ou operador, de modo a permitir o acionamento do equipamento inclusive remotamente bem como registrar todas as suas operações

[022] O objeto do presente pedido de patente será melhor compreendido com a descrição detalhada a seguir, que melhor será interpretada com o auxílio das figuras a saber:

[023] A Figura 1 apresenta uma vista em perspectiva de receptáculo vertical(1 ), em questão identificando, neste caso, o módulo inferior(10), o módulo intermediário(20) e o módulo superior(30) já interligados e com a calha de descarga(41 ) dos resíduos totalmente fechada.

[024] A Figura 2 apresenta uma vista em perspectiva do receptáculo vertical(1 ), com suas partes desconectadas, sendo mostrado o solo(5), o módulo inferior(10), a plataforma de elevação(1 1 ) dos resíduos, o módulo intermediário(20) e o módulo superior(30).

[025] A Figura 3 apresenta uma vista lateral cortada do receptáculo vertical(1 ), mostrando interna e externamente a plataforma de elevação(1 1 ) na posição inicial de recebimento dos resíduos, a tubulação(12) de retirada de chorume, o cano(13) de dissipação de gases, a porta(21 ) para o depósito dos resíduos, a porta de inspeção(22), porta sobressalente(23), a calha de descarga(41 ) dos resíduos e o sistema de tração(100).

[026] A Figura 4 apresenta uma vista frontal do receptáculo vertical(1 ), mostra a vista interna do módulo superior(30) e em detalhes o conjunto que forma um sistema de tração(100) de elevação da plataforma e da abertura da calha(41 ). Esta figura mostra também o motor de acionamento(31 ), a caixa de redução(32), eixo de rotação(33), o carretel de subida(34), o cabo de içamento(35), o carretel de abertura e fechamento(36), a cinta de tração(37), o cesto de recolhimento da cinta de tração(38), o conjunto de acionamento do mecanismo de arremesso(39), o mecanismo de arremesso(40) e a plataforma(41 ) de elevação dos resíduos.

[027] As Figuras 5A, 5B, 5C e 5D mostram o receptáculo vertical(1 ), com a calha de descarga (41 ) totalmente fechada (A), em processo de abertura (B), em posição de descarga (C) e, em procedimento de descarga (D) sobre o veículo de coleta (VC).

[028] A Figura 6, ilustra em uma perspectiva ampla o receptáculo vertical(1 ), ilustrando o caso de possuir motorização externa, sendo o elemento motriz um braço mecânico(200), que permite o acionamento do sistema de tração com motor instalado no veículo de coleta(VC).

[029] As Figuras 7A e 7B, mostra em perspectiva modelos construtivos receptáculo vertical(1 ), que poderá ser construído através da junção de placas (A), que juntas formarão os módulos ou o próprio receptáculo vertical(1 ).

[030] A configuração construtiva do receptáculo vertical(1 ), para coleta de resíduos, objeto do presente relatório, conforme figuras apresentadas a fim de ilustração, compreende de modo mais genérico um corpo prevendo uma região inferior, uma região intermediária e uma região superior, podendo ser construídas em módulos; nas figuras ilustradas a região inferior do corpo é constituída por módulo inferior(10), a região intermediária é constituída por módulo intermediário(20), e a região superior é constituída pelo módulo superior(30), unidos consecutivamente entre si, formando o dito corpo único e podendo possuir dimensões diversa de modo a permitir sua forma telescópica e prever mecanismo compatível de acionamento de elevação e descida dos respectivos módulos. A representação das figuras em 3 módulos não limita a construção com uma quantidade diferente módulos, nem suas funções. As seções transversais do módulo também podem ser de formato diverso. No caso da disposição dos módulos serem de forma telescópica, deve haver mecanismo compatível para sua elevação e descida.

[031 ] A região inferior, neste caso representado pelo módulo inferior(10) é instalado no subsolo em cavidade compatível, e deve possuir tubulação(12) que liga o fundo do módulo inferior(10) com a superfície do solo(5) e serve para retirada de chorume; outro cano(13) é disposto no módulo inferior(10) de modo a ligar a extremidade inferior do referido módulo inferior(10) com a superfície do solo(5), e serve para dissipação de gases. Internamente à região inferior, neste caso representado pelo módulo inferior(10) em seu fundo e em posição para conter sobre sua base os resíduos, evitando que este se misturem ao chorume acumulado no fundo é prevista a plataforma de elevação(1 1 ) de resíduos. Esta plataforma de elevação(1 1 ) tem a função de servir de base para o recebimento dos resíduos depositados no receptáculo vertical(1 ) e quando içada pelo sistema de tração(100), eleva os resíduos até o módulo superior(30) do receptáculo vertical(1 ) onde ocorrerá a descarga aérea automatizada. Dita plataforma de elevação(11 ) possui batentes ou pernas, de apoio, de modo a se posicionar numa região levemente superior ao fundo do módulo inferior(10) formando uma região de acondicionamento do chorume abaixo da dita plataforma de elevação(11 ).

[032] A região intermediária, neste caso ilustrado pelo módulo intermediário(20), faz comunicação com módulo inferior(10), que conforme pode ser acompanhado pela figura 3, é dotado de, ao menos, uma porta(21 ) para depósito dos resíduos, uma porta de inspeção(22) e de uma porta sobressalente(23) posicionada numa região superior a porta(21 ). A porta(21 ), em especial, bem como as demais, pode prever mecanismo de fechamento, do tipo mola, de modo a forçar o seu fechamento automático.

[033] Este módulo intermediário(20) também contará com um conjunto de itens NÃO ILUSTRADO (NI) nos desenhos, mas que faz parte do sistema de funcionamento do referido receptáculo sendo: ao menos um sensor de peso (NI), ligado à plataforma de elevação(1 1 ), de modo a indicar o peso de resíduos sobre a plataforma; ao menos um medidor de nível(NI) de chorume ligado à tubulação(12), de modo a indicar o nível de chorume disposto na região abaixo da plataforma de elevação(1 1 ), ao menos um sensor de indicação de carregamento do receptáculo, de modo a identificar o carregamento do receptáculo, ao menos um sensor nas portas, de modo a identificar a sua condição“aberta”ou“fechada”, todos se comunicando com um quadro elétrico contendo dispositivo eletrónico com configuração compatível incluindo módulo de comunicação que se comunica, podendo ser remotamente, com um terminal, ou interface homem-máquina (IHM), contendo software compatível, de modo a receber as informações coletadas dos respectivos sensores e dispositivos, tais como peso, condição da porta, nível de chorume, condição de carregamento, e transmitir estas informações para a dita IHM ou terminal, informando a condição atual do receptáculo e fazendo o registro destes dados. Pode prever ainda controle de acesso, por meio de identificação do usuário, bem como pode prever dispositivo de monitoramento, compreendendo câmeras, permitindo o gerenciamento e controle, também pelo seu dispositivo eletrónico, remoto ou presencial, dos acessos ao receptáculo. Prevê ainda pedal de acionamento (NI) para abertura da porta, ligado por mecanismos compatíveis a uma ou mais portas do receptáculo vertical(1 ), de modo a acionar a sua abertura e/ou fechamento.

[034] Pode-se perceber que esta região intermediária, representada neste caso pelo módulo intermediário(20) é a região de maior interação com o usuário, podendo esta interação ser física, presencial, ou remotamente, mediante controle e gerenciamento das informações provenientes do dos elementos eletrónicos dispostos no dito receptáculo vertical(1 ), esta condição possível devido aos elementos eletônicos embarcados no receptáculo vertical(1 ) interligados entre si por placa com configuração eletrónica compatível de modo a permitir a comunicação destas informações à uma IHM e o gerenciamento, controle e armazenamento destas informações, possibilitando inclusive o acionamento remoto de algumas operações.

[035] A região superior, neste caso está ilustrado pelo módulo superior(30), prevê o mecanismo de tração do receptáculo vertical(10); pode ser visualizado nas figuras, 2, 3 e o detalhe do mecanismo de tração(100) e abertura, na figura 4. É previsto nesta região superior, neste caso ilustrado pelo módulo superior(30) uma janela de descarga possuindo uma calha(41 ) articulada que atua também como porta da dita janela; deve possuir, além de outros elementos construtivos, uma mola disposta entre a calha(41 ) e a janela de modo a garantir o início da abertura da dita calha(41 ). O mecanismo de tração(100) possui uma caixa de redução(32), acionado por elemento motriz, no caso ilustrado um motor(31 ), que transfere o movimento de rotação a um eixo de rotação(33), que está ligado a um carretel(34) que enrola e desenrola um cabo de içamento(35) ligado à plataforma de elevação(11 ) em que possibilita a elevação e a descida da plataforma; e outro carretel(36) que enrola e desenrola uma cinta(37) ligada à calha(41 ) de modo a permitir e abertura e fechamento da calha(41 ) de descarga, e pode prever ainda um cesto(38) para acondicionamento da cinta(37) quando a calha estiver na posição fechada; e prever ainda elemento transportador(40), posicionado abaixo do conjunto do mecanismo de tração(100), ligado e acionado pelo próprio eixo(33) de modo a constituir mecanismo único e girar no sentido de direcionar o resíduo para a janela onde está disposta a calha(41 ), desta forma, quando os resíduos atingirem o elemento transportador(40), posicionado no topo do módulo superior(30) e pelo fato da calha(41 ) de descarga já estar aberta, estes resíduos serão automaticamente direcionados, por meio do elemento transportador(40) para fora do módulo superior(30), caindo sobre a calha de descarga (41 ) e deslizando sobre seu leito até precipitarem-se por gravidade para dentro da carroceria do veículo de coleta (VC).

[036] No módulo superior(30) deve prever outros elementos construtivos, além destes podemos elencar mola de propulsão (NI), batente limitador de ângulo de inclinação (NI), conjunto de fim de curso (NI), acoplamento e engate (NI), no caso de o receptáculo ser acionado com motorização externa. Elementos estes necessários para a construção do equipamento.

[037] Sendo assim o referido mecanismo de tração(100) da região superior do receptáculo vertical(1 ) é disposto e funciona de modo que com o acionamento do elemento motriz, o mesmo atue simultaneamente enrolando o cabo de içamento(35) no carretel(34), elevando a plataforma de elevação(11 ), desenrolando a cinta(37) para abertura da calha(41 ) e rotacionando o elemento transportador(40) no sentido da janela da calha(41 ),para direcionamento dos resíduos para a calha(41 ); e atuar inversamente na operação de retorno, retornando a plataforma de elevação(1 1 ) para a região inferior e fechando e recolhendo a calha(41 ) que atua como porta da janela de descarga.

[038] Para utilização do receptáculo vertical(1 ) proposto no presente documento, o depósito dos resíduos no equipamento será feito tanto pelos usuários (população) quanto por profissionais da limpeza urbana. Os usuários farão a entrega dos resíduos acionando o pedal de abertura (NI) da porta(21 ) de depósito dos resíduos, sendo que logo após depositar os resíduos e soltar a porta(21 ), esta se fechará de forma automatizada mantendo o receptáculo vertical(1 ) sempre fechado. Os funcionários da limpeza urbana utilizarão preferencialmente a porta de inspeção (22), que é maior e permite acelerar a entrega dos resíduos no receptáculo vertical(1 ), inclusive por meio de carrinhos. A porta sobressalente(23) que serve para aumentar emergencialmente a capacidade de acumular resíduos do receptáculo vertical(1 ), somente será utilizada pelos funcionários da limpeza urbana em eventuais casos de grande geração de resíduos fora do padrão convencional, tais como eventos promocionais, turísticos e climáticos, permitindo a operação em sobrecarga.

[039] Uma materialização alternativa do mesmo objeto, conforme já mencionado anteriormente, consiste da disposição do elemento motriz externamente ao módulo superior(30). Uma vez que o mecanismo de elevação da plataforma e de abertura e fechamento da calha(1 ) é compacto e único, e necessita de um único elemento motriz, que no caso ilustrado nas figuras 3 e 4 estão dispostos internamente ao módulo superior(30), entretanto tal elemento motriz pode ser diverso deste apresentado na ilustração. Pode ser por exemplo um elemento motriz externo, que se conecta por meio compatível ao sistema de tração(100) operacionalizando o mesmo funcionamento. Este elemento motriz pode ser um motor alocado no próprio veículo de coleta (VC), uma alavanca manual para receptáculos menores.

[040] Outra complementação material do objeto do presente pedido de patente está no fato de poder ser dotado de elementos de identificação de material reciclável também ligado à configuração eletrónica do equipamento, com meios para identificação do material reciclado que está sendo inserido internamente ao receptáculo, e mediante uma configuração de valores e pesos, emitir tickets de créditos e/ou pagamentos, que poderia estar associado á um programa de pontuação ou recompensa da cidade, município, ou de alguma instituição. Esta complementação incluída no receptáculo o tornaria um equipamento ainda mais tecnológico e compatível para se comunicar com outros equipamentos, o inserindo assim, no âmbito da internet das coisas (IOT)

[041 ] A seguir é descrito de maneira ilustrativa a forma sucessiva de ações que demonstra o funcionamento e uso do receptáculo vertical(1 ) objeto do presente pedido de patente. Independentemente de serem entregues pelos usuários ou pelos funcionários da limpeza urbana, ao serem largados dentro do receptáculo vertical(1 ) os resíduos cairão por gravidade até atingirem a plataforma de elevação(11 ) posicionada na região do módulo inferior(10). Esta plataforma vertical(1 1 ) é a base onde será apoiado os resíduos que os mesmos se misturem ao chorume (líquido percolado do lixo) acumulado no fundo do módulo inferior(10). Como o depósito será feito de forma rotineira, pois o receptáculo vertical(1 ) estará apto a receber resíduos 24 horas por dia, ao serem depositados os resíduos irão se amontoando uns sobre os outros até atingirem o nível máximo, quando o sensor de quantidade de resíduos depositados (NI) será acionado e emitirá um sinal eletrónico ou físico avisando que o receptáculo está cheio e precisa ser esvaziado.

[042] A entrega poderá ser voluntária rotineira ou do serviço realizado pelos funcionários da limpeza urbana, o receptáculo vertical(1 ); ao acionar o pedal, para abrir a porta(21 ) para depositar o resíduo que cairá por gravidade sobre a plataforma de elevação(1 1 ). No caso da materialização proposta prever dispositivo de identificação de resíduos recicláveis e meios de recompensa, basta o usuário acionar o referido dispositivo e mediante o peso do resíduo reciclado, apurado pela própria plataforma, irá emitir um ticket de crédito ou pagamento ao usuário.

[043] Após a entrega dos resíduos no receptáculo vertival(1 ) este permacenerá armazenado e, quando atingir uma quantidade de carregamento pré-definida, o sensor de identificação de quantidade de resíduos depositados (NI) emitirá uma comunicação, podendo ser eletrónica ou física, à interface homem-máquina (IHM) de modo que os operadores da coleta possam identificar a necessidade do seu esvaziamento. Os dados de peso, por descarga ficarão registrado no dispositivo eletrónico do equipamento e poderão ser enviados à um terminal de controle, registrando, data hora e peso dos resíduos; pode registrar ainda o operador.

[044] Para recolher os resíduos armazenados no receptáculo vertical(1 ) o operador deverá acionar o elemento motriz, podendo ser o motor interno, ou caso o motor for externo, deverá fazer a conexão e aciona-lo de modo a fazer girar o sistema de tração(100), fazendo girar a caixa de redução(32), transmitindo a força motriz para o eixo de rotação(33) que por sua vez fará girar os carreteis de elevação(34) e de abertura(36) da calha(41 ). O carretel de elevação(34) suspenderá através do cabo de içamento (35) fazendo subir a plataforma de elevação(1 1 ) dos resíduos; simultaneamente o carretel de abertura(36), que também é acionado pelo eixo de rotação(33), gira fazendo descer a calha(41 ). Este carretel de abertura(36) possui em si instalado uma cinta de tração (37) que está ligado à calha(41 ) de descarga dos resíduos. Então quando é acionado o sistema de tração (100) fazendo o eixo de tração (33) girar realizando a abertura da calha(410 de descarga iniciando sua abertura; este procedimento pode ser auxiliado por mola de modo a facilitar o início da abertura da calha(41 ). Esta calha (41 ) será aberta e se inclinará até o limite estabelecido pelo limitador de inclinação (NI), quando estará em posição apta para receber a queda dos resíduos.

[045] Os resíduos, por sua vez, subirão pela parte interna (duto) dos módulos inferior(10) e intermediário(20) até atingirem o teto interno do módulo superior(30), onde está instalado o elemento transportador(40), que gira, juntamente com o sistema de tração(100) e devido a sua rotação facilita o deslocamento e direcionamento dos resíduos para fora do receptáculo vertical(1 ) caindo sobre a calha(41 ) de descarga e deslizando sobre seu leito até precipitarem-se por gravidade para dentro da carroceria do veículo de coleta (VC). Após a plataforma de elevação(1 1 ) dos resíduos atingir a altura máxima e todos os resíduos serem arremessados para fora do receptáculo vertical(1 ), esta plataforma aciona um conjunto de fim de curso (NI) que inverterá a rotação do elemento motriz, fazendo com que o eixo de rotação (33) gire no sentido inverso, girando também o carretel de subida (34) e consequentemente desenrolando o cabo de içamento (35), tendo como consequência a descida da plataforma de elevação(11 ) até sua posição inicial no fundo do módulo inferior(10). Ao mesmo tempo o carretel de abertura e fechamento(36) também gira, recolhendo a cinta(37) de tração, que por estar fixada na calha(41 ) de descarga puxa a dita calha(41 ) até seu completo fechamento. Ao atingir a parte final de fechamento a calha(41 ) comprime a mola, caso haja, e ao seu final desliga o sistema de tração(100) através do acionamento do conjunto de fim de curso (NI), concluindo assim a operação de coleta dos resíduos e permanecendo o receptáculo (1 ) totalmente fechado.

[046] A retirada do chorume será feita por equipes que serão avisadas física ou eletronicamente pelo medidor de nível de chorume (NI), que a quantidade de líquido acumulada no fundo do equipamento chegou ao limite máximo e precisará ser retirada. Esse líquido também poderá ser utilizado pelo sistema de combate a incêndio (NI) para apagar chamas geradas proposital ou espontaneamente no interior do receptáculo (1 ). A manutenção e limpeza serão feitas de modo rotineiro e a dissipação de gases ocorre naturalmente através do cano(13) de dissipação de gases.

[047] Em modelos de equipamentos autónomos a energia elétrica poderá ser gerada de forma eólica ou solar pelo sistema autónomo de geração de energia elétrica (NI), sendo que para os equipamentos que funcionarem com energia elétrica, os operadores contarão com um quadro elétrico (NI), que comandará as operações elétrica e eletrónica do receptáculo (1 ), incluindo o sistema de iluminação (NI), o conjunto de placas e painéis de publicidade (NI) e o sistema de abertura e fechamento (NI) das portas do equipamento, que permitirá controlar a distância a utilização do equipamento, detalhe importante em casos de riscos de vandalismo, enchentes, manifestações não pacíficas, entre outras. Este quadro elétrico (NI) também será responsável pelo acionamento, comando e controle de todos os elementos mecânicos, elétricos e eletrónicos do receptáculo (1 ).

[048] Pode prever ainda no referido receptáculo, como materialização complementar, porém também não ilustrado(NI), um mecanismo de compactação(NI) acoplado ao receptáculo de modo a permitir que os resíduos recicláveis possa ser compactado por este elemento, reduzindo volume utilizando por estes resíduos.

[049] Desta forma em comparação aos equipamentos e sistemas de coleta de resíduos tradicionais, mecanizados e mesmo automatizados existentes no estado da técnica, o objeto proposto no presente pedido de patente apresenta inúmeras vantagens, trazendo inovação, inventividade e possibilidade de introduzir um novo conceito de coleta de resíduos na sociedade.